março de 2021
dstqqss
28123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo


A Cinemateca associa-se à segunda edição do ciclo de encontros O que é o Arquivo?, uma iniciativa do Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca, que se organiza anualmente através de laboratórios, encontros de trabalho e discussão, em que esta pergunta é colocada a partir de campos de trabalho específicos. Prolongando a discussão de um Laboratório 1: Arte/Arquivo (Fundação Calouste Gulbenkian, março de 2017), em que foram exploradas as relações entre o Arquivo e a Arte na produção artística contemporânea portuguesa, neste Laboratório 2: Cinema/Arquivo, a proposta é cartografar as relações entre as imagens em movimento e os modos do seu arquivamento e explorar os seus efeitos no contexto da criação. Ao longo de três dias, estas perguntas estão distribuídas em três mesas de trabalho/sessões-conferência que propõem uma entrada particular no campo aberto pelo cruzamento entre o Arquivo e o Cinema: o trabalho com imagens pré-existentes e o paralelismo entre esse trabalho na prática fílmica e nos arquivos do cinema; as práticas arqueológicas que, no cinema, trabalham sobre os campos cegos do arquivo e mostram que este é também feito de buracos, ausências, destruições, esquecimentos; a ação disciplinar da programação e as práticas que subvertem o princípio programático do Arquivo e do Cinema. Cada mesa de trabalho é iniciada por uma projeção, seguindo-se a discussão entre criadores, investigadores, programadores e arquivistas. Com exceção de SANS SOLEIL, longa-metragem de Chris Marker que dialoga com as sessões já referidas, e de PERFECT FILM, todos os restantes filmes têm as primeiras exibições na Cinemateca. No dia 19, às 21h, será lançado na livraria Linha de Sombra o livro resultante da primeira edição do ciclo encontros O que é o Arquivo?
 
As três sessões-conferência são de entrada gratuita mediante o levantamento de ingresso na bilheteira | as intervenções em língua estrangeira têm tradução simultânea
 
 
18/04/2018, 18h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Perfect Film | A Movie | You Tube Trilogy (Versão)
duração total da projeção: 67 min
 
18/04/2018, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Sans Soleil
de Chris Marker
França, 1983 - 100 min
19/04/2018, 18h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Arbeiter Verlassen die Fabrik | The Pixelated Revolution | Journal No.1 – An Artist's Impression
duração total da projeção: 79 min
20/04/2018, 18h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Found Found Found | Black Code/Code Noir | Pieces and Love all to Hell
duração total da projeção: 99 min
18/04/2018, 18h00 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Em colaboração com o Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca
Perfect Film | A Movie | You Tube Trilogy (Versão)
duração total da projeção: 67 min
legendados eletronicanente em português | M/12
1. Apropriação

Contrariamente ao que está anunciado, Eric de Kuyper não poderá estar presente na sessão devido a motivos imprevistos alheios à organização dos encontros.

Projeção seguida de intervenções de Tiago Baptista e Manuel Mozos.
PERFECT FILM
de Ken Jacobs
Estados Unidos, 1986 – 22 min
A MOVIE
de Bruce Conner
Estados Unidos, 1958 – 12 min
YOU TUBE TRILOGY (VERSÃO)
de James Benning
Estados Unidos, 2010 – 33 min

O trabalho com imagens pré-existentes e o paralelismo entre esse trabalho na prática fílmica e nos arquivos do cinema é a questão em torno da qual se organiza esta sessão dedicada à “Apropriação”. Partimos para a discussão com um conjunto de filmes cuja condição varia entre gestos próximos do “ready-made” e práticas de apropriação que justapõem materiais de origem diversa através da montagem, obras que apontam ainda para uma metamorfose do "found footage" conotada com uma transição para um universo digital, no qual as imagens dos "arquivos tradicionais" convivem com imagens de toda uma pluralidade de plataformas. Intervenções em torno do projeto BITS & PIECES e do trabalho com “imagens de arquivo” no contexto do cinema português prolongarão este debate. 
 
18/04/2018, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Em colaboração com o Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca
Sans Soleil
de Chris Marker
com Florence Delay, Arielle Dombasle, Riyoko Ikeda, Charlotte Kerr, Kim Novak, James Stewart
França, 1983 - 100 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Uma mulher narra os pensamentos de um viajante em SANS SOLEIL, baseado nas cartas de Sandor Krasna e construído como uma travessia do olhar pelo mundo, em que a realidade é evocada através da palavra. O Japão, Cabo Verde e a Guiné Bissau são os principais lugares visitados por tal viajante que atravessa o tempo. SANS SOLEIL é, juntamente com LA JETÉE, um dos filmes mais influentes e radicais de Chris Marker e uma obra em que, à semelhança de outros trabalhos do cineasta, as imagens por ele filmadas e as imagens recicladas a partir de arquivos de origem diversa, confluem até à indistinção, adquirindo todo um potencial para reativar a memória e a imaginação. A apresentar em cópia digital.
 
19/04/2018, 18h00 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Em colaboração com o Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca
Arbeiter Verlassen die Fabrik | The Pixelated Revolution | Journal No.1 – An Artist's Impression
duração total da projeção: 79 min
legendados eletronicamente em português | M/12
2. Arqueologia

projeção seguida de intervenções de Susana de Sousa Dias, Christa Blümlinger, Jürgen Bock
ARBEITER VERLASSEN DIE FABRIK
"Operários ao Sair da Fábrica"
de Harun Farocki
Alemanha, 1995 – 36 min
THE PIXELATED REVOLUTION
de Rabih Mroué
Líbano, 2012 – 22 min
JOURNAL No.1 – AN ARTIST'S IMPRESSION
de Hito Steyerl
Alemanha, 2007 – 21 min

A segunda das mesas de trabalho / sessões-conferência centra-se nas práticas arqueológicas que, no cinema, trabalham sobre os campos cegos do arquivo e mostram que este também é constituído por ausências e esquecimentos, ou seja, aborda a capacidade descritiva do cinema, de pelos seus próprios meios servir para inquirir o arquivo audiovisual contemporâneo, manifestando os contracampos ausentes das imagens. Os filmes de Harun Farocki, Rabih Mroué e Hito Steyerl, mas também as intervenções de Susana de Sousa Dias, Christa Blümlinger e Jürgen Bock alimentarão toda esta discussão.
 
20/04/2018, 18h00 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que é o Arquivo? Cinema/Arquivo

Em colaboração com o Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca
Found Found Found | Black Code/Code Noir | Pieces and Love all to Hell
duração total da projeção: 99 min
legendados eletronicamente em português | M/12
3. Programação

projeção seguida de intervenções de Nuno Lisboa, Inhabitants (vídeo conferência), Lara Baladi (vídeo conferência), Constant – Association pour l'Art et les Médias (vídeo conferência) e Jonathan Beller
FOUND FOUND FOUND
de Dirk de Bruyn
Austrália, 2014 – 18 min
BLACK CODE/CODE NOIR
de Louis Henderson
França, 2015 – 20 min
PIECES AND LOVE ALL TO HELL
de Dominic Gagnon
Canadá, 2011 – 61 min
 
Uma sessão dedicada à ação disciplinar da programação e às práticas que subvertem o princípio programático do Arquivo e do Cinema num contexto de profundas transformações tecnológicas, em que se propõe observar e debater as práticas criativas que, pelos meios disponibilizados pelas tecnologias digitais, fazendo a crítica do Arquivo, estão a criar novos e múltiplos arquivos, mais ou menos informais, todos eles radicais. A apresentação e discussão de alguns desses arquivos estará na base de várias das intervenções após a projeção dos filmes de Dirk de Bruyn, Louis Henderson e Dominic Gagnon, que recorrem a uma pluralidade de imagens em grande parte recolhidas “online”, a que se acrescentará a intervenção final de Jonathan Beller.