julho de 2020
dstqqss
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Da coleção de Vítor Ribeiro


Vítor Ribeiro, ou Maçariku, “nome de guerra” pelo qual o próprio fez questão de ser chamado e conhecido, fez de tudo no cinema, no teatro, em organizações políticas e associações culturais. Lutou pela liberdade dentro e fora da cabeça, contra o racismo, o militarismo, a exploração. Trocava artes, coisas e ideias, fazia com e para os outros e colecionava amigos no meio disso. Organizou centenas de encontros e concertos, participou em grandes e pequenos combates, fez de tudo com rebeldia, resistiu até não mais poder. Maçariku cultivou as amizades como quem semeia desobediência, entusiasmo, internacionalismo. Foi também um colecionador compulsivo. Entre tanta coisa deixou também uma coleção de filmes, de posters, cartazes e cartonados, de máquinas do filmar, de projetores de cinema nos mais variados formatos, de lanternas mágicas, etc., etc.. Parte substancial dessa “coleção” foi depositada na Cinemateca. A partir de 2006 foi um dos colaboradores regulares deste casa na legendagem de sessões de cinema. Morreu em agosto passado, e deixou tanta coisa, tanta gente. A Cinemateca, neste mês de janeiro, associa-se à Casa da Achada – Cento Mário Dionísio homenageando e lembrando um amigo, exibindo seis filmes da sua coleção pessoal.

 
19/01/2015, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Da coleção de Vítor Ribeiro

LA BANDERA
A Bandeira
de Julien Duvivier
França, 1935 - 90 min
 
20/01/2015, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Da coleção de Vítor Ribeiro

MILOU EN MAI
Os Malucos de Maio
de Louis Malle
França, Itália, 1990 - 107 min
21/01/2015, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Da coleção de Vítor Ribeiro

SOIS BELLE ET TAIS TOI
A Bela e os Gangsters
de Marc Allégret
França, 1958 - 110 min
22/01/2015, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Da coleção de Vítor Ribeiro

À PROPOS D’UNE RIVIÈRE | PORTUGAL’S MEN OF THE SEA
duração total da sessão: 50 min | M/12
26/01/2015, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Da coleção de Vítor Ribeiro

STATCHKA
Greve
de Sergei M. Eisenstein
URSS, 1924 - 80 min
19/01/2015, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Da coleção de Vítor Ribeiro
LA BANDERA
A Bandeira
de Julien Duvivier
com Jean Gabin, Pierre Renoir, Robert Le Vigan, Annabella
França, 1935 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M/12

Depois de matar um homem em Paris, o protagonista foge para Barcelona e alista-se na Legião Estrangeira, sendo enviado para Marrocos, onde morre heroicamente em combate. À época, um dos trunfos do filme, rodado na zona espanhola de Marrocos, foi o mito da Legião Estrangeira e o das aventuras coloniais. É o primeiro filme dos vários temas que acompanharam Jean Gabin nos seus anos de ouro: o fatalismo, a dureza, a derrota final como forma indireta de vitória.

20/01/2015, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Da coleção de Vítor Ribeiro
MILOU EN MAI
Os Malucos de Maio
de Louis Malle
com Miou-Miou, Michel Piccoli, Michel Duchaussoy, Bruno Carette
França, Itália, 1990 - 107 min
legendado eletronicamente em português | M/12

O maio deste filme de Louis Malle é o de 1968. O ambiente é o campo do sul de França. O meio o da burguesia: uma velha senhora morre. A família junta-se para discutir a herança, enquanto, em Paris, a revolução começa.

21/01/2015, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Da coleção de Vítor Ribeiro
SOIS BELLE ET TAIS TOI
A Bela e os Gangsters
de Marc Allégret
com Henri Vidal, Milène Demongeot, Jean-Paul Belmondo, Anne Collette, Alain Delon
França, 1958 - 110 min
legendado eletronicamente em português | M/12

Ao fugir pela terceira vez de um reformatório, Virginie vê-se acidental e inocentemente envolvida com um gangue de ladrões de joias. As coisas complicam-se quando se apaixona pelo polícia que os persegue. Com argumento de Roger Vadim, o filme foi pensado para Brigitte Bardot. Por impossibilidade desta, o papel foi confiado a Milène Demongeot, que teve neste filme a sua estreia como protagonista, numa tentativa de a promover a sex symbol. Jean-Paul Belmondo e Alain Delon fazem os seus primeiros papéis relevantes. Primeira exibição na Cinemateca.

22/01/2015, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Da coleção de Vítor Ribeiro
À PROPOS D’UNE RIVIÈRE | PORTUGAL’S MEN OF THE SEA
duração total da sessão: 50 min | M/12

À PROPOS D’UNE RIVIÈRE
de Georges Franju
França, 1955 – 25 min / legendado eletronicamente em português
PORTUGAL’S MEN OF THE SEA
de George Sluizer
EUA, 1968 – 25 min / legendado eletronicamente em português

Entre 1949, ano em que realizou LE SANG DES BÊTES, a sua primeira curta-metragem a “solo” (e de longe a mais famosa e mais vista) e 1959, em que assinou LA TÊTE CONTRE LES MURS, a sua primeira longa, Franju fez mais de uma dúzia de curtas-metragens documentais que, por várias razões, ficaram na sombra, sendo raramente exibidos. Foi assim com MON CHIEN (1955), exibido na Cinemateca em setembro, no Ciclo dedicado a Henri Langlois, e é assim com este poema sobre a pesca do salmão realizado pelo autor no mesmo ano. Completa a sessão PORTUGAL’S MEN OF THE SEA, um documentário produzido pela National Geographic e realizado por George Sluizer (lembram-se de MORTINHO POR CHEGAR A CASA, com Herman José, e de A JANGADA DE PEDRA?) sobre a frota portuguesa da pesca ao bacalhau. Primeiras exibições na Cinemateca.
 

26/01/2015, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Da coleção de Vítor Ribeiro
STATCHKA
Greve
de Sergei M. Eisenstein
com I. Kliuvin, Alexandr Antonov, I. Ivanov
URSS, 1924 - 80 min
mudo, intertítulos em russo legendados em inglês | M/12

A primeira longa-metragem de Eisenstein encena uma greve numa fábrica russa no começo do século XX. Ao realizá-la, Eisenstein tinha atrás de si muita experiência em espetáculos teatrais vanguardistas do grupo Proletkult (“cultura proletária”) e estas experiências marcam o filme, assim como as técnicas do grupo de cineastas da FEKS (“Fábrica do Ator Excêntrico”), de Leninegrado. Em GREVE, Eisenstein põe em prática as suas célebres ideias sobre a “montagem de atrações”, fazendo nascer ideias através da associação de planos e criando metáforas visuais. Um dos grandes clássicos de sempre.