CICLO
Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema


A relação entre o cinema e a Idade Média recua no tempo até ao alvorecer do nascimento do cinema.  Pelo menos desde 1900, ano em que Georges Méliès filmou Jeanne d’Arc, focado na figura da mártir francesa medieval, que a produção de filmes inspirados nesse período tem sido uma constante. Além de antiga, esta produção é transversal aos diversos géneros cinematográficos, a várias indústrias cinematográficas e a realizadores com interesses muito diversos, que, numa ou em várias alturas das suas carreiras, se têm debruçado sobre temáticas medievais. O cinema revela-se assim como um campo de criação artística incontornável para conhecer os usos e visões do passado medieval nos séculos XX e XXI. Este é o tema do presente Ciclo, fruto de uma parceria de programação entre a Cinemateca Portuguesa e o grupo de investigação inter-universitário  “Using the Past. The Middle Ages in the Spotlight”.
É uma retrospetiva menos convencional quanto à escolha dos filmes, pois foi desenhada de acordo com três critérios que não o apenas o dos «grandes clássicos» do cinema sobre a Idade Média. O primeiro foi evidentemente o da relevância simultaneamente estética e temática dos filmes escolhidos. Em segundo lugar, procurou-se uma abordagem que fugisse da visão eurocêntrica e permitisse analisar até que ponto o período histórico que, noutras regiões globais, corresponde à Idade Média europeia, tem sido alvo de análise e exploração pela criação cinematográfica. Assim, as longas-metragens escolhidas são provenientes de vinte países diferentes, numa escala que engloba a Europa, a Ásia, a África e a América. Esta seleção permite ainda refletir sobre os problemas que supõe tentar analisar outras regiões globais, para além da Europa, sob o prisma dos conceitos e da periodização histórica convencional criada no seio da historiografia europeia. O terceiro critério estabelecido diz respeito ao próprio conteúdo dos filmes. Em termos gerais e, de forma transversal, este ciclo debruça-se sobre a Idade Média enquanto período histórico e enquanto ideia e construção mental. Assim, ele mostra de forma evidente até que ponto o cinema mergulha no período medieval através de obras literárias, ensaios ou peças musicais produzidas em época moderna e contemporânea, nomeadamente no século XIX, altura em que se consolidaram duas grandes visões antagónicas sobre a Idade Média europeia: uma visão essencialmente positiva, romântica e idealizada e outra negativa, de natureza grotesca, que realça a identificação desta época com uma “Idade das Trevas”. Por outro lado, através da abordagem dos temas nos filmes selecionados, pretende-se analisar a presença da Idade Média no cinema à luz de questões e desafios importantes para a sociedade contemporânea, entre as quais as de género, a religião ou a política. Neste sentido, é importante destacar como o cinema, enquanto meio de criação artística, mas também veículo de cultura popular, é filho do seu tempo; como tal, a visão de um episódio ou de uma figura histórica medieval num filme das primeiras décadas do século XX nunca é a mesma que a de uma obra de inícios do século XXI. 
A retrospetiva Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema inclui um total de vinte e três longa-metragens (incluindo três longa-metragens pensadas para o público infantil e juvenil a exibir na Cinemateca Júnior) e uma sessão de curta-metragens portuguesas, a qual pretende oferecer uma pequena amostra da riqueza, em termos estéticos e temáticos, da criação cinematográfica nacional, ainda muito pouco explorada do ponto de vista dos estudos do chamado cine-medievalismo. Devido aos critérios adotados na escolha dos filmes, mas também a outras circunstâncias, o ciclo não inclui alguns filmes, tanto ou mais relevantes, situados na Idade Média europeia. Por exemplo, estão ausentes, nesta seleção, obras importantes de realizadores como Pier Paolo Pasolini (a quem a Cinemateca dedicou uma retrospetiva alargada este ano), Ingmar Bergman, Andrei Tarkovski ou Sergei Eisenstein (estes três por o atual detentor de direitos para Portugal, a Leopardo Filmes, não autorizar a sua exibição na Cinemateca).
Em suma, o Ciclo abrange apenas uma pequena parte da imensidão de filmes existentes que abordam episódios, figuras ou contextos históricos alusivos à Idade Média. Mas entre constrangimentos e opções de escolha procurámos assegurar o acesso a filmes que possam ajudar a compreender o presente à luz das fabulações desse passado histórico.
 
 
02/12/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema

Monty Python and the Holy Grail
Monty Python e o Cálice Sagrado
de Terry Gilliam, Terry Jones
Grã-Bretanha, 1975 - 90 min
 
02/12/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema

Die Nibelungen
Os Nibelungos | 1ª Parte: Siegfrieds Tod/A Morte de Siegfried
de Fritz Lang
Alemanha, 1924 - 139 min
03/12/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema

Monty Python and the Holy Grail
Monty Python e o Cálice Sagrado
de Terry Gilliam, Terry Jones
Grã-Bretanha, 1975 - 90 min
03/12/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema

Die Nibelungen
Os Nibelungos | 2ª Parte: Kriemhilds Rache/A Vingança de Kriemhild
de Fritz Lang
Alemanha, 1924 - 145 min
05/12/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema

La Passion de Jeanne d’Arc
A Paixão de Joana d’Arc
de Carl Th. Dreyer
França, 1928 - 107 min
02/12/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema
Monty Python and the Holy Grail
Monty Python e o Cálice Sagrado
de Terry Gilliam, Terry Jones
com Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Michael Palin
Grã-Bretanha, 1975 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M/12
sessão com apresentação
A primeira incursão dos delirantes Monty Python no cinema depois do sucesso da série televisiva Monty Python and the Flying Circus, investiu com o seu humor truculento e iconoclasta sobre a lenda do Rei Artur e dos Cavaleiros da Távola Redonda na busca pelo Santo Graal. Absolutamente irresistível, é uma paródia dos filmes medievais como nenhuma outra antes ou depois o cinema já conheceu.
 
02/12/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema
Die Nibelungen
Os Nibelungos | 1ª Parte: Siegfrieds Tod/A Morte de Siegfried
de Fritz Lang
com Paul Richter, Margarethe Schon, Hanna Ralph, Theodor Loos
Alemanha, 1924 - 139 min
mudo, com intertítulos em alemão, legendados eletronicamente em português | M/12
Dividido em duas partes, A MORTE DE SIEGFRIED e A VINGANÇA DE KRIEMHILD, DIE NIEBELUNGEN é o grande monumento épico e mitológico do cinema mudo alemão. Os mitos nórdicos cantados por Wagner no Anel do Nibelungo encontram em Fritz Lang o “tradutor” perfeito para o cinema. A saga heróica da primeira parte dá lugar ao combate sem tréguas e caótico da segunda. “SIEGFRIED é um filme de luz, exteriores (mesmo que tudo seja filmado em estúdio), canto épico sobre um herói mítico. KRIEMHILD é um filme de sombras, interiores (quase tudo decorre dentro do forte de Etzel e na sala do banquete, em particular durante o longo combate final), e sobre paixões humanas” (Manuel Cintra Ferreira).
 
03/12/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema
Monty Python and the Holy Grail
Monty Python e o Cálice Sagrado
de Terry Gilliam, Terry Jones
com Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Michael Palin
Grã-Bretanha, 1975 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M/12
A primeira incursão dos delirantes Monty Python no cinema depois do sucesso da série televisiva Monty Python and the Flying Circus, investiu com o seu humor truculento e iconoclasta sobre a lenda do Rei Artur e dos Cavaleiros da Távola Redonda na busca pelo Santo Graal. Absolutamente irresistível, é uma paródia dos filmes medievais como nenhuma outra antes ou depois o cinema já conheceu.
 
03/12/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema
Die Nibelungen
Os Nibelungos | 2ª Parte: Kriemhilds Rache/A Vingança de Kriemhild
de Fritz Lang
com Paul Richter, Margarethe Schon, Hanna Ralph, Theodor Loos
Alemanha, 1924 - 145 min
mudo, com intertítulos em alemão, legendados eletronicamente em português | M/12
Dividido em duas partes, A MORTE DE SIEGFRIED e A VINGANÇA DE KRIEMHILD, DIE NIEBELUNGEN é o grande monumento épico e mitológico do cinema mudo alemão. Os mitos nórdicos cantados por Wagner no Anel do Nibelungo encontram em Fritz Lang o “tradutor” perfeito para o cinema. A saga heróica da primeira parte dá lugar ao combate sem tréguas e caótico da segunda. “SIEGFRIED é um filme de luz, exteriores (mesmo que tudo seja filmado em estúdio), canto épico sobre um herói mítico. KRIEMHILD é um filme de sombras, interiores (quase tudo decorre dentro do forte de Etzel e na sala do banquete, em particular durante o longo combate final), e sobre paixões humanas” (Manuel Cintra Ferreira).
 
05/12/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Luz e Sombra - Representações da Idade Média no Cinema
La Passion de Jeanne d’Arc
A Paixão de Joana d’Arc
de Carl Th. Dreyer
com Renée Falconetti, Antonin Artaud, Michel Simon
França, 1928 - 107 min
mudo, com intertítulos em norueguês, legendados eletronicamente em português | M/12
Com LA PASSION DE JEANNE D’ARC, Dreyer leva a estética do grande plano ao seu momento mais sublime. Tudo decorre durante o processo que condena Joana à fogueira, com Dreyer opondo o seu rosto humilde e iluminado a uma assombrosa galeria de rostos, onde a mais pequena expressão está carregada de sentido. Um dos grandes clássicos da História do cinema e o mais belo filme sobre Joana d’Arc, com uma intérprete de eleição: Falconetti. Um filme mudo que se ouve no seu silêncio.