agosto de 2017
dstqqss
303112345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
3456789
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Double Bill


No Double Bill de fevereiro (dois filmes, uma sessão, um bilhete único), juntámos Ficção/Ficção científica/Realidade. A realidade em si é complexa e difícil de entender, tornando-se inverosímil. Por vezes, o que nos parece um prodígio de imaginação, acaba por se aproximar assustadoramente da realidade. WEEK-END (Jean-Luc Godard, 1967) é o filme de um fim de semana idílico no campo que acaba por se transformar num verdadeiro pesadelo delirante, sem sentido e sem fim, ao mesmo tempo que a decadente burguesia francesa entra em colapso sob o peso da sua preocupação consumista. Em SOYLENT GREEN, Richard Fleischer prevê um fim de mundo, não tão disparatado quanto parece à primeira. Quando tudo for irreversível e tudo parecer perdido, como no final de THE INCREDIBLE SHRINKING MAN (Jack Arnold 1957), ou no final de SPACE COWBOYS (Clint Eastwood, 2000), quando a nossa relação com o mundo for quebrada, só as estrelas no universo, fora do tumulto da nossa vida, parecem reconhecer-nos e olhar para nós. No terceiro sábado, João César Monteiro, cineasta do real/irreal?, em RECORDAÇÕES DA CASA AMARELA, transpõe a vida e a regra: liberta-se, como sempre gostou de fazer, do corretamente possível, ou do possivelmente correto. Logo a seguir, sob o olhar de Wiseman, em TITICUT, as ‘follies’ em 1967 eram outras, as da mente, em que os homens ficam prisioneiros. No último sábado do mês, NA SALIVA DO LOBO (Joana Torgal e Rodolfo Pimenta, 2011), um “documentário” que parte de um contexto real para, sem uma palavra, tudo nos dizer da vida dos homens e da vida dos mineiros. Fechamos com as minas de AMERICAN ROMANCE (King Vidor, 1944).
 
 
04/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

Week-End | Soylent Green
duração total da projeção: 199 min | M/12
 
11/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

The Incredible Shrinking Man | Space Cowboys
duração total da projeção: 211 min | M/12
18/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

Recordações da Casa Amarela | Titicut Follies
duração total da projeção: 206 min | M/12 | M/16
25/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

A Saliva do Lobo | An American Romance
duração total da projeção: 177 min | M/12
04/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
Week-End | Soylent Green
duração total da projeção: 199 min | M/12
entre a projeção dos dois filmes há um intervalo de 30 minutos

WEEK-END 
Fim-de-Semana 
de Jean-Luc Godard

com Jean Yanne, Mireille Darc, Jean-Pierre Léaud

França, Itália, 1967 – 102 min / legendado em português

SOYLENT GREEN

À Beira do Fim

de Richard Fleischer

com Charlton Heston, Edward G. Robinson, Leigh Taylor-Young, Chuck Connors, Joseph Cotton

Estados Unidos, 1973 – 97 min / legendado em espanhol

 

Segundo Godard, um filme "perdido no cosmos" e "encontrado no ferro velho". Em forma de antecipação, WEEK-END é a mais radical parábola sobre a civilização de hoje. Reflexo do mal-estar do seu tempo, o filme de Godard anunciava o maio de 68. Um casal em férias, caos e drama ao longo da estrada (com um fabuloso e célebre plano-sequência de um travelling de dez minutos) e estranhos encontros com a história e a ficção (Saint-Just, Alice ou Lautréamont). Em SOYLENT GREEN, o ano é 2022. A superpopulação toma conta da cidade de Nova Iorque, com os seus 40 milhões de habitantes, mais de metade deles no desemprego, e com a alimentação reduzida a uma espécie de bolacha sintética (“soylent green”), uma “bomba” prestes a explodir. Charlton Heston é um polícia encarregado de investigar a morte de um ex-dirigente da empresa Soylent, e vai descobrir uma sinistra verdade. O último filme do grande Edward G. Robinson.

11/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
The Incredible Shrinking Man | Space Cowboys
duração total da projeção: 211 min | M/12

THE INCREDIBLE SHRINKING MAN

Sentenciado

de Jack Arnold

com Grant Williams, Randy Stewart, April Kent

Estados Unidos, 1957 – 81 min / legendado em espanhol

SPACE COWBOYS

Space Cowboys

de Clint Eastwood

com Clint Eastwood, Tommy Lee Jones, Donald Sutherland, James Garner, James Cromwell 

Estados Unidos, 2000 – 130 min / legendado em português

 

THE INCREDIBLE SHRINKING MAN é uma das obras-primas da ficção científica dos anos cinquenta, com notáveis efeitos especiais e um clima de angústia raras vezes alcançado no género. Um homem é exposto a uma nuvem radioativa e descobre que vai "encolhendo" a pouco e pouco. Cada vez mais pequeno, acaba por ter de lutar pela vida, enfrentando primeiro um gato e, depois, uma aranha, até "desaparecer" no "infinitamente pequeno", perdendo a capacidade de relacionamento com os homens e com o mundo. Cabe olhar as estrelas e o universo… Em SPACE COWBOYS, a última personagem de Clint-cowboy levou-o ao espaço numa aventura acompanhada por uma equipa de outros veteranos numa incursão cómica (o desfasamento etário) e grave (quando deixam a Terra): "São cowboys do espaço, e alguns estão mesmo vestidos à cowboy. Há aquele espírito aventureiro, pioneiro, e pára aí a comparação. E sendo muito individualistas, as personagens constituem mesmo assim um grupo. Em relação às normas em vigor no cinema atual, parecem personagens hollywoodianas à antiga" (Clint Eastwood).

18/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
Recordações da Casa Amarela | Titicut Follies
duração total da projeção: 206 min | M/12 | M/16
entre a projeção dos dois filmes há um intervalo de 30 minutos

RECORDAÇÕES DA CASA AMARELA

de João César Monteiro

com João César Monteiro, Manuela de Freitas, Teresa Calado, Luis Miguel Cintra, Ruy Furtado, Henrique Viana, Sabina Sacchi

Portugal, 1989 – 122 min

TITICUT FOLLIES

de Frederick Wiseman

Estados Unidos, 1967 – 84 min / legendado eletronicamente em português

 

RECORDAÇÕES DA CASA AMARELA, “uma comédia lusitana”, marca o nascimento de João de Deus, personagem cáustica e poética que só João César Monteiro podia interpretar. À primeira vez, saído de um manicómio para divagar diletante por Lisboa e “dar-lhes trabalho”, João de Deus encanta-se com uma menina que toca clarinete, passa uma noite de amor sob o olhar de Stroheim em imagem pregada na parede em cima da cama da pensão e transfigura-se em criatura das trevas como Nosferatu no fim do filme. Da filmografia inicial de Frederick Wiseman, já um retrato das instituições americanas, marca de água do seu trabalho cinematográfico, TITICUT FOLLIES foi filmado num hospital psiquiátrico prisional no Massachusetts (o Bridgewater Institute for the Criminally Insane), cujas terríveis condições o realizador quis mostrar, mas foi alvo de uma longa batalha judicial, e o primeiro filme americano censurado por motivos alheios à “obscenidade” ou “segurança nacional”, como então tornou público a Zipporah Films: imediatamente proibido pelo Supremo Tribunal do Massachusetts em nome da privacidade dos reclusos, que ordenou a destruição de todas as cópias, foi autorizado exclusivamente para profissionais quando Wiseman apresentou recurso, tendo o caso chegado ao Supremo Tribunal Federal, que se recusou a emitir parecer. A situação só mudou em 1987, quando as famílias de sete dos reclusos filmados processaram a instituição psiquiátrica e o Estado do Massachusetts, alegando que o que se queria ocultar eram os métodos bárbaros utilizados, e só em 1991 a sua circulação generalizada obteve autorização judicial.

25/02/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
A Saliva do Lobo | An American Romance
duração total da projeção: 177 min | M/12
entre a projeção dos dois filmes há um intervalo de 30 minutos

A SALIVA DO LOBO

de Joana Torgal, Rodolfo Pimenta

com os mineiros das Minas da Panasqueira

Portugal, 2010 – 55 min / sem diálogos

AN AMERICAN ROMANCE

de King Vidor

com Brian Donlevy, Ann Richards, Walter Abel

Estados Unidos, 1944 – 122 min / legendado em português

 

Um apoio da Fundação Minas da Panasqueira, para a criação de um banco de sons das Minas, permitiu a Joana Torgal e a Rodolfo Pimenta, partirem para o belo e raro A SALIVA DO LOBO (que bem merecia ser mais visto). Um documentário sobre o processo de extração do volfrâmio que recusa qualquer espécie de retrato psicológico ou sociológico – “pois o mineiro encontra-se quase sempre em segundo plano, como um vigilante do processo mecânico. Apenas surge em primeiro plano no final do filme, quando se corporiza em árvore, mantendo-se firme e resistente perante a vida e a morte.” Um filme sem palavras (sem um único diálogo), antes uma “escavação” profunda do significado de “acordo entre som e imagem” – Lugar labiríntico onde nos podemos “perder ou encontrar”. AN AMERICAN ROMANCE devia ter sido a parte central de uma trilogia idealizada por King Vidor. Depois da celebração da “terra” em OUR DAILY BREAD, Vidor queria “cantar” a odisseia do aço. O filme conta a história de um emigrante que se torna um magnata da produção de aço, culminando com o voo de centenas de aviões rumo ao combate em plena guerra. Apesar de não corresponder ao projeto inicial (de 151 minutos foi cortado para 122) e de Vidor ter sido forçado a aceitar um ator que não queria (Donlevy), AN AMERICAN ROMANCE projeta uma força telúrica como só Vidor sabia captar. A SALIVA DO LOBO é uma primeira exibição na Cinemateca.