CICLO
A Cinemateca com o Indielisboa


A colaboração entre a Cinemateca e o festival IndieLisboa, em 2021 na sua 18ª edição, resulta na programação e organização de uma extensa retrospetiva dedicada a Sarah Maldoror, na apresentação da totalidade da sua secção  “Director’s Cut”, em rima com sessões “em contexto”, refletindo a História do cinema, a sua memória e o seu património, e numa sessão especial dedicada a uma seleção de filmes de curta metragem do coletivo L’abominable (laboratório experimental onde artistas cineastas de várias gerações e proveniências trabalham em película),  a propósito da homenagem da secção Silvestre ao realizador colombiano Camilo Restrepo. Todos os filmes exibidos no Director’s Cut e nessa sessão especial são primeiras apresentações na Cinemateca.
O programa acompanha as datas do festival, que decorre em várias salas em Lisboa entre 21 de agosto e 6 de setembro (no caso da retrospetiva Sarah Maldoror, o programa na Cinemateca terá lugar de 1 a 8 de setembro).
 
 
23/08/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Indielisboa

Fitas Cirurgykas | Ostatni Etap
Duração total da projeção: 119 min
 
23/08/2021, 21h30 | Esplanada
Ciclo A Cinemateca com o Indielisboa

Watching The Detectives | Forensickness
Duração total da projeção: 76 min
24/08/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Indielisboa

Edge of Doom | Lotte Eisner, Un Lieu, Nulle Part
duração total da projeção: 62 min | M/12
24/08/2021, 21h30 | Esplanada
Ciclo A Cinemateca com o Indielisboa

Tabu
Tabu
de Friedrich W. Murnau, Robert Flaherty
Estados Unidos, 1931 - 80 min
25/08/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Indielisboa

Diálogo de Sombras
de Júlio Alves
Portugal, 2021 - 60 min
23/08/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Indielisboa
Fitas Cirurgykas | Ostatni Etap
Duração total da projeção: 119 min
legendados em inglês e eletronicamente em português | M/16
Director’s Cut
FITAS CIRURGYKAS
de Edgar Pêra
Portugal, 2021 - 10 min

OSTATNI ETAP
“Última Etapa”
de Wanda Jakubowska
Polónia, 1948 – 109 min

É com imagens de Domingos de Oliveira Santos, um cirurgião tornado cineasta, que Edgar Pêra compõe em FITAS CYRURGYCAS um mosaico que vai além dos vídeos caseiros, transbordando-os. Conhecida pelos seus trabalhos sobre o Holocausto, Wanda Jakubowska levou para o cinema a sua própria experiência. OSTATNI ETAP, uma das primeiras representações cinematográficas ficcionadas da vida nos campos de concentração, tornou-se num testemunho poderoso e numa influência frequentemente citada. Filmado no próprio campo de Auschwitz, o filme segue o destino de prisioneiras de várias origens étnicas e da sua luta para sobreviver. Primeiras apresentações na Cinemateca. OSTATNI ETAP é exibido em cópia digital restaurada.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
23/08/2021, 21h30 | Esplanada
A Cinemateca com o Indielisboa
Watching The Detectives | Forensickness
Duração total da projeção: 76 min
legendados eletronicamente em português | M/12
Director’s Cut
WATCHING THE DETECTIVES
de Chris Kennedy
Canadá, 2017 / 36 min

FORENSICKNESS
de Chloé Galibert-Laîné
França, 2020 – 40 min

Uma sessão com dois filmes ligados entre si. WATCHING THE DETECTIVES ilumina a forma como se desenrolam verdadeiras investigações em comunidades virtuais, como o reddit ou 4chan, exemplificada pelos acontecimentos que sucederam a tragédia da Maratona de Boston em 2013, através das possibilidades de crowdsourcing. Em FORENSICKNESS, Chloé Galibert-Laîné analisa esse filme de Chris Kennedy e os conteúdos produzidos depois dos ataques em Boston. Ao mesmo tempo, Galibert-Laîné usa o estruturalismo, a montagem cinematográfica e a sua linguagem académica na sua própria investigação.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
24/08/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Indielisboa
Edge of Doom | Lotte Eisner, Un Lieu, Nulle Part
duração total da projeção: 62 min | M/12
Director’s Cut
EDGE OF DOOM
de Michaela Grill
Canadá, Áustria, 2020 - 3 min /sem diálogos

LOTTE EISNER, UN LIEU, NULLE PART
de Timon Koulmasis
França, Alemanha, 2021 - 59 min / legendado em inglês e eletronicamente em português

Lotte Eisner foi jornalista, colaboradora de Henri Langlois na Cinemateca Francesa e autora do lendário livro L’Écran démoniaque (1952), sobre o cinema expressionista alemão, para além dos famosos estudos sobre Fritz Lang e F.W. Murnau. Sendo admirada por realizadores e cinéfilos, permanece ainda uma figura menos conhecida do que mereceria, algo que este filme quer emendar através da recuperação de imagens de arquivo do percurso de Eisner desde a Alemanha até Paris onde se radicou com a ascensão do nazismo, de excertos dos filmes que analisou e de entrevistas recentes a figuras que a conheceram como Wim Wenders e Werner Herzog. A abrir a sessão, em EDGE OF DOOM, Michaela Grill usa uma montagem de imagens de filmes mudos para retratar os sentimentos de desespero que o confinamento, provocado pela pandemia, trouxeram ao de cima.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
 
24/08/2021, 21h30 | Esplanada
A Cinemateca com o Indielisboa
Tabu
Tabu
de Friedrich W. Murnau, Robert Flaherty
com Matahi, Reri, Hitu
Estados Unidos, 1931 - 80 min
mudo, intertítulos em inglês legendados em português | M/12
Director’s Cut em Contexto
O último filme de Murnau, feito em vaga e discutida colaboração com Robert Flaherty. Situado na Polinésia, TABU narra a história trágica em que o amor se confronta com costumes ancestrais. Uma jovem é consagrada aos deuses tornando-se “tabu”. A quebra deste implica a punição. Ao fatalismo e sensualidade junta-se uma poética mítica, numa das grandes obras-primas do cinema. A exibir em rima com LOTTE EISNER, UN LIEU, NULLE PART.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
 
25/08/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Indielisboa
Diálogo de Sombras
de Júlio Alves
Portugal, 2021 - 60 min
legendado em português| M/12
Director’s Cut

com a presença de Júlio Alves
Depois de SACAVÉM, Júlio Alves volta a debruçar-se sobre o trabalho de Pedro Costa. DIÁLOGO DE SOMBRAS parte da importante exposição Pedro Costa: Companhia, organizada em Serralves em 2018 com curadoria do arquiteto José Neves, que partia da obra do cineasta para criar um diálogo entre esses trabalhos e os de outros artistas que povoam o seu imaginário.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui