julho de 2020
dstqqss
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Marilyn


Marilyn Monroe é a mais e a menos cadente das estrelas. A mais incandescente. Passaram 50 anos sobre a sua morte em agosto de 1962 (Norma Jean Mortenson, também conhecida como Norma Jean Baker, nasceu 36 anos antes, em junho de 1926) sem que passasse a inesgotável atração que o mundo sente por ela, a partir das imagens que o cinema devolve, e das que muitos fotógrafos muito inspirados foram fixando, de um modo ou de outro também elas ligadas ao cinema, à qualidade de movie star, uma movie star platinada de medidas perfeitas, aura de alcance não mensurável, enigmatismo teimoso. “Morreu a mais bela mulher do mundo / Tão bela que não era assim bela / como mais que chamar-lhe marilyn / devíamos mas era reservar apenas para ela / o seco sóbrio simples nome de mulher / em vez de marilyn dizer mulher”, escreveu Ruy Belo no início do seu poema Na Morte de Marilyn, aqui indicado em nome das muitas das melhores palavras que Marilyn fez escrever.
Foi filmada por Huston (THE ASPHALT JUNGLE, um dos primeiros papeis de revelação; THE MISFITS, o último filme acabado, escrito por Norman Mailer em arrepiante retrato na pele de uma melancólica e luminosa Roslyn), Mankiewicz (ALL ABOUT EVE), Lang (CLASH BY NIGHT), Roy Ward Baker (DON’T BOTHER TO KNOCK, o filme do primeiro papel protagonista em 1952), Hathaway, Hawks e Negulesco (NIAGARA, GENTLEMEN PREFER BLONDES e HOW TO MARRY A MILLIONAIRE, os três de 1953), Otto Preminger e Walter Lang (RIVER OF NO RETURN e THERE’S NO BUSINESS LIKE SHOW BUSINESS, de 1954), Billy Wilder (THE SEVEN YEAR ITCH e SOME LIKE IT HOT, de 1955 e 1959), Joshua Logan (BUS STOP), Laurence Olivier (THE PRINCE AND THE SHOWGIRL, 1957) e Cukor (LET’S MAKE LOVE, e o inacabado SOMETHING’S GOT TO GIVE, de que existem, entre as mais célebres, as imagens na piscina muito azul, filmadas em 1962, para o remake de uma comédia screwball de 1940, MY FAVOURITE WIFE). Chegou a Hollywood, à Fox, pela carreira de modelo, e levou algum tempo a impor-se (da lista constam LADIES OF THE CHORUS de Phil Carlson, LOVE HAPPY de David Miller, A TICKET TO TOMAHAWK de Richard Sale, RIGHT CROSS de Sturges, THE FIREBALL de Tay Garnett), porta que o filme de John Huston lhe abriu para uns esplendorosos anos cinquenta. Fez de “dumb blonde” numa série de filmes, comédias e musicais de Hollywood enquanto, em Nova Iorque, estudava com Lee Strasberg no Actor Studio. Foi sempre profundamente desarmante. Entregou-se vulnerável, como nunca antes em THE MISFITS, filmado no meio do deserto, onde ela irradia luz. É um dos onze filmes de Marilyn que voltam este setembro.

 
10/09/2012, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Marilyn

Niagara
Niagara
de Henry Hathaway
Estados Unidos, 1953 - 92 min
 
10/09/2012, 21h30 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Ciclo Marilyn

Let's Make Love
Vamo-nos Amar
de George Cukor
Estados Unidos, 1960 - 115 min
12/09/2012, 19h00 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Ciclo Marilyn

Gentlemen Prefer Blondes
Os Homens Preferem as Loiras
de Howard Hawks
Estados Unidos, 1953 - 90 min
12/09/2012, 22h00 | Sala Luís de Pina
Ciclo Marilyn

Let's Make Love
Vamo-nos Amar
de George Cukor
Estados Unidos, 1960 - 115 min
14/09/2012, 19h00 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Ciclo Marilyn

Bus Stop
Paragem de Autocarro
de Joshua Logan
Estados Unidos, 1955 - 95 min
10/09/2012, 19h30 | Sala Luís de Pina
Marilyn
Niagara
Niagara
de Henry Hathaway
com Marilyn Monroe, Joseph Cotten, Jean Peters, Casey Adams
Estados Unidos, 1953 - 92 min
legendado em espanhol

Famosíssimo filme, que bastaria para "imortalizar" as cataratas do Niagara... Um dos papéis dramáticos importantes de Marilyn Monroe, numa história com ecos de film noir: Cansada de um marido mentalmente instável (Cotten), a personagem de Marilyn planeia com o amante fazê-lo desaparecer, utilizando para isso todas as possibilidades oferecidas pelas cataratas. A fotografia de Joseph MacDonald faz maravilhas com a espetacular paisagem.

10/09/2012, 21h30 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Marilyn
Let's Make Love
Vamo-nos Amar
de George Cukor
com Marilyn Monroe, Yves Montand, Tony Randall
Estados Unidos, 1960 - 115 min
legendado em espanhol

Cukor encontra Marilyn Monroe. LET’S MAKE LOVE foi o primeiro encontro do “cineasta das mulheres” com a mulher por excelência da década de cinquenta, que congregou todos os símbolos femininos (o segundo SOMETHING’S GOT TO GIVE, ficou incompleto devido à morte da atriz), tendo por pano de fundo o mundo do espetáculo e a paixão de um milionário por uma corista. No filme, aparecem como convidados Bing Crosby, Gene Kelly e Milton Berle interpretando os próprios papeis.

12/09/2012, 19h00 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Marilyn
Gentlemen Prefer Blondes
Os Homens Preferem as Loiras
de Howard Hawks
com Marilyn Monroe, Jane Russell, Charles Coburn, Tommy Noonan
Estados Unidos, 1953 - 90 min
legendado em espanhol

Um dos sucessos editoriais dos anos vinte, Gentlemen Prefer Blondes teve, nessa época, uma primeira adaptação ao cinema, hoje esquecida. Hawks utilizou a adaptação da Broadway da mesma obra, como inspiração para uma das suas mais provocantes comédias à volta do sexo (Jane Russell e a equipa olímpica americana, Marilyn e o garoto milionário, são duas sequências em que a provocação se torna quase escabrosa). Duas cantoras, Jane e Marilyn (a “devoradora de diamantes”), partem para Paris à caça de maridos ricos. Delas as duas, é o filme de canções como We Are Just Two Little Girls From Little Rock e Diamonds Are a Girl’s Best Friends.

12/09/2012, 22h00 | Sala Luís de Pina
Marilyn
Let's Make Love
Vamo-nos Amar
de George Cukor
com Marilyn Monroe, Yves Montand, Tony Randall
Estados Unidos, 1960 - 115 min
legendado em espanhol

Cukor encontra Marilyn Monroe. LET’S MAKE LOVE foi o primeiro encontro do “cineasta das mulheres” com a mulher por excelência da década de cinquenta, que congregou todos os símbolos femininos (o segundo SOMETHING’S GOT TO GIVE, ficou incompleto devido à morte da atriz), tendo por pano de fundo o mundo do espetáculo e a paixão de um milionário por uma corista. No filme, aparecem como convidados Bing Crosby, Gene Kelly e Milton Berle interpretando os próprios papeis.

14/09/2012, 19h00 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Marilyn
Bus Stop
Paragem de Autocarro
de Joshua Logan
com Marilyn Monroe, Don Murray, Arthur O'Connell, Hope Lange, Betty Field, Eileen Eckhart
Estados Unidos, 1955 - 95 min
legendado electronicamente em português

Uma peça de William Inge adaptada por George Axelrod, sobre um jovem e ingénuo cowboy (Don Murray num papel que lhe valeu uma nomeação para o Oscar), campeão de rodeo, que se apaixona por uma cantora de bar e se resolve a casar com ela… sem lhe perguntar a opinião. Foi o filme que marcou o regresso de Marilyn após um ano de ausência e da sua passagem pelo Actors' Studio. Marilyn filmou acompanhada por Paula Strasberg, que substituiu Natasha Lytess como sua drama coach e foi a partir daí uma presença constante nas suas rodagens.