agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]


Na revisita dos géneros clássicos que temos proposto regularmente, chega agora a vez da ficção científica. Género com pergaminhos nesta Cinemateca, que mereceu, em 1984, um ciclo que é hoje dos mais lembrados dessa época, pelo pioneirismo, pela qualidade e pela extensão. A ideia desta revisita não é uma repetição desse ciclo, nem possível nem desejável – quanto mais não seja pelo simples facto de haver, desde então, praticamente mais quarenta anos de “história do cinema”, e particularmente do cinema de ficção científica. Mas a ambição de traçar um relato relevante da história do género levou-nos a dividir o ciclo em duas metades para um total de cerca de cinquenta títulos, dos absolutos primórdios (Méliès) à época contemporânea (o filme mais recente que contamos apresentar, na segunda parte do ciclo, é AD ASTRA de James Gray). Para lidar, com um mínimo de coerência, com esta amplitude cronológica, era preciso dividir o ciclo em dois, e encontrar um ponto de charneira. Arbitrariamente, mas procurando o ponto menos arbitrário possível. Encontrámo-lo no ano de 1968, o ano em que se estreou um dos filmes mais decisivos do género, ponto culminante do que estava para trás e marco inevitável a ter em consideração em tudo o que se fez posteriormente: o ano da estreia de 2001: A SPACE ODYSSEY, de Stanley Kubrick. Estreia que antecedeu, em pouco mais de um ano, um momento marcante da história da humanidade, a chegada à Lua em 1969, e respetivas imagens televisivas, que terão significado, para os espectadores da época, uma espécie de concretização daquilo que a ficção científica antecipou. Entre 1968 e 1969, entre 2001 e a Apollo 11, a forma do ser humano pensar o seu lugar no universo terá mudado alguma coisa, mas certamente que muito mudou na forma de o cinema de ficção científca se pensar a si próprio.
Esta primeira parte, “antes de 2001”, acompanha as décadas formadoras do género, nas suas múltiplas declinações e possibilidades, entre títulos muito conhecidos e outros que serão uma descoberta para a generalidade dos espectadores. Encontramos, nesta fase, autores consagrados a dedicarem-se à “fc” (Fritz Lang e o seu FRAU IM MOND, que até inventou a contagem decrescente décadas depois adotada pela NASA, é um exemplo por excelência), mas o género era ainda, maioritariamente, um território do espectáculo e da invenção visual, aproveitando o facto de, entre todos os géneros clássicos, ser certamente aquele em que os códigos eram mais fluídos, menos institucionalizados a priori, o que também permitiu o florescimento de inúmeros “subgenéros” e de interpretações deles muito ligadas a cada momento histórico (de que é um exemplo perfeito a “fc” dos anos 50, muito marcada pela memória da II Guerra, das bombas atómicas, e da Guerra Fria). Por outro lado, também convém insistir nessa questão histórica; porque se associa demasiadas vezes a “fc” a uma forma de escapismo puro (que o género também foi, e nalguns casos sobretudo foi), quando a virtude do género sempre foi uma profunda ligação ao momento vivido em cada época histórica, o facto de os filmes de “fc” inventarem mundos futuros e/ou alternativos para, no fundo, nos falarem, e nos revelarem, o mundo presente e/ou o mundo real. É assim que a viagem desta primeira parte do ciclo, por entre toda a sua invenção, toda a sua fantasia, por vezes (já) alguma “metafísica”, daquilo que nos fala realmente é das primeiras seis ou sete décadas do século XX.
 
 
29/06/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Planet of the Vampires
O Planeta dos Vampiros
de Mario Bava
Itália, Espanha, Estados Unidos, 1965 - 88 min
 
30/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Gojira
“Godzilla”
de Ichiro Honda
Japão, 1954 - 96 min
30/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Seconds
Uma Segunda Vida
de John Frankenheimer
Estados Unidos, 1966 - 107 min
30/06/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

2001: A Space Odyssey
2001: Uma Odisseia no Espaço
de Stanley Kubrick
Estados Unidos, Reino Unido, 1968 - 150 min
29/06/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Planet of the Vampires
O Planeta dos Vampiros
de Mario Bava
com Barry Sullivan, Norma Bengell, Ángel Aranda
Itália, Espanha, Estados Unidos, 1965 - 88 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Coprodução euro-americana (com a AIP, que produzia, por exemplo, os filmes de Roger Corman), PLANET OF THE VAMPIRES é um filme que, tendo passado algo despercebido à época, mereceu um culto que ao longo dos anos não parou de crescer. Magistralmente dirigido por Mario Bava, com cores maravilhosas que parecem páginas de banda desenhada animadas e um elenco que mistura atores americanos (Barry Sullivan) e europeus (mais a brasileira Norma Bengell), PLANET OF THE VAMPIRES oscila entre a vastidão do espaço sideral e os interiores claustrofóbicos da nave espacial, onde se escondem inimigos furtivos (alguma influência este filme terá tido sobre o ALIEN de Ridley Scott). Uma pequena obra-prima a (re)descobrir. Primeira apresentação na Cinemateca. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
30/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Gojira
“Godzilla”
de Ichiro Honda
com Akira Takarada, Momoko Kochi, Akihiko Hirata
Japão, 1954 - 96 min
legendado eletronicamente em português | M/12
O filme que deu início a uma mitologia que viria a tornar-se uma das principais “exportações” japonesas, e de que depois o cinema americano se apropriou. Essas sucessivas variações e apropriações foram perdendo a ligação histórica, mas este GOJIRA original era um filme profundamente entroncado nos fantasmas coletivos japoneses suscitados pelas explosões atómicas em Hiroxima e Nagasaki, menos de dez anos antes. Monstro mutante e destruidor, o “godzilla” é uma corporização desses medos, uma metáfora do poder destrutivo das armas nucleares. Primeira apresentação na Cinemateca. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
30/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Seconds
Uma Segunda Vida
de John Frankenheimer
com Rock Hudson, Salome Jens, John Randolph, Will Geer, Jeff Corey, Murray Hamilton
Estados Unidos, 1966 - 107 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um dos melhores trabalhos de John Frankenheimer, com um espantoso trabalho de câmara de James Wong Howe, e uma das melhores interpretações de Rock Hudson, na figura de um homem de meia-idade que, para fugir a uma série de problemas pessoais se submete a uma operação plástica que lhe dá um novo rosto (é a partir de então que surge Hudson) apenas para ter de se enfrentar com uma série de contradições nascidas da “existência” anterior e com um final alucinante. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
30/06/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
2001: A Space Odyssey
2001: Uma Odisseia no Espaço
de Stanley Kubrick
com Keir Dullea, Gary Lockwood
Estados Unidos, Reino Unido, 1968 - 150 min
legendado em português | M/12
Um dos filmes mais influentes do cinema moderno, que revolucionou a ficção científica em 1968, com os efeitos especiais de Douglas Trumbull. Mas é também uma reflexão sobre o destino do homem, num futuro que requer outros saberes e capacidades. O gigantesco “totem” negro faz-nos aceder, como num ecrã, a um vasto universo de questões, dúvidas que este filme levanta em confronto com a evolução técnica do Homem e o mistério sem fim do cosmos e de Deus. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui