CICLO
24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)


Construído na pluralidade da relação estabelecida entre o cinema e a fotografia, o programa, apresentado no texto divulgado em maio e disponível para consulta na página eletrónica da Cinemateca, prossegue o diálogo de filmes que reflete o arco cronológico da história dessa relação e a sua abertura, transversal a cinematografias, autores, olhares e territórios cinematográficos. O cruzamento de práticas e experiências de cineastas e cineastas-fotógrafos, na ficção, no ensaio, no diário, no cinema militante ou no cinema experimental reflete-se na organização do programa em seis eixos temáticos – Álbuns fotográficos; O fluxo, o instante; Vestígios do real; Investigações fotográficas; Figuras do fotógrafo e Géneros do fotográfico.
O trabalho de Weegee, William Klein, Morris Engel, Robert Frank, Johan van Der Keuken está representado no núcleo de filmes que, em junho, apresenta obras de fotógrafos-cineastas. Entre os “fotofilmes”, contam-se os últimos trabalhos de David Perlov e Jean-Daniel Pollet, e ainda filmes de Chris Marker e Agnès Varda. Dos “fotorromances” apresenta-se este mês um filme de Raoul Ruiz. Mostram-se títulos importantes de Ken Jacobs, Harun Farocki, Hollis Frampton, Paul Sharits ou Rose Lowder, Jean-Luc Godard e Anne-Marie Miéville. Sergei Eisentein, Jules Dassin e Federico Fellini assinam três outros dos filmes do mês em que pontua uma sessão Michael Snow, fundamental no programa. Dele consta ainda um lote de filmes dos primórdios do cinema reconstituídos fotograficamente em “paper prints” da Library of Congress e a oportunidade rara da projeção de um conjunto de “Screen tests” de Andy Warhol, vindo da coleção do MoMA. Susana de Sousa Dias vem à Cinemateca apresentar o filme anterior ao recente LUZ OBSCURA, 48. A viagem de 48 programas pelo cinema e fotografia termina com a projeção de JE VOUS SALUE SARAJEVO e LE PETIT SOLDAT.
 
 
01/06/2018, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)

Broadway by Light | Qui Êst-Vous, Polly Maggoo?
duração total da projeção: 112 min | M/12
 
01/06/2018, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo 24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)

Capitalism Slavery | Ein Bild | Stilleben
duração total da projeção: 85 min | M/12
01/06/2018, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)

Weegee’s New York | The Naked City
duração da projeção: 117 min | M/12
02/06/2018, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)

Colloque de Chiens | Lo Sceicco Bianco
duração total da projeção: 107 min | M/12
04/06/2018, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)

Colloque de Chiens | Lo Sceicco Bianco
duração total da projeção: 107 min | M/12
01/06/2018, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)
Broadway by Light | Qui Êst-Vous, Polly Maggoo?
duração total da projeção: 112 min | M/12
Géneros do fotográfico
BROADWAY BY LIGHT
de William Klein
França, 1958 – 10 min / sem diálogos
QUI ÊST-VOUS, POLLY MAGGOO?
de William Klein
com Dorothy McGowan, Jean Rochefort, Sami Frey, Grayson Hall, Delphine Seyrig, Philippe Noiret
França, 1966 – 102 min / legendado eletronicamente em português

William Klein, fotógrafo e cineasta, é reconhecido como um dos mais relevantes fotógrafos do pós-guerra e trabalhou muito, nas suas imagens, a perspetiva da reportagem e da moda. BROADWAY BY LIGHT é um colorido estudo noturno da Broadway e foi o seu primeiro filme em finais dos anos cinquenta, contando com legendas francesas de Chris Marker: “Os americanos inventaram o jazz para se consolarem da morte, a estrela para se consolarem da mulher. Para se consolarem da noite, inventaram a Broadway”. QUI ÊST-VOUS, POLLY MAGGOO? (Prémio Jean Vigo) é a primeira longa-metragem de ficção de William Klein, uma sátira a preto e branco sobre o mundo da alta-costura parisiense, inspirada na sua própria experiência como fotógrafo da revista americana Vogue, em Nova Iorque. Com Dorothy McGowan no papel da supermodelo Polly Maggoo que se vê a ser perseguida por uma equipa da televisão francesa. Primeiras exibições na Cinemateca.
 
01/06/2018, 18h30 | Sala Luís de Pina
24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)
Capitalism Slavery | Ein Bild | Stilleben
duração total da projeção: 85 min | M/12
Investigações fotográficas

Em substituição de CAPITALISM SLAVERY (3’), de Ken Jacobs, mostraremos CAPITALISM CHILD LABOR (2006,13’), filme que nos foi enviado pela respectiva distribuidora por lapso. Procuraremos exibir CAPITALISM SLAVERY na segunda sessão do programa, no dia 25.
CAPITALISM SLAVERY
de Ken Jacobs
Estados Unidos, 2007 – 3 min / mudo, sem intertítulos
EIN BILD
“Uma Imagem”
de Harun Farocki
Alemanha,1983 – 25 min / legendado eletronicamente em português
STILLEBEN
“Natureza Morta”
de Harun Farocki
Alemanha, 1997 – 57 min / legendado eletronicamente em português

A sessão reúne trabalhos de Ken Jacobs e Harun Farocki, detendo-se no poder revelador da imagem fotográfica e nos processos que presidem à sua construção. Em CAPITALISM SLAVERY, Ken Jacobs anima digitalmente uma fotografia estereográfica de trabalhadores do século XIX a colherem algodão, a que devolve uma impressão de profundidade e movimento, reativando a sua dimensão histórica. EIN BILD / “UMA IMAGEM” gira à volta do trabalho em estúdio, da construção de uma fotografia para publicação na revista Playboy. Harun Farocki realizou-o para televisão, como parte de uma série em que começara a trabalhar em 1979. Em STILLEBEN / “NATUREZA MORTA”, Farocki detém-se na ideia de que, representado objetos da vida quotidiana, os fotógrafos de publicidade prosseguem a tradição dos pintores flamengos do século XVII. A tese é ilustrada com três sequências que dão a ver o processo de fotografar três “naturezas mortas” contemporâneas. O primeiro e terceiro título são primeiras exibições na Cinemateca.
 
01/06/2018, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)
Weegee’s New York | The Naked City
duração da projeção: 117 min | M/12
Géneros do fotográfico
WEEGEE’S NEW YORK
de Weegee
Estados Unidos,1948-1954 – 21 min / sem diálogos
THE NAKED CITY
Nos Bastidores de Nova Iorque
de Jules Dassin
com Barry Fitzgerald, Don Taylor, Howard Duff
Estados Unidos, 1948 – 96 min / legendado eletronicamente em português

WEEGEE’S NEW YORK, cujo subtítulo é THE TRAVELOGUE WITH A HEART, é uma sinfonia urbana centrada nos ritmos nova-iorquinos do início dos anos cinquenta, quando milhares de pessoas enchiam as ruas e as praias de Coney Island aos domingos. É realizado pelo famoso fotógrafo Weegee (Arthur ´’Weegee' Fellig), muito conhecido pelo retrato da cidade imortalizado no livro de fotografias Naked City (1945). De modo um tanto insólito para um filme policial americano, Jules Dassin filmou todos os exteriores de THE NAKED CITY em cenários naturais, nas ruas de Nova Iorque, o que resulta num ambiente urbano diferente da cidade noturna e estilizada do filme negro. O filme inspirou-se na experiência das séries de curtas e médias metragens que nos anos trinta serviam de complemento aos programas como reconstituições de acontecimentos e nas célebres fotografias de Weegee.
 
02/06/2018, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)
Colloque de Chiens | Lo Sceicco Bianco
duração total da projeção: 107 min | M/12
Géneros do fotográfico
COLLOQUE DE CHIENS
de Raoul Ruiz
com Eva Simonet, Robert Darmel, Silke Humerl, Frank Lesne, Marie Christine Poisot
França, 1977 – 22 min / legendado eletronicamente em português
LO SCEICCO BIANCO
O Cheik Branco
de Federico Fellini
com Alberto Sordi, Brunella Bovo, Leopoldo Trieste
Itália, 1952 – 85 min / legendado eletronicamente em português

COLLOQUE DE CHIENS de Raoul Ruiz é um filme em fotorromance, seguindo uma história de identidade maternal subitamente revelada. É também um filme de grande complexidade narrativa, para a qual concorrem a voz “off”, as imagens fotográficas e as imagens cinematográficas, a inscrição de texto. Na sessão, antecede a primeira longa-metragem a solo de Federico Fellini (após LUCI DEL VARIETÀ, correalizado com Alberto Lattuada), devedora do ambiente novelesco. LO SCEICCO BIANCO é a história de uma provinciana fã de fotonovelas que, durante uma viagem a Roma, tudo faz para conhecer o herói da série “O Cheik Branco”. Alberto Sordi é fenomenal no papel do galã pusilânime; o par Brunella Bovo-Leopoldo Trieste enfileira na galeria das mais comoventes personagens de Fellini. COLLOQUE DE CHIENS é uma primeira exibição na Cinemateca.
 
04/06/2018, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
24 Imagens – Cinema e Fotografia (II)
Colloque de Chiens | Lo Sceicco Bianco
duração total da projeção: 107 min | M/12
Géneros do fotográfico
COLLOQUE DE CHIENS
de Raoul Ruiz
com Eva Simonet, Robert Darmel, Silke Humerl, Frank Lesne, Marie Christine Poisot
França, 1977 – 22 min / legendado eletronicamente em português
LO SCEICCO BIANCO
O Cheik Branco
de Federico Fellini
com Alberto Sordi, Brunella Bovo, Leopoldo Trieste
Itália, 1952 – 85 min / legendado eletronicamente em português

COLLOQUE DE CHIENS de Raoul Ruiz é um filme em fotorromance, seguindo uma história de identidade maternal subitamente revelada. É também um filme de grande complexidade narrativa, para a qual concorrem a voz “off”, as imagens fotográficas e as imagens cinematográficas, a inscrição de texto. Na sessão, antecede a primeira longa-metragem a solo de Federico Fellini (após LUCI DEL VARIETÀ, correalizado com Alberto Lattuada), devedora do ambiente novelesco. LO SCEICCO BIANCO é a história de uma provinciana fã de fotonovelas que, durante uma viagem a Roma, tudo faz para conhecer o herói da série “O Cheik Branco”. Alberto Sordi é fenomenal no papel do galã pusilânime; o par Brunella Bovo-Leopoldo Trieste enfileira na galeria das mais comoventes personagens de Fellini. COLLOQUE DE CHIENS é uma primeira exibição na Cinemateca.