agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
In Memoriam Rogério Samora


A Cinemateca presta homenagem a Rogério Samora (1958-2021), após a sua precoce morte, em dezembro do ano passado. O ator deixa uma carreira de 40 anos em que se tornou uma presença permanente junto do público português através do cinema, do teatro e da televisão.  Samora afirmou muitas vezes ter uma paixão maior em trabalhar para o grande ecrã. Conta com mais de meia centena de títulos num percurso que se iniciou com um nome maior do universo cinematográfico nacional, Manoel de Oliveira, no filme LE SOULIER DE SATIN (1985), e com quem fez depois vários filmes, entre os quais se destaca PARTY (1996), que protagonizou com Leonor Silveira, Michel Piccoli e Irene Papas. Trabalhou depois com um número muito alargado de realizadores, que inclui os nomes de Fernando Lopes, João Mário Grilo, João Botelho, Manuel Mozos, Miguel Gomes, António-Pedro Vasconcelos, José Álvaro Morais, Maria de Medeiros, Luís Filipe Rocha, Margarida Cardoso, Rosa Coutinho Cabral, José Fonseca e Costa, Joaquim Leitão, Raoul Ruiz e Jorge Cramez, para referir apenas o seu trabalho na longa-metragem.
As suas interpretações mais importantes surgiram em colaboração com Fernando Lopes, sendo o protagonista mais regular dos seus filmes, entre os quais MATAR SAUDADES (1988), O DELFIM (2002) e LÁ FORA (2004) que serão exibidos neste Ciclo. Samora manteve uma amizade cúmplice com Fernando Lopes, mas também com João Mário Grilo e António-Pedro Vasconcelos, que relembram a plasticidade, a versatilidade e a criatividade com que abordava os seus papéis, realçando a grande relação de confiança com que o deixavam criar e improvisar. Samora “não era um ator de escola. Era um ator muito marcado pela sua vida, criava as personagens a partir da sua experiência e isso tornava-o único” (João Mário Grilo). Numa época em que a maioria dos atores tinham uma formação predominantemente teatral, Samora demonstrou, mesmo no início, uma rara e surpreendente sensibilidade para o cinema e para a performance em frente das câmaras, afirmando-se como um dos mais carismáticos atores da sua geração.
Este Ciclo relembra o inestimável talento do ator, patente nalguns dos seus mais marcantes desempenhos no cinema português.
 
 
10/02/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo In Memoriam Rogério Samora

O Delfim
de Fernando Lopes
Portugal, França, 2001 - 83 min | M/12
 
11/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo In Memoriam Rogério Samora

Matar Saudades
de Fernando Lopes
Portugal, 1988 - 76 min | M/12
12/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo In Memoriam Rogério Samora

Lavado em Lágrimas
de Rosa Coutinho Cabral
Portugal, 2006 - 111 min | M/12
14/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo In Memoriam Rogério Samora

Party
de Manoel de Oliveira
Portugal, França, 1996 - 93 min
16/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo In Memoriam Rogério Samora

A Falha
de João Mário Grilo
Portugal, 2002 - 88 min | M/12
10/02/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
In Memoriam Rogério Samora
O Delfim
de Fernando Lopes
com Rogério Samora, Alexandra Lencastre, Rita Loureiro, Rui Morrison, Miguel Guilherme, Joaquim Leitão
Portugal, França, 2001 - 83 min | M/12
com a presença de Rita Loureiro
O DELFIM junta duas das maiores figuras da cultura nacional: o realizador Fernando Lopes, figura chave do Novo Cinema português, e o escritor José Cardoso Pires, autor do livro do qual o filme é adaptado. Através de dois dos maiores atores da sua geração (Rogério Samora e Alexandra Lencastre), O DELFIM lança um olhar sobre a decadência da alta burguesia portuguesa no final da década de sessenta, últimos anos de um país ainda preso à mentira da ditadura e à corrupção dos seus elos sociais e pessoais. Um dos maiores sucessos do cinema português dos últimos anos e um dos seus objetos mais prodigiosamente filmados.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
11/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
In Memoriam Rogério Samora
Matar Saudades
de Fernando Lopes
com Rogério Samora, Teresa Madruga, Pedro Éfe, Eunice Muñoz
Portugal, 1988 - 76 min | M/12
Um emigrante, ex-combatente na guerra colonial, volta à sua terra em Trás-os-Montes para ajustar contas com as traições que lhe foram feitas e recuperar o amor da mulher que o esqueceu. Chama-se Abel, como o irmão traído por Caim, e regressa a casa como Ulisses a Ítaca, sendo a sua história filmada a partir de um argumento escrito por Carlos Saboga, António-Pedro Vasconcelos e Fernando Lopes. “Para uma visão tão radicalmente panteísta, Fernando Lopes não procurou apoios em textos. Mas no imaginário cinematográfico português que já fora a essas terras para ver (Oliveira, certamente, mas mais ainda António Reis) e no imaginário mítico cinematográfico, onde as paixões dos homens mais radicais foram. Temos que remontar aos grandes westerns (Vidor, Walsh, Ford) para buscar a outra linhagem deste filme que, como num western, comprime o tempo para dilatar o espaço” (João Bénard da Costa).

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
12/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
In Memoriam Rogério Samora
Lavado em Lágrimas
de Rosa Coutinho Cabral
com Rita Martins, João Cabral, Rafael d’Almeida, Rogério Samora
Portugal, 2006 - 111 min | M/12
com a presença de Rosa Coutinho Cabral
LAVADO EM LÁGRIMAS apresenta a história de João, um jornalista de televisão que, enquanto faz uma reportagem a um velho que se dedica à criação de pombos, se deixa fascinar pelo mundo misterioso de Ana, a neta do columbófilo. Deixada aos cuidados do avô, Ana tem um passado de histórias sombrias, e um envolvimento abusivo com o único homem que lhe compra os pássaros (interpretado por Rogério Samora, que volta aqui a colaborar com Rosa Coutinho Cabral depois de ter sido o protagonista de SERENIDADE). João vai perdendo o interesse na reportagem à medida que se interessa cada vez mais por Ana e pelo seu bem-estar.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
14/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
In Memoriam Rogério Samora
Party
de Manoel de Oliveira
com Irene Papas, Michel Piccoli, Leonor Silveira, Rogério Samora
Portugal, França, 1996 - 93 min
legendado em português | M/12
Durante a festa do décimo aniversário de casamento, um casal encontra um outro casal mais velho, com o qual se entrega a um estranho jogo de sedução, que é mais pela posse das almas do que pela dos corpos. A grande comédia humana num confronto em que se escalpelizam as suas paixões e desejos. Diálogos de Agustina Bessa-Luís.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
16/02/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
In Memoriam Rogério Samora
A Falha
de João Mário Grilo
com Rogério Samora, Alexandra Lencastre, João Lagarto, Rita Blanco
Portugal, 2002 - 88 min | M/12
com a presença de João Mário Grilo
A FALHA conta-nos os sortilégios de uma reunião de antigos colegas, 25 anos depois de terminarem o liceu. O tenso reencontro, repleto de ressentimentos e cumplicidades, leva-os a um passeio numa pedreira algures no Alentejo, e a um trágico desfecho: queda de um imenso bloco de mármore que os soterra numa gruta durante dias incita a um confronto vivo com antigos fantasmas. Neste filme, João Mário Grilo explora as fragilidades de um destino coletivo e, simultaneamente, de toda a identidade de Portugal. O seu simbolismo concretiza-se numa falha, encontrada na gruta, que, “para além de metamórfica, é também extensiva à memória, à incontenção dos comportamentos e à terrível surpresa do destino, ou seja, do próprio fatum”. Primeira exibição na Cinemateca.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui