fevereiro de 2020
dstqqss
2627282930311
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
1234567
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
29/02/2020, 11h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior
Operador de Câmara por um Dia!
Oficina
Conceção e orientação: Cláudia Alves

Para crianças dos 6 aos 10 anos | duração: 2 horas | Preço: 4€ por criança
 
Inspirados na personagem de Buster Keaton em THE CAMERAMAN, nesta oficina vamos perceber como é que uma câmara de filmar capta a realidade à nossa volta, tentando sobreviver a várias peripécias. Filmar é uma aventura, tens de estar preparado! Já ouviste falar em “magazine” e em “obturador”? O que é um “quadro” e uma “câmara escura”? De quantos metros de película necessitamos para filmar um minuto? Se a película tem de estar parada quando o obturador dispara, porque é que o espectador vê a imagem em movimento? Essa é a magia do cinema! Para responder a estas questões nada melhor do que pôr mãos à obra! Sim! Vamos construir um protótipo de uma máquina de filmar!

Marcação até 25 de fevereiro: cinemateca.junior@cinemateca.pt
 
29/02/2020, 15h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior
Seven Years Bad Luck
“Sete Anos de Azar”
de Max Linder
com Max Linder, Alta Allen, Ralph McCullough, Betty K. Peteron, Thelm Percy
Estados Unidos/França, , 1921 - 62 min
mudo com intertítulos em inglês, legendados eletronicamente em português | M/12
O francês Max Linder, mestre de Charles Chaplin e inspiração maior para Jacques Tati, vivia um período esplendoroso: era no início dos anos dez do século passado um dos mais prestigiados – e bem pagos – artistas do cinema. A sua partida para os Estados Unidos afigurava-se inevitável na passagem para a nova década. SEVEN YEARS BAD LUCK é o primeiro filme americano de Linder. Nele, um novelo de situações infelizes vai desenrolar-se depois de um noivo prestes a dar o nó (o próprio Linder) ter partido um espelho – sete anos de azar que ameaçam comprometer o enlace. A exibir em cópia digital.
 
29/02/2020, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
Samma no Aji | Husbands
Duração total da projeção: 253 minutos | M/12
Entre os dois filmes há um intervalo de 20 minutos
SAMMA NO AJI
O Gosto do Saké
de Yasujiro Ozu
com Shima Iwashita, Shinichiro Mikami, Keiji Sada, Chishu Ryu
Japão, 1962 – 112 min / legendado eletronicamente em português
HUSBANDS
Maridos
de John Cassavetes
com John Cassavetes, Ben Gazzara, Peter Falk
Estados Unidos, 1970 – 141 min / legendado eletronicamente em português

Foi o último filme de Yasujiro Ozu e é uma nova variação sobre uma história de separação familiar em reflexão nostálgica sobre o começo do “inverno da vida”. É também a sua celebração e a despedida ao “gosto do saké”, onde cabe toda a memória do passado e dos “bons tempos”. Profundamente comovente, SAMMA NO AJI é um dos mais perfeitos filmes de Ozu, aquele onde a depuração do seu estilo atinge níveis supremos. Em HUSBANDS, três amigos, casados e com filhos, reencontram-se por ocasião da morte súbita de um antigo companheiro. O reencontro e o choque levam-nos a repetir uma das noites de farra dos seus tempos de juventude. Três interpretações notáveis (Cassavetes, Gazzara e Falk) num filme noturno e nova-iorquino, melancólico e nervoso, que é um sério candidato ao título de “melhor filme de John Cassavetes”. A exibir em cópia digital.
 
29/02/2020, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Inadjectivável
The Women
Mulheres
de George Cukor
com Norma Shearer, Joan Crawford, Rosalind Russell, Paulette Goddard, Joan Fontaine, Mary Boland
Estados Unidos, 1939 - 132 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Por ter trabalhado com quase todas as grandes vedetas femininas de Hollywood, Cukor foi cognominado o “cineasta das mulheres”. E nenhum filme ilustra melhor esta definição do que THE WOMEN, cujo elenco é exclusivamente formado por mulheres: diz-se que até os animais são fêmeas! Todas estas mulheres, exceto uma, são muito ricas e muito preocupadas com homens, sejam eles os seus maridos, ex-maridos ou os maridos alheios. Filmada a preto e branco, mas com uma sequência a cores de um desfile de modas, esta é uma das grandes comédias sofisticadas de Hollywood. A apresentar em cópia digital.