27/10/2020, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Doclisboa: A Viagem Permanente – O Cinema Inquieto da Geórgia
Arabeskebi Pirosmanis Temaze | Pirosmani
duração total da projeção: 105 min | M/12
Arte que se Expõe 1
ARABESKEBI PIROSMANIS TEMAZE
“Arabescos sobre o Tema de Pirosmani”
de Serguei Paradjanov
com Aleksandr Djanchiev, Leila Alibegachvili
URSS, 1985 – 21 min / legendado em inglês e eletronicamente em português

PIROSMANI
“Pirosmani”
de Guiorgui Chenguelaia
com Avtandil Varazi, Dodo Abachidze, Zurab Kapianidze
URSS, 1969 – 84 min / legendado em inglês e eletronicamente em português

Enquadrada pelo olhar de Paradjanov, a pintura de Niko Pirosmani (1862-1918) é avivada, justaposta e decomposta, numa organização em capítulos que lhe visita e entrelaça as obras como os arabescos do título. O filme valeu a Paradjanov um curioso prémio em Roterdão, o de Realizador do Futuro. Com PIROSMANI Chenguelaia abordou o dilema entre a integridade artística e o compromisso com o poder, num biopic a um tempo muito livre e muito rigoroso, como se o autor propusesse a liberdade austera e radical de Pirosmani como modelo para a sociedade. Inesquecível no papel principal, um outro pintor fundamental, Avto Varazi.
 
27/10/2020, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Doclisboa: A Viagem Permanente – O Cinema Inquieto da Geórgia
Arachveulebrivi Gamofena
“Uma Exposição Invulgar”
de Eldar Chenguelaia
com Guram Lordkipanidze, Valentina Telitchkina, Vassili Tchkhaidze, Dodo Abachidze
URSS, 1968 - 94 min
legendado em inglês e eletronicamente em português | M/12
Arte que se Expõe 2
Em guerra contra os nazis ou na paz de Kutaissi, onde reside, o escultor Aguli Eristavi só se interessa pela sua arte e pelo seu mármore de Paros com que fará uma obra grandiosa. Enquanto isso não sucede, vai acumulando bustos no cemitério local, onde o seu talento está sempre presente. Metáfora do impasse de uma geração após o Degelo, com um tom de delicado desencanto que o autor jamais perderia na sua análise mordaz da sociedade soviética.
 
27/10/2020, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Dia Mundial do Património Audiovisual
À Bout de Souffle
O Acossado
de Jean-Luc Godard
com Jean Paul Belmondo, Jean Seberg, Daniel Boulanger
França, 1959 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M12
Ao lado de LES 400 COUPS, este é o grande “filme-símbolo” da Nouvelle Vague e um dos filmes que abre as portas do cinema moderno. Foi o primeiro sinal de que, como escreveu Serge Daney, este novo cinema não só não se contentava em sacudir o “antigo”, como ameaçava, literalmente, destruí-lo. À BOUT DE SOUFFLE é um dos filmes que melhor ilustra as consequências práticas e teóricas dos postulados da Nouvelle Vague, fazendo “explodir” o cinema para depois o reinventar. A primeira longa-metragem de Godard resultava, por si mesma, num dos momentos mais decisivos da história do cinema, com Belmondo recriando também um mito clássico, o de Bogart. A apresentar na nova versão digital.