12/07/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Herman Melville no Cinema

em colaboração com o Congresso Internacional “Over__Seas: Melville, Whitman, and All the Intrepid Sailors”
Beau Travail
de Claire Denis
com Denis Lavant, Michel Subor, Grégoire Colin
França, 1999 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Vagamente baseado em Billy Budd, de Herman Melville, BEAU TRAVAIL passa-se em Djibouti, onde os protagonistas são soldados na Legião Estrangeira. Partes da banda sonora são da ópera de Benjamin Britta baseado no mesmo texto de Melville, compondo-se o filme num registo que combina brilhantemente o naturalismo e o figurativo. “Um hipnótico ballet masculino” (Peter Bradshaw, The Guardian). Na Cinemateca, foi apresentado uma única vez, em 2001.
 
12/07/2019, 18h30 | Sala Luís de Pina
Jean-Claude Brisseau
Les Ombres
de Jean-Claude Brisseau
com Jacques Serres, Nathalie Breuer, Dominique Verde
França, 1982 - 64 min
legendado eletronicamente em português / M/16
LES OMBRES, igualmente feito para a televisão francesa, é como uma sequência, bastante "natural", para LA VIE COMME ÇA, ao mesmo tempo que prenuncia já DE BRUIT ET DE FUREUR, que Brisseau realizaria no final da década. É outro olhar sobre os subúrbios, centrado numa família "normal", onde todos enganam a frustração e a falta de horizontes, seja através dum teatro de aparências (a "comédia do casamento"), seja pela expressão duma rebeldia (o miúdo adolescente e a atração pelo rock), seja pelo refúgio na vida espiritual (a filha mais nova). A apresentar em cópia digital em primeira exibição na Cinemateca.
 
12/07/2019, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
A Noite
Collateral
Colateral
de Michael Mann
com Tom Cruise, Jamie Foxx, Jada Pinkett Smith, Mark Ruffalo
Estados Unidos, 2004 - 120 min
legendado eletronicamente em português | M/16
Um taxista (Jamie Foxx) vê-se envolvido com um assassino (Tom Cruise), que aluga o seu veículo por uma noite, a fim de levar a cabo um “contrato” para abater uma testemunha, enquanto o primeiro procura, a todo o custo, frustrar-lhe as intenções. Um prodigioso exercício de suspense, filmado em vídeo digital com uma fotografia que trabalha as cores da escuridão e o que Mann referiu como o perturbador fenómeno da neblina e do luar de um anoitecer em LA, “esse tresloucado céu magenta de Los Angeles, quando as luzes de vapor de sódio fazem ricochete na camada de neblina (...) e a suavidade da iluminação magenta e laranja é muito alienante, muito atrativa e ao mesmo tempo solitária”. A apresentar em cópia digital.
 
12/07/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Jean-Claude Brisseau
La Vie Comme Ça
de Jean-Claude Brisseau
com Maria Luisa Garcia, Lucien Plazanet, Marie Riviere
França, 1978 - 95 min
legendado eletronicamente em português / M/16
Realizado para a televisão francesa, filmado em película de 16mm, LA VIE COMME ÇA foi a primeira experiência absolutamente profissional de Brisseau. Ilustra bem uma vertente importante do seu trabalho, a atenção a questões sociais e políticas, e documenta a sua própria experiência de vida, visto que, depois de muitos anos como professor de liceu, empregou o seu conhecimento do meio para a descrição, realista e nada romantizada, quer do ambiente escolar quer dos bairros suburbanos de Paris. A apresentar em cópia digital em primeira exibição na Cinemateca.
 
12/07/2019, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Cinema na Esplanada
The Searchers
A Desaparecida
de John Ford
com John Wayne, Jeffrey Hunter, Vera Miles, Ward Bond, Natalie Wood
Estados Unidos, 1956 - 120 min
legendado eletronicamente em português | M/6
Recordando João Bénard Da Costa
Uma das obras-primas de John Ford e o filme que contém todas as chaves do western. Também marca a entrada de Ford na última fase da sua obra, aquela em que a serenidade do olhar acompanha a consciência do fim de um tempo que existe apenas na memória, e de que um dos sinais é a evocação de Harry Carey, ator fordiano por excelência, no gesto final de John Wayne, o seu mais puro herdeiro.