CICLO
Cinemateca Júnior – Sábados em Família


Em junho, o fio que cose o programa da Júnior são as crianças, que estão sempre no fio do nosso pensamento, mas nem sempre na tela. Este mês, serão estrelas em filmes de vários países e continentes, de tempos e géneros diferentes, de imagem real e de animação. Abrimos com a “guerra” entre duas aldeias, onde tirando algumas escoriações as principais baixas são os botões. Por trás das brincadeiras bélicas do filme A GUERRA DOS BOTÕES, que terão feito parte de muitas infâncias, pode também ser vista uma sátira à verdadeira guerra, enquanto brincadeira trágica de crianças grandes. Dos conflitos bairristas ou aldeãos em França partimos para a Irlanda e para um filme resgatado pela segunda vez ao confinamento. Dizem que à terceira é de vez e o O CAMINHO DO OESTE merece absolutamente sair da “lata” e ser visto. Cruza vários géneros: o realismo social, o western e o fantástico para contar a história dos irmãos, Ossie e Tito, originários duma tribo nómada irlandesa, que resgatam o pai de uma vida decadente num bairro social de Dublin com a preciosa ajuda de um cavalo selvagem. Da Irlanda pulamos para o velho continente africano, de onde nos chegam tão poucos filmes. Pela raridade e por mérito próprio YAABA, é mais um filme a não perder. Numa pequena aldeia, Bila, um rapaz de dez anos, torna-se amigo de Sana, uma idosa a quem todos chamam “bruxa”. Não de bruxas. mas de fadas e outras figuras mitológicas, é feito o conto moral dos irmãos de leite AZUR E ASMAR. Azur é europeu, filho de nobre, Asmar é magrebino filho de Jenane, ama de leite. Crescem cúmplices e reencontram-se na idade adulta como rivais. Encarnando culturas diferentes, redescobrem as virtudes das suas diferenças. A sessão é organizada em parceria com a MONSTRA, como aperitivo do festival que irá decorrer entre 21 de julho e 1 de agosto.
Pela mão de várias crianças passamos pela Europa, pela África Subsariana e pelo Magrebe. De volta a Portugal e para duas oficinas, contamos com as mãos (olhos, ouvidos e imaginação) de mais crianças e adolescentes. Nos dias 12 e 19, a já célebre oficina SE EU FOSSE... CINEASTA, desdobrada numa visita ao Museu de São Roque, para conhecer a vida do protagonista e recortá-la em cartolina, e numa oficina de cinema de animação para dar vida a São Roque, na sua quarta versão cinematográfica. Para fechar o mês em grande concentração auditiva, vamos fechar os olhos e descobrir o que nos conta o som dos filmes na oficina QUANTAS HISTÓRIAS CABEM NO SOM?
 
26/06/2021, 11h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Quantas Histórias Cabem no Som?
26/06/2021, 15h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Azur et Asmar
Azur e Asmar
de Michel Ocelot
França, 2006 - 99 min
26/06/2021, 11h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Quantas Histórias Cabem no Som?
Oficina
Conceção e orientação: Maria Remédio

Dos 5 aos 9 anos | Duração: 2 horas

Preço: 4,00€ por criança

Marcação prévia até 22 de junho para cinemateca.junior@cinemateca.pt

O som leva-nos de viagem, deixa que lhe desenhemos novas narrativas! Que sons cabem numa folha de papel? E quantas novas histórias cabem num filme? Vamos traduzir em imagens os sons que ouvimos, retirados de vários filmes, e todos esses desenhos... será que formam uma história?
 
26/06/2021, 15h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Azur et Asmar
Azur e Asmar
de Michel Ocelot
França, 2006 - 99 min
legendado eletronicamente em português | M/6
Azur é louro, tem olhos azuis e é filho de nobre, Asmar tem olhos e cabelos pretos e é filho de uma criada árabe. Muito diferentes no aspecto e na origem, Azur e Asmar crescem juntos como irmãos de leite. Vão reencontrar-se já adultos e rivais porque perseguem o mesmo sonho de infância, ambos apostados em resgatar e casar com a lendária Fada dos Djins. Ambientado na Europa e no Magrebe da Idade Média, com magníficos cenários pintados numa rara combinação com a animação digital, este filme de Michel Ocelot, autor do celebrado KIRIKU E A FEITICEIRA, faz a apologia do reencontro de três culturas irmãs – a cristã, a muçulmana e a judaica. A exibir em cópia digital. Primeira apresentação na Cinemateca.