março de 2021
dstqqss
28123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Os Mares da Europa


O mar como tema e figura no cinema é algo tão antigo como o próprio cinema (basta lembrar que, entre os filmes da primeira sessão pública do cinematógrafo Lumière, fez parte BAIGNADE EN MER e que as primeiras imagens em movimento que se conhecem filmadas em Portugal são do filme A BOCA DO INFERNO EM CASCAIS). De então até agora, milhares de filmes tomaram o mar como assunto, como cenário principal ou como elemento simbólico determinante para as suas escolhas narrativas e formais. 
Da importância do mar na história do cinema, a programação da Cinemateca já tinha conta através de um volumoso programa - e de um marcante catálogo –, intitulado Um Mar de Filmes, apresentado no contexto da Expo’98, que tinha precisamente os oceanos como tema central. Nesse Ciclo, ao longo de vários módulos temáticos e através de quase cem filmes, ficava demonstrada a centralidade da inspiração marítima em produções de todo o mundo e de todas as épocas do cinema. Embora menos extenso, o presente programa Os Mares da Europa é, como o nome indica, talvez mais detalhado na abordagem (para retomar um termo ligado à pirataria naval) do tema do mar nos filmes, aqui geograficamente mais circunscrito e limitado às cinematografias europeias que nele se inspiraram. Desta vez, o foco é portanto a presença do mar no cinema europeu, de Portugal à Europa de Leste, do cinema mudo ao cinema contemporâneo. Um programa que dá conta de como a temática marítima alimentou de forma profunda muita da melhor ficção e do melhor documentário europeu, servindo tanto como centro dessas narrativas como de elemento plástico e poético inextricável dessas obras. A diversidade da geografia e da história de cada país europeu assume nas distintas relações com o mar (entendido de forma lata, do Atlântico ao Mar do Norte, Mediterrâneo, etc.) um conjunto de aspetos particulares que o Ciclo irá iluminar através de visões cinematográficas muito fortes que sejam capazes de dar a ver a importância dessa paisagem natural e dos seus usos culturais, sociais e económicos específicos. 
 
Um longo caminho marítimo que vai levar-nos do largo do Atlântico ocidental até ao extremo norte e oriental da Europa e a diversas épocas da história do continente, quer através de filmes de género (das aventuras de ULISSES e SEA DEVILS, à antecipação científica de F.R 1 ANTWORTET NICHT e à animação de SONG OF THE SEA), quer de visões mais autorais (TERJE VIGEN, FILM SOCIALISME, “À BEIRA DO MAR AZUL”, LA POINTE COURTE, THE EDGE OF THE WORLD), quer ainda através de documentários essenciais da história do cinema (FINIS TERRAE, DRIFTERS; as curtas de Vittorio De Seta sobre a faina das populações costeiras italianas, MÉDITARRANÉE) e do nosso presente (o drama da imigração no Mediterrâneo em HAVARIE). Evitando alguns títulos mais óbvios ou aqui muito recentemente mostrados da nossa cinematografia marcados por esta temática (dos quais MARIA DO MAR será a ausência mais flagrante por estar iminente a sua posterior apresentação num outro contexto de programação), a presença do cinema português faz-se através de títulos marcadamente embalados pela ondulação marítima como são UM FILME FALADO, A ALMADRABA ATUNEIRA, AS ILHAS ENCANTADAS e BALAOU. 
 
O programa Os Mares da Europa é apresentado no quadro da programação cultural da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia do primeiro semestre de 2021. O Ciclo prolonga-se até aos primeiros dias de fevereiro com mais uma dezena de filmes sobre o tema do mar, desde outras obras absolutamente incontornáveis (filmes como LA TERRA TREMA, IN WHICH WE SERVE, MAN OF ARAN e o português OS FAROLEIROS), até algumas raridades nunca antes mostradas na Cinemateca (designadamente do período final do cinema soviético). Nous sommes embarqués...
26/01/2021, 20h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Os Mares da Europa

SESSÃO CANCELADA

Das Schiff der Verlorenen Menschen
“O Navio dos Homens Perdidos”
de Maurice Tourneur
Alemanha, França, 1929 - 122 min
27/01/2021, 15h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Os Mares da Europa

SESSÃO CANCELADA

Méditerranée | La Pointe Courte
duração total da projeção: 116 min | M/12
27/01/2021, 20h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Os Mares da Europa

SESSÃO CANCELADA

Terje Vigen
O Lobo do Mar
de Victor Sjöström
Suécia, 1917 - 56 min
28/01/2021, 15h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Os Mares da Europa

SESSÃO CANCELADA

To Koritsi Me Ta Mavra
A Mulher de Negro
de Michael Cacoyannis
Grécia, 1956 - 100 min
28/01/2021, 17h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Os Mares da Europa

SESSÃO CANCELADA

Das Schiff der Verlorenen Menschen
“O Navio dos Homens Perdidos”
de Maurice Tourneur
Alemanha, França, 1929 - 122 min
26/01/2021, 20h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Os Mares da Europa

Com o apoio da Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021
SESSÃO CANCELADA

Das Schiff der Verlorenen Menschen
“O Navio dos Homens Perdidos”
de Maurice Tourneur
com Marlene Dietrich, Fritz Kortner, Robin Irvine, Wladimir Sokoloff
Alemanha, França, 1929 - 122 min
mudo, intertítulos em alemão, legendados eletronicamente em português | M/12
Acompanhamento ao piano por Daniel Schvetz
O último filme mudo de Marlene Dietrich (aquele que precede DER BLAUE ENGEL), e o segundo que Maurice Tourneur realiza na Alemanha, depois do seu regresso dos Estados Unidos. Marlene vê-se no papel de uma jovem americana cujo avião se despenha no mar, sendo levada para bordo de um navio de má reputação. Escondida e protegida por um médico, ele próprio sequestrado, e pelo cozinheiro da embarcação, depressa será descoberta e ameaçada pelo capitão e pela restante tripulação. Muito pouco visto, a misteriosa atmosfera criada por Tourneur e a performance dos protagonistas, fazem de DAS SCHIFF DER VERLORENEN MENSCHEN um filme a não perder. Primeira exibição na Cinemateca.
 
27/01/2021, 15h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Os Mares da Europa

Com o apoio da Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021
SESSÃO CANCELADA

Méditerranée | La Pointe Courte
duração total da projeção: 116 min | M/12
MÉDITERRANÉE 
de Jean-Daniel Pollet  
narração de Philippe Sollers 
França, 1963 – 41 min / legendado eletronicamente em português 

LA POINTE COURTE 
de Agnès Varda 
com Philippe Noiret, Sylvia Monfort 
França, 1954 - 75 min / legendado eletronicamente em português | M/12 

“Companheiro de viagem” da Nouvelle Vague, Jean-Daniel Pollet desenvolveu uma obra singular, em que ao lado de filmes “narrativos”, com atores, surgem ensaios cinematográficos, como MÉDITERRANÉE. Sem enredo, o filme é uma reflexão sobre a cultura e o pensamento, sobre “aquele instante fabuloso em que os homens, em vez de tentarem conquistar o mundo, se sentiram solidários com ele, solidários com a luz refletida e não enviada pelos deuses, solidários com o sol, solidários com o mar”, segundo as palavras de Jean-Luc Godard. LA POINTE COURTE, que marcou a passagem de Agnès Varda da fotografia para o cinema, é um dois títulos fundamentais na contagem decrescente para a eclosão da Nouvelle Vague, que viria em 1959, com LES QUATRE CENTS COUPS e À BOUTE DE SOUFFLE. É um retrato semi-documental de uma aldeia de pescadores, que serve para a história de desamor vivida pelo casal formado por Philippe Noiret e Sylvia Monfort. A montagem é de Alain Resnais. O filme de agnès Varda não é apresentado na Cinemateca desde 2008. Ambos os filmes são exibidos em cópias digitais. 

 
27/01/2021, 20h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Os Mares da Europa

Com o apoio da Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021
SESSÃO CANCELADA

Terje Vigen
O Lobo do Mar
de Victor Sjöström
com Victor Sjöström, Edith Erastoff, August Falck, Bergliot Husberg
Suécia, 1917 - 56 min
mudo, intertítulos em norueguês, traduzidos em português | M/12
Com acompanhamento ao piano por Filipe Raposo
A partir de um poema épico de Henrik Ibsen, Victor Sjöström realizou uma das suas grandes obras-primas e um dos filmes que revolucionou o cinema sueco (um dos melhores do mundo, nesta fase do período mudo), rompendo com a estética teatral e trazendo a liberdade dos exteriores e explorando a sua força dramática na história de um pescador que perde a família durante o bloqueio de Napoleão e procura a vingança.
 
28/01/2021, 15h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Os Mares da Europa

Com o apoio da Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021
SESSÃO CANCELADA

To Koritsi Me Ta Mavra
A Mulher de Negro
de Michael Cacoyannis
com Ellie Lambeti, Dimitris Horn, Eleni Zafeiriou, Stephanos Stratigos
Grécia, 1956 - 100 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Rodado na ilha grega de Hydra, A MULHER DE NEGRO lida muito singularmente com a geografia do lugar e com os contrastes entre o mar, a brancura das casas e as vestes negras das mulheres, compondo uma atmosfera trágica também presente nos restantes filmes de Cacoyannis, em que o Mediterrâneo e a cultura clássica desempenham papéis primordiais. Aqui, um escritor ateniense vê-se de férias na ilha, albergando-se numa casa em que reina uma pesada atmosfera. Um drama que reflete sobre o peso dos interditos e a opressão das mulheres em regiões marcadas pela insularidade. Primeira apresentação na Cinemateca. A exibir em cópia digital.
 
28/01/2021, 17h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Os Mares da Europa

Com o apoio da Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia 2021
SESSÃO CANCELADA

Das Schiff der Verlorenen Menschen
“O Navio dos Homens Perdidos”
de Maurice Tourneur
com Marlene Dietrich, Fritz Kortner, Robin Irvine, Wladimir Sokoloff
Alemanha, França, 1929 - 122 min
mudo, intertítulos em alemão, legendados eletronicamente em português | M/12
O último filme mudo de Marlene Dietrich (aquele que precede DER BLAUE ENGEL), e o segundo que Maurice Tourneur realiza na Alemanha, depois do seu regresso dos Estados Unidos. Marlene vê-se no papel de uma jovem americana cujo avião se despenha no mar, sendo levada para bordo de um navio de má reputação. Escondida e protegida por um médico, ele próprio sequestrado, e pelo cozinheiro da embarcação, depressa será descoberta e ameaçada pelo capitão e pela restante tripulação. Muito pouco visto, a misteriosa atmosfera criada por Tourneur e a performance dos protagonistas, fazem de DAS SCHIFF DER VERLORENEN MENSCHEN um filme a não perder. Primeira exibição na Cinemateca.