22-12-2014, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Outras Sessões de Dezembro
THE GHOST WRITER
O Escritor Fantasma
de Roman Polanski
com Ewan McGregor, Pierce Brosnan, Olivia Williams, Jon Bernthal
Reino Unido, França, Alemanha, 2010 - 128 min
legendado em português | M/12

Baseado no livro The Ghost, de Robert Harris, o argumento de THE GHOST WRITER (Urso de Prata em Berlim) segue a história de um escritor (Ewan McGregor) que aceita um contrato para completar a autobiografia do ex-primeiro ministro Adam Lang (Pierce Brosnan) como escritor fantasma, embarcando num projeto que parece destinado à turbulência. Um thriller político, por Polanski. “E é neste contexto fantasmático que o filme nos agarra e nos emociona, criando uma tensão crescente, um delírio imagético que nunca cede à facilidade ou à demagogia: de pista em pista, de personagem em personagem, temos um retrato de corpo inteiro da paranoia” (Mário Jorge Torres, Ípsilon). Primeira exibição na Cinemateca.

22-12-2014, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Outras Sessões de Dezembro
RUNNING ON EMPTY
Fuga Sem Fim
de Sidney Lumet
com River Phoenix, Martha Plimpton, Christine Lahti, Judd Hirsch, Jonas Arby
Estados Unidos, 1988 - 115 min
legendado em português | M/12

Danny Pope/Michael Manfield (River Phoenix) viveu toda a sua vida com uma falsa identidade. É o filho mais velho de um casal que, no início dos anos setenta, fez explodir um laboratório em protesto contra a guerra do Vietname e que, desde então, foge ao FBI. Se os pais fizeram as suas escolhas, Danny quer fazer a sua, mas sair da clandestinidade implica uma opção: ou nunca mais vê a família, ou faz com que ela seja apanhada. Um dos mais aclamados filmes de Lumet.

22-12-2014, 19h30 | Sala Luís de Pina
Outras Sessões de Dezembro
PEAU D'ÂNE
A Princesa com Pele de Burro
de Jacques Demy
com Catherine Deneuve, Jacques Perrin, Delphine Seyrig, Jean Marais
França, 1970 - 90 min
legendado em português | M/6

Neste filme, Demy assume plenamente o lado feérico do seu cinema e mergulha-nos num conto de fadas, sobre um princesa com quem o próprio pai quer casar-se. Fugirá de casa, fingirá ser camponesa e acabará por se casar com o seu príncipe encantado. O filme também é uma homenagem a um dos clássicos do cinema francês, LA BELLE ET LA BÊTE, de Jean Cocteau. Este conto de fadas é entremeado com variadas canções, que vão de um dueto de amor a uma receita de bolos. A música é de Michel Legrand.

22-12-2014, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Outras Sessões de Dezembro
AS BODAS DE DEUS
de João César Monteiro
com Rita Durão, João César Monteiro, Joana Azevedo, José Airosa, Manuela de Freitas, Luís Miguel Cintra
Portugal, 1998 - 150 min | M/16

É o último filme da trilogia de João de Deus. No princípio, quando tudo parece perdido, duas sombras, as de Deus e do Enviado de Deus, encontram-se num parque solitário e uma mala cheia de dinheiro transforma o vadio João de Deus num distinto e milionário Barão… o que não o impede de acabar a cumprir pena na prisão, para onde é atirado por uma mulher que lhe rouba o "rico dinheirinho". E é na cela de prisão que tem lugar uma das mais arrepiantes sequências de AS BODAS, com João de Deus agarrado às grades numa desesperada fruição de Puccini. Outra, magnífica, é a da refeição de cozido no convento com João de Deus e a Madre Bernarda. O fim da comédia é anunciada no fim do filme por Joana, jovem resgatada das águas a quem, na prisão, João de Deus cita Bresson: “Que estranho caminho tive que percorrer para chegar até ti”.

22-12-2014, 22h00 | Sala Luís de Pina
Outras Sessões de Dezembro
LAST EXIT TO BROOKLYN
A Última Saída para Brooklyn
de Uli Edel
com Jennifer Jason Leigh, Stephen Lang, Burt Young, Peter Dobson
Estados Unidos, Reino Unido, RFA, 1989 - 102 min
legendado em português | M/18

Ambientado no meio operário de Brooklyn nos anos cinquenta, a partir do romance homónimo de Hubert Selby Jr. (1964), LAST EXIT TO BROOKLYN centra-se no quotidiano de um grupo de prostitutas, sindicalistas e drag queens que coabitam com uma dura realidade de crime, violência e drogas. “LAST EXIT TO BROOKLYN é sombrio e eloquente. As cenas das greves são das mais duras algumas vez rodadas num filme de ficção. O filme capta a atenção desde os planos iniciais que, fotografados a cores, têm o ambiente de um dos primeiros trabalhos a preto e branco de Fritz Lang, através de uma série de codas que, como em Beethoven, ameaçam nunca parar” (Vincent Canby, The New York Times).