CICLO
O Que Quero Ver


Interrompida pela pandemia e pelos condicionalismos dela decorrentes sobre a nossa atividade de programação (tal como aconteceu com outras rubricas regulares da nossa programação suspensas desde março de 2020), O QUE QUERO VER regressa a fechar o ano de 2021 e em versão “expandida”, esperando-se que a partir de janeiro de 2022 volte ao seu formato habitual de uma ou duas apresentações mensais. Para tentar corresponder às muitas solicitações dos espectadores da Cinemateca que fomos recebendo ao longo dos últimos 11 meses, aproveitamos o mês de dezembro para um programa especial desta rubrica com um conjunto de 11 filmes, sendo cinco deles absolutamente inéditos nas salas da Rua Barata Salgueiro e os restantes seis escolhas “muito cá de casa”. Uma escolha eclética programada a partir dos contributos dos nossos espectadores.
 
 
02/12/2021, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

Novyy Vavilon
“A Nova Babilónia”
de Gregori Kozintsev, Leonid Trauberg
URSS, 1929 - 102 min
 
15/12/2021, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

L’Amour à Vingt Ans
de Shintarô Ishihara, Marcel Ophüls, Renzo Rossellini, François Truffaut, Andrzej Wajda
França, Itália, Japão, Polónia, R.F.A., 1962 - 110 min
17/12/2021, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

Les Grandes Manoeuvres
As Grandes Manobras
de René Clair
França, Itália, 1955 - 106 min
18/12/2021, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

The Devils
Os diabos
de Ken Russell
Reino Unido, 1971 - 109 min
22/12/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Que Quero Ver

Les Grandes Manoeuvres
As Grandes Manobras
de René Clair
França, Itália, 1955 - 106 min
02/12/2021, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
Novyy Vavilon
“A Nova Babilónia”
de Gregori Kozintsev, Leonid Trauberg
com Elena Kusmina, Petr Sobolevski, David Gutman, Serguei Guerasimov
URSS, 1929 - 102 min
mudo, intertítulos russos traduzidos em português | M12
com acompanhamento ao piano por Daniel Schvetz
Uma das obras-primas do cinema soviético, marcada pela estética da FEKS (“Fábrica do Actor Excêntrico”, o grupo de cineastas de Leninegrado a que pertencia Kozintsev) e pelo cinema de Eisenstein. Uma delirante evocação da insurreição da Comuna de Paris em 1871, onde uma operária e um soldado, de origem camponesa, se fundem nas massas que se levantaram na primeira revolução proletária (que foi massacrada impiedosamente).A música original, de Dmitri Chostakovich, recriada para esta sessão por Daniel Schvetz, era tão moderna para os ouvidos da época que alguns espectadores vinham queixar-se que o maestro estava bêbedo… O filme não é apresentado na Cinemateca desde 2010.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
15/12/2021, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
L’Amour à Vingt Ans
de Shintarô Ishihara, Marcel Ophüls, Renzo Rossellini, François Truffaut, Andrzej Wajda
com Jean-Pierre Léaud, Cristina Gaioni, Kôji Furuhata, Vera Tschechowa, Barbara Lass, Zbigniew Cybulski
França, Itália, Japão, Polónia, R.F.A., 1962 - 110 min
legendado em português | M/12
Filme omnibus, produzido por Pierre Roustang, sobre os amores obsessivos e, finalmente, desgostosos dos nossos verdes anos. Abre com a sequela de LES QUATRE CENTS COUPS de François Truffaut, encontrando o protagonista Antoine Doinel no final da adolescência, a braços com as alegrias e as agruras de uma primeira paixão. As vinhetas assinadas por Renzo Rossellini, filho de Roberto Rossellini, por Shintarô Ishihara, importante escritor e político japonês, e ainda por Marcel Ophüls, o documentarista do grupo, contam histórias sobre abandono, divisão e obsessão, mostrando o lado menos agradável das relações amorosas. O episódio final, realizado por Andrzej Wajda e protagonizado pelo “James Dean da Polónia”, Zbigniew Cybulski, é uma história de amor crescentemente “absurda” que começa sob a forma de dilema moral: uma mulher vê o seu amor por um homem fraquejar quando este se limita a fotografar uma tragédia iminente ao invés de intervir para a evitar.  Os filmes são separados por fotografias de Henri Cartier--Bresson e pela música de Georges Delerue que dá nome ao filme. Primeira apresentação na Cinemateca.
 
17/12/2021, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
Les Grandes Manoeuvres
As Grandes Manobras
de René Clair
com Michèle Morgan, Gérard Philipe, Jean Desailly, Brigitte Bardot
França, Itália, 1955 - 106 min
legendado eletronicamente em português | M/12
As “grandes manobras” do título não dizem respeito ao universo militar onde encontramos o protagonista, um Don Juan muito seguro de si interpretado por Gérard Philipe. Este aposta que conseguirá conquistar uma divorciada interpretada por Michèle Morgan antes de o seu regimento partir em missão. Filme romântico, vencedor do Prémio Louis Delluc e Georges Méliès, com a fleuma habitual do cinema de René Clair, autor de algumas das comédias mais intemporais da história do cinema e que aqui, como escreveu Georges Sadoul, “mostr[a] sem indulgência a morte e a sordidez escondidas sob os frou-frous da Belle-Époque”. Conta ainda com o atrativo de ter no elenco uma Brigitte Bardot em começo de carreira. Primeira apresentação na Cinemateca.
 
18/12/2021, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
The Devils
Os diabos
de Ken Russell
com Vanessa Redgrave, Oliver Reed, Dudley Sutton
Reino Unido, 1971 - 109 min
legendado eletronicamente em português | M/16
Realizador extraordinariamente polémico, conhecido nalguns circuitos como “o Fellini do Norte”, Ken Russell tem em THE DEVILS aquela que é, para muitos, a sua obra mais definidora. Adaptação de um livro de Aldous Huxley, trata-se de um filme de horror situado em França, no século XVII, em que um padre é acusado de ser responsável pela possessão demoníaca de uma freira viciada em sexo. Considerado herético à época, censurado no Reino Unido e Estados Unidos, o filme é um mostruário da capacidade de Ken Russell para criar uma imagética barroca e chocante. O crítico britânico Mark Kermode refere que THE DEVILS “nunca perdeu a sua capacidade para cativar e enfurecer em igual medida”. Primeira apresentação na Cinemateca.
 
22/12/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
O Que Quero Ver
Les Grandes Manoeuvres
As Grandes Manobras
de René Clair
com Michèle Morgan, Gérard Philipe, Jean Desailly, Brigitte Bardot
França, Itália, 1955 - 106 min
legendado eletronicamente em português | M/12
As “grandes manobras” do título não dizem respeito ao universo militar onde encontramos o protagonista, um Don Juan muito seguro de si interpretado por Gérard Philipe. Este aposta que conseguirá conquistar uma divorciada interpretada por Michèle Morgan antes de o seu regimento partir em missão. Filme romântico, vencedor do Prémio Louis Delluc e Georges Méliès, com a fleuma habitual do cinema de René Clair, autor de algumas das comédias mais intemporais da história do cinema e que aqui, como escreveu Georges Sadoul, “mostr[a] sem indulgência a morte e a sordidez escondidas sob os frou-frous da Belle-Époque”. Conta ainda com o atrativo de ter no elenco uma Brigitte Bardot em começo de carreira. Primeira apresentação na Cinemateca.