agosto de 2017
dstqqss
303112345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
3456789
Ciclos
Pesquisa
CICLO
As Aventuras de Jean-Pierre Léaud


Por ocasião da estreia portuguesa de A MORTE DE LUÍS XIV, de Albert Serra, em que interpreta o papel do “Rei-Sol” na sua agonia, a Cinemateca presta homenagem a Jean-Pierre Léaud, através de alguns dos seus papéis mais conhecidos, que acompanham de perto a história da Nouvelle Vague e dos seus realizadores. Léaud entrou para a História do cinema logo no seu primeiro filme, que fez aos 15 anos, no papel de Antoine Doinel, em LES 400 COUPS, de François Truffaut, um dos dois títulos que lançaram a Nouvelle Vague (juntamente com O ACOSSADO, de Godard). Foi imediatamente convidado por Jean Cocteau para fazer uma pequena aparição em LE TESTAMENT D’ORPHÉE. Truffaut deu continuidade às aventuras de Antoine Doinel em três outros filmes, um dos quais uma curta-metragem. Neste Ciclo, podemos acompanhar as quatro aventuras de Antoine Doinel e também podemos acompanhar Jean-Pierre Léaud nas suas colaborações com Jean-Luc Godard, Jacques Rivette, Jean Eustache, Philippe Garrel, Luc Moullet e Pier Paolo Pasolini, em filmes que compõem um mapa do cinema moderno. Podemos vê-lo ainda num dos mais belos filmes de Aki Kaurismäki, num filme muito raro de Diourka Medveczky e num papel de maturidade, em LE PORNOGRAPHE, de Bertrand Bonello. Encarnação, no ecrã e fora dele, daquilo a que Serge Daney chamou “as terríveis aventuras do cinema moderno”, ator moderno, na medida em que se impõe pela sua presença e o seu comportamento mais do que pelas técnicas tradicionais de representação, Jean-Pierre Léaud é uma presença-chave no cinema dos anos sessenta e início dos setenta.
 
02/01/2017, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo As Aventuras de Jean-Pierre Léaud

Les 400 Coups
Os 400 Golpes
de François Truffaut
França, 1959 - 93
 
03/01/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo As Aventuras de Jean-Pierre Léaud

Les 400 Coups
Os 400 Golpes
de François Truffaut
França, 1959 - 93
03/01/2017, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo As Aventuras de Jean-Pierre Léaud

Antoine et Colette | Baisers Volés
duração total da projeção: 119 min | M/12
04/01/2017, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo As Aventuras de Jean-Pierre Léaud

L’Amour en Fuite
Amor em Fuga
de François Truffaut
França, 1979 - 94 min
05/01/2017, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo As Aventuras de Jean-Pierre Léaud

Domicile Conjugal
Domicílio Conjugal
de François Truffaut
França, 1970 - 100 min
02/01/2017, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
As Aventuras de Jean-Pierre Léaud
Les 400 Coups
Os 400 Golpes
de François Truffaut
com Jean-Pierre Léaud, Claude Maurier, Albert Rémy
França, 1959 - 93
legendado em espanhol | M/12
Filmado a preto e branco e em formato panorâmico, o filme de estreia de Truffaut é um dos atos fundadores do cinema moderno. Parcialmente autobiográfico, conta a história de um adolescente mal amado, encarnado por Jean-Pierre Léaud, então com 15 anos, que comete pequenos delitos e é friamente mandado pelos pais para um reformatório, de onde acaba por fugir, numa célebre cena, que tem tanto de realista como de simbólico. Embora menos radical do que um filme como O ACOSSADO, de Godard, OS 400 GOLPES instaura uma nova relação com os atores, com o espaço e com a narrativa.
03/01/2017, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
As Aventuras de Jean-Pierre Léaud
Les 400 Coups
Os 400 Golpes
de François Truffaut
com Jean-Pierre Léaud, Claude Maurier, Albert Rémy
França, 1959 - 93
legendado em espanhol | M/12
Filmado a preto e branco e em formato panorâmico, o filme de estreia de Truffaut é um dos atos fundadores do cinema moderno. Parcialmente autobiográfico, conta a história de um adolescente mal amado, encarnado por Jean-Pierre Léaud, então com 15 anos, que comete pequenos delitos e é friamente mandado pelos pais para um reformatório, de onde acaba por fugir, numa célebre cena, que tem tanto de realista como de simbólico. Embora menos radical do que um filme como O ACOSSADO, de Godard, OS 400 GOLPES instaura uma nova relação com os atores, com o espaço e com a narrativa.
03/01/2017, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
As Aventuras de Jean-Pierre Léaud
Antoine et Colette | Baisers Volés
duração total da projeção: 119 min | M/12
ANTOINE ET COLETTE
de François Truffaut
com Jean-Pierre Léaud, Marie-France Pisier
França, 1962 – 29 min / legendado em português
BAISERS VOLÉS
Beijos Roubados
de François Truffaut
com Jean-Pierre Léaud, Claude Jade, Delphine Seyrig, Michael Lonsdale
França, 1968 – 90 min / legendado eletronicamente em português

Depois de OS 400 GOLPES, Truffaut teve o desejo de filmar a continuação das aventuras de Antoine Doinel, mas não quis dar a impressão de explorar um filão. A primeira “sequela” das aventuras da personagem é uma curta-metragem, que se insere num filme em episódios, um formato que foi muito praticado nos anos sessenta. Em ANTOINE ET COLETTE, Antoine Doinel apaixona-se por uma rapariga que conhece num concerto de música clássica, corteja-a, mas como se torna amigo dos pais dela, ela acaba por rejeitá-lo. BEIJOS ROUBADOS, a terceira aventura da personagem, é talvez o filme “mais Nouvelle Vague” de Truffaut, o mais lúdico e aberto, em que Doinel é expulso da tropa e tem diversos pequenos empregos, antes de encontrar uma jovem, com quem acaba por se fixar. É neste filme que Antoine Doinel deixa de ser uma extensão do realizador, para adquirir vida própria. E como tantos filmes da Nouvelle Vague, é um grande filme sobre Paris.
04/01/2017, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
As Aventuras de Jean-Pierre Léaud
L’Amour en Fuite
Amor em Fuga
de François Truffaut
com Jean-Pierre Léaud, Claude Jade, Marie-France Pisier
França, 1979 - 94 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Vinte anos depois de OS 400 GOLPES, Truffaut resolve pôr fim às aventuras de Antoine Doinel, então com 35 anos, a mesma idade daquele que o encarnava no ecrã, Jean-Pierre Léaud. Embora seja porventura o menos elaborado dos filmes da série dedicada à personagem de Doinel, AMOR EM FUGA é um filme essencial na obra de Truffaut, na medida em que faz um balanço do percurso da personagem, que já não é uma projeção de Truffaut, nem de Léaud e adquiriu vida própria. Num jogo de citações e recapitulações, Truffaut insere em AMOR EM FUGA trechos de todos os outros filmes anteriores com a personagem de Doinel, num balanço final, um adeus à personagem com a qual ele próprio começara no cinema.
05/01/2017, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
As Aventuras de Jean-Pierre Léaud
Domicile Conjugal
Domicílio Conjugal
de François Truffaut
com Jean-Pierre Léaud, Claude Jade, Hiroko Berghauer
França, 1970 - 100 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Depois da ante-estreia de BEIJOS ROUBADOS na Cinemateca Francesa, Henri Langlois, o diretor daquela cinemateca, disse a Truffaut: “Quero ver estes jovens casados dentro em breve”. DOMICÍLIO CONJUGAL responde a este desejo, mostrando um Doinel adulto e já não adolescente, e Truffaut, cineasta cinéfilo, declarou ter-se inspirado nas “comédias americanas sobre os casais, de Leo McCarey e de George Cukor, sem esquecer a influência de Lubitsch, que é decisiva quando se trata de concatenar acontecimentos familiares para fazer rir o público, mas de modo a que tudo fosse tratado, evidentemente, com espírito francês”.