agosto de 2017
dstqqss
303112345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
3456789
Ciclos
Pesquisa
CICLO
História Permanente do Cinema Português


De novo, nesta rubrica, uma exceção que não o é totalmente – um dos filmes realizados por coletivos estrangeiros no Portugal de 1974/75, até hoje não conservado em Portugal e cuja preservação no nosso país está agora a ser considerada –, e a segunda longa-metragem de um realizador marcante das gerações iniciadas nos anos oitenta que de há muito construiu uma forte identidade, baseada, entre outras recorrências, numa singularíssima relação com os atores.
 
 
06/04/2017, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo História Permanente do Cinema Português

Filha da Mãe
de João Canijo
Portugal, França, 1990 - 105 min | M/16
 
27/04/2017, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo História Permanente do Cinema Português

Viva Portugal!
de Malte Rauch, Christiane Gerhards, Serge July, Samuel Schirmbeck
RFA, França, 1975 - 110 min | M/12
06/04/2017, 18h30 | Sala Luís de Pina
História Permanente do Cinema Português
Filha da Mãe
de João Canijo
com José Wilker, Rita Blanco, Lídia Franco, Diogo Dória, Miguel Guilherme, Adriano Luz
Portugal, França, 1990 - 105 min | M/16
Com a presença de João Canijo
Recebida, à época com reações desencontradas e nalguns casos divididas entre elogios e reservas, a segunda longa-metragem de João Canijo teve à partida o mérito de não ter deixado ninguém indiferente. Farsa que se volve em tragédia (ou vice-versa?), ensaio sobre personagens e atores e sobre as suas relações mútuas tendo como pano de fundo a própria interrogação sobre o ato de representar – a relação entre filha e mãe desdobrada no confronto Electra-Clitemnestra da tragédia grega –, o filme é um salto importante no percurso de um realizador que, até hoje, não parou de dá-los, em particular nessa área do trabalho com os atores. Para além do habitual reconhecimento da fortíssima presença destes (com grande destaque, também aqui, para Rita Blanco), será contudo cada vez mais apropriado falar-se, em relação a este percurso, de uma conceção inteira da realização cinematográfica desenvolvida, a um nível raro entre nós, a partir do diálogo, do confronto, da circulação dos gestos humanos tout court. Primeira exibição na Cinemateca.
 
27/04/2017, 18h30 | Sala Luís de Pina
História Permanente do Cinema Português
Viva Portugal!
de Malte Rauch, Christiane Gerhards, Serge July, Samuel Schirmbeck
RFA, França, 1975 - 110 min | M/12
Com a presença de Malte Rauch
VIVA PORTUGAL! é um dos filmes realizados por autores estrangeiros que aqui se deslocaram para auscultar o país saído do golpe militar de 1974, neste caso centrando-se nos acontecimentos políticos ocorridos entre abril de 1974 e março de 1975. Como aconteceu com outros, a realização foi coletiva, tendo resultado de filmagens e colaborações várias de um grupo de jornalistas franceses e da RFA em que se incluíam Christiane Gerhards, Malte Rauch, Samuel Schirmbeck e Serge July (um dos fundadores do jornal Libération), aos quais se juntou o produtor Marin Karmitz, que o veio a distribuir em França. Também como aconteceu em outros casos, o filme reúne material original e excertos incorporados de outros registos, incluindo imagens de televisão. Sendo mais um elo numa cadeia de olhares, internos e externos, que confluíram sobre um país em convulsão e catarse, é mais uma peça de um puzzle hoje ainda parcialmente disperso, que continuamos a procurar salvaguardar também em Portugal. Primeira exibição na Cinemateca, a apresentar na versão portuguesa.