agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]


Na revisita dos géneros clássicos que temos proposto regularmente, chega agora a vez da ficção científica. Género com pergaminhos nesta Cinemateca, que mereceu, em 1984, um ciclo que é hoje dos mais lembrados dessa época, pelo pioneirismo, pela qualidade e pela extensão. A ideia desta revisita não é uma repetição desse ciclo, nem possível nem desejável – quanto mais não seja pelo simples facto de haver, desde então, praticamente mais quarenta anos de “história do cinema”, e particularmente do cinema de ficção científica. Mas a ambição de traçar um relato relevante da história do género levou-nos a dividir o ciclo em duas metades para um total de cerca de cinquenta títulos, dos absolutos primórdios (Méliès) à época contemporânea (o filme mais recente que contamos apresentar, na segunda parte do ciclo, é AD ASTRA de James Gray). Para lidar, com um mínimo de coerência, com esta amplitude cronológica, era preciso dividir o ciclo em dois, e encontrar um ponto de charneira. Arbitrariamente, mas procurando o ponto menos arbitrário possível. Encontrámo-lo no ano de 1968, o ano em que se estreou um dos filmes mais decisivos do género, ponto culminante do que estava para trás e marco inevitável a ter em consideração em tudo o que se fez posteriormente: o ano da estreia de 2001: A SPACE ODYSSEY, de Stanley Kubrick. Estreia que antecedeu, em pouco mais de um ano, um momento marcante da história da humanidade, a chegada à Lua em 1969, e respetivas imagens televisivas, que terão significado, para os espectadores da época, uma espécie de concretização daquilo que a ficção científica antecipou. Entre 1968 e 1969, entre 2001 e a Apollo 11, a forma do ser humano pensar o seu lugar no universo terá mudado alguma coisa, mas certamente que muito mudou na forma de o cinema de ficção científca se pensar a si próprio.
Esta primeira parte, “antes de 2001”, acompanha as décadas formadoras do género, nas suas múltiplas declinações e possibilidades, entre títulos muito conhecidos e outros que serão uma descoberta para a generalidade dos espectadores. Encontramos, nesta fase, autores consagrados a dedicarem-se à “fc” (Fritz Lang e o seu FRAU IM MOND, que até inventou a contagem decrescente décadas depois adotada pela NASA, é um exemplo por excelência), mas o género era ainda, maioritariamente, um território do espectáculo e da invenção visual, aproveitando o facto de, entre todos os géneros clássicos, ser certamente aquele em que os códigos eram mais fluídos, menos institucionalizados a priori, o que também permitiu o florescimento de inúmeros “subgenéros” e de interpretações deles muito ligadas a cada momento histórico (de que é um exemplo perfeito a “fc” dos anos 50, muito marcada pela memória da II Guerra, das bombas atómicas, e da Guerra Fria). Por outro lado, também convém insistir nessa questão histórica; porque se associa demasiadas vezes a “fc” a uma forma de escapismo puro (que o género também foi, e nalguns casos sobretudo foi), quando a virtude do género sempre foi uma profunda ligação ao momento vivido em cada época histórica, o facto de os filmes de “fc” inventarem mundos futuros e/ou alternativos para, no fundo, nos falarem, e nos revelarem, o mundo presente e/ou o mundo real. É assim que a viagem desta primeira parte do ciclo, por entre toda a sua invenção, toda a sua fantasia, por vezes (já) alguma “metafísica”, daquilo que nos fala realmente é das primeiras seis ou sete décadas do século XX.
 
 
28/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Seconds
Uma Segunda Vida
de John Frankenheimer
Estados Unidos, 1966 - 107 min
 
28/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

When Worlds Collide
Quando os Mundos Chocam
de Rudolph Maté
Estados Unidos, 1951 - 82 min
28/06/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

The Fly
A Mosca
de Kurt Neumann
Estados Unidos, 1958 - 93 min
29/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Countdown
Estradas do Inferno
de Robert Altman
Estados Unidos, 1968 - 101 min
29/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Invasion of the Body Snatchers
A Terra em Perigo
de Don Siegel
Estados Unidos, 1956 - 80 min
28/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Seconds
Uma Segunda Vida
de John Frankenheimer
com Rock Hudson, Salome Jens, John Randolph, Will Geer, Jeff Corey, Murray Hamilton
Estados Unidos, 1966 - 107 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um dos melhores trabalhos de John Frankenheimer, com um espantoso trabalho de câmara de James Wong Howe, e uma das melhores interpretações de Rock Hudson, na figura de um homem de meia-idade que, para fugir a uma série de problemas pessoais se submete a uma operação plástica que lhe dá um novo rosto (é a partir de então que surge Hudson) apenas para ter de se enfrentar com uma série de contradições nascidas da “existência” anterior e com um final alucinante. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
28/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
When Worlds Collide
Quando os Mundos Chocam
de Rudolph Maté
com Richard Derr, Barbara Rush, Peter Hanson, Larry Keatin, John Hoyt
Estados Unidos, 1951 - 82 min
legendado eletronicamente em português | M/12
WHEN WORLDS COLLIDE é uma versão da Arca de Noé transposta para a ficção científica. Na órbita da Terra entram dois corpos celestes que ameaçam o planeta de destruição. Um cientista, apoiado por um magnata, constrói uma nave para um grupo selecionado, “Adões” e “Evas” para povoarem um planeta novo. Os efeitos especiais (notáveis para o seu tempo) conquistaram o Oscar da Academia. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
28/06/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
The Fly
A Mosca
de Kurt Neumann
com Vincent Price, Al Hedison, Patricia Owens, Herbert Marshall
Estados Unidos, 1958 - 93 min
legendado eletronicamente em português / M/12
Um dos mais célebres horror films americanos dos anos cinquenta, que pertence de pleno direito à categoria dos filmes de culto. Durante uma experiência com uma máquina inventada para “teletransporte”, um cientista mistura os seus genes com os de uma mosca, iniciando um processo de “desumanização” irreversível: ele fica com corpo de homem e cabeça de mosca e a mosca fica com a cabeça dele… Refeito por David Cronenberg em 1986. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
29/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Countdown
Estradas do Inferno
de Robert Altman
com James Caan, Joanna Cook Moore, Robert Duvall, Barbara Baxley
Estados Unidos, 1968 - 101 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Robert Altman vinha de uma longuíssima carreira como realizador de televisão, e COUNTDOWN foi um dos seus primeiros filmes para cinema. É uma descrição, em tom friamente realista, de um voo espacial tripulado rumo à lua, antecipando em um ano a viagem da Apollo em 1969. Os ecos da guerra Fria estão presentes: no filme de Altman, a viagem à lua é apressada porque a NASA tem receio de que os soviéticos lá cheguem primeiro. Como só interessa a ida, não há planos para o regresso – e James Caan, solitário astronauta, tem que ficar na lua à espera da verdadeira Apollo… A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
29/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Invasion of the Body Snatchers
A Terra em Perigo
de Don Siegel
com Kevin Mccarthy, Dana Wynter, Larry Gates, King Donovan, Carolyn Jones
Estados Unidos, 1956 - 80 min
legendado em espanhol e eletronicamente em português | M/12
Um clássico do terror, filmado em superscope para melhor dar a ver os corpos roubados a que o título original faz alusão, numa altura em que o formato estava vedado aos projetos de série B em que se enquadrava. A abstrata atmosfera de terror do filme segue o rasto dos habitantes de uma pequena cidade, que estão a ser substituídos por duplos extraterrestres. INVASION OF THE BODY SNATCHERS é uma obra chave do cinema de ficção científica dos anos cinquenta, que, à época, motivou rios de tinta pelo seu suposto subtexto mccarthista, embora também houvesse quem achasse que o filme era uma parábola… antimccarthista. 

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui