18/10/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
1917 no Ecrã II

Em colaboração com o Gosfilmofond – Fundo Nacional de Cinema da Federação da Rússia
Komissar
O Comissário
de Aleksandr Askoldov
com Nonna Mordyukova, Rolan Bykov, Raisa Nedashkovskaya
URSS, 1967 - 110 min
legendado eletronicamente em português | M/12
O título comercial português deste filme deveria ser A COMISSÁRIA pois a personagem principal é uma mulher e a cena culminante é um parto. Mas a palavra russa komissar é neutra, o que suscitou o equívoco. A primeira e única longa-metragem de Aleksandr Alskoldov tornou-se um dos mais célebres “filmes da perestroika”, pois foi imediatamente proibido (mais do que provavelmente por antissemitismo) e só foi autorizado a circular 20 anos depois, obtendo êxito nos circuitos de festivais e de cinemas de arte. A ação passa-se durante a Guerra Civil, quando uma comissária bolchevista, que descobre estar grávida, é acolhida numa aldeia por uma família judia, com quem fica até ao nascimento da criança. Na Cinemateca, não é apresentado desde 1997.
 
18/10/2017, 18h30 | Sala Luís de Pina
A Cinemateca com a Festa do Cinema Francês | Jean-Pierre Melville, O Samurai

Em colaboração com o Institut Français du Portugal
Le Cercle Rouge
O Círculo Vermelho
de Jean¬ Pierre Melville
com Alain Delon, Bourvil, Yves Montand, François Périer, Gian Maria Volonté
França, 1970 - 141 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Uma das grandes obras­‑primas de Melville, que emparelha com LE SAMOURAÏ. A narrativa é um mecanismo perfeito, como a de todo o grande filme policial. É preciso ver a fabulosa sequência da evasão de Gian Maria Volonté do comboio e a do assalto para se ter a noção do que é o cinema de Melville: uma organização onde nada falha e tudo está no seu lugar. Excecional presença dos três atores principais: Alain Delon frio e determinado, Yves Montand, arrombador de cofres alcoólico e Bourvil, célebre ator cómico, que faz aqui a sua despedida ao cinema no pungente papel de um polícia solitário. A apresentar em cópia digital.
 
18/10/2017, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
O Cinema e a Cidade II
Serbis
de Brillante Mendoza
com Gina Pareño, Jaclyn Jose, Julio Diaz, Kristoffer King
Filipinas, 2008 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M/16
Os espaços de um cinema em decadência expõem a transformação do que outrora havia sido um grande auditório, revelando ao mesmo tempo os dramas do quotidiano de uma grande família que explora a sala na cidade filipina de Angeles e aí vive e trabalha. No passado um cinema de prestígio agora convertido ao cinema pornográfico, a sala gerida pela família Pineda transforma-se em ponto de encontro para todo um submundo de drogas e prostituição. Polémico pelo carácter explícito de algumas das suas cenas, SERBIS foi apresentado em Cannes em 2008, assinalando a estreia da presença de Mendoza no Festival. Primeira exibição na Cinemateca.
 
18/10/2017, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Cinema e a Cidade II
NYC Weights and Measures | Do the Right Thing
duração total da projeção: 126 min | M/12
NYC WEIGHTS AND MEASURES
de Jem Cohen
Estados Unidos, 2005 – 6 min / legendado eletronicamente em português
DO THE RIGHT THING
Não dês Bronca
de Spike Lee
com Danny Aiello, Ossie Davis, Ruby Dee, Richard Edson
Estados Unidos, 1989 – 120 min / legendado eletronicamente em português

Jem Cohen e Spike Lee são dois cineastas que sempre atribuíram uma importância particular à cidade de Nova Iorque, contribuindo ativamente para a construção da sua imagem. Entre os muitos filmes que, ao longo de 30 anos, registaram as transformações de espaços citadinos, Cohen realizou NYC WEIGHTS AND MEASURES, uma deriva por Manhattan e Brooklyn filmada com uma Bolex 16 mm, que incorpora as consequências do 11 de setembro. A tensão racial em Brooklyn está bem presente em DO THE RIGHT THING, um dos melhores filmes de Spike Lee que culmina com uma tragédia num quente dia de verão e que, pela sua sintaxe cinematográfica, Scott MacDonald apelidou como um continuador do género das "sinfonias urbanas". O filme de Cohen é uma primeira exibição na Cinemateca e o de Lee, a apresentar em cópia digital, não é visto há muitos anos.
 
18/10/2017, 22h00 | Sala Luís de Pina
A Cinemateca com a Festa do Cinema Francês | Jean-Pierre Melville, O Samurai

Em colaboração com o Institut Français du Portugal
Un Flic
Cai a Noite Sobre a Cidade
de Jean-Pierre Melville
com Alain Delon, Catherine Deneuve, Richard Crenna
França, 1971 - 105 min
legendado eletronicamente em português | M/12
O último filme de Jean-Pierre Melville, o epílogo da sua “trilogia Delon”. Alain Delon é o inspetor Coleman, ligado por fortes laços de amizade e pelo interesse comum numa mulher (Cathy/Catherine Deneuve), ao proprietário de um bar que é também o chefe de um gangue. Este assalta um banco a fim de arranjar dinheiro para uma grande operação de contrabando de droga. Coleman, avisado por um informador, prepara uma armadilha. Em 1988, Serge Daney defendeu UN FLIC como um belo filme – “como todos os grandes realizadores, Melville satisfaz-se a filmar o que, ou seja, quem gosta” – e em 2002, Louis Skorecki escreveu que o último Melville era o mais belo Melville.