agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
O Que Quero Ver


Depois de, no passado mês de dezembro, termos apresentado a rubrica em formato “expandido” para marcar o regresso deste programa alimentado pelas sugestões dos espectadores da Cinemateca, O QUE QUERO VER volta ao seu formato tradicional de apresentação de um ou dois filmes por mês. Para ver em janeiro, dois documentários que tiveram, por distintas razões, uma enorme visibilidade nas salas de cinema em todo o mundo contrariando a costumeira discrição do género documental no circuito das salas comerciais: ÊTRE ET AVOIR e THE CELLULOID CLOSET.
 
 
05/01/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

Être et Avoir
Ser e Ter
de Nicolas Philibert
França, 2002 - 104 min
 
31/01/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

The Celluloid Closet
de Rob Epstein, Jeffrey Friedman
Estados Unidos, 1995 - 101 min
05/01/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
Être et Avoir
Ser e Ter
de Nicolas Philibert
França, 2002 - 104 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um documentário que constituiu um inesperado sucesso de bilheteira internacional, e que nos conta a vida e as experiências educativas de um professor e dos seus alunos numa região rural da França ao longo de um ano letivo. A passagem das estações do ano e os pequenos rituais escolares marcam o ritmo contemplativo de um documentário construído em modo observacional e capaz de dar conta da complexidade deste pequeno mundo e da relação entre as crianças e os adultos que zelam pela transmissão de saberes e pelos processos de socialização numa determinada comunidade.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
31/01/2022, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
The Celluloid Closet
de Rob Epstein, Jeffrey Friedman
com Lily Tomlin
Estados Unidos, 1995 - 101 min
legendado eletronicamente em português| M/12
Baseado no famoso livro de 1981 do escritor e ativista Vito Russo, THE CELLULOID CLOSET é um documentário tão divertido como aprofundado que retrata o modo como a opinião pública sobre a homossexualidade foi moldada pela indústria cinematográfica desde a sua origem. Através de extratos de filmes e histórias e reflexões de figuras importantes de Hollywood, os realizadores Rob Epstein e Jeffrey Friedman (THE TIMES OF HARVEY MILK e COMMON THREADS: STORIES FROM THE QUILT) analisam e descodificam as duplas leituras presentes numa dialética visibilidade/invisibilidade e na progressão da sensibilidade homossexual reprimida pelo cinema norte-americano. Primeira exibição na Cinemateca.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui