abril de 2021
dstqqss
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829301
2345678
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Com a Linha de Sombra


Retomando a sua regular atividade editorial, a Cinemateca publica em abril dois novos livros e faz acompanhar esses lançamentos, em colaboração com a livraria Linha de Sombra, de sessões de cinema.
O primeiro livro, A Coleção Colonial da Cinemateca, com textos de Joana Pimentel e uma longa entrevista com ela, aborda essa componente do património cinematográfico português preservado pela Cinemateca  e é dedicado à memória desta nossa colega, falecida em 2018. Primeira responsável pela área de prospeção e depósitos no Departamento de Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, J. Pimentel, que nos acompanhou ao longo de vinte e oito anos, destacou-se muito especialmente pelo seu trabalho pioneiro com os acervos relacionados com as colónias portuguesas nas sua múltiplas vertentes, sendo não apenas impulsionadora direta da salvação de boa parte deles como a sua primeira investigadora moderna, pelo olhar atento, já distanciado e pela primeira vez global (não apenas cronístico ou sociológico) que lhes dedicou. O lançamento do livro antecede a projeção de DEIXEM-ME AO MENOS SUBIR ÀS PALMEIRAS..., de Joaquim Lopes Barbosa, numa sessão que se converte assim numa dupla homenagem, evocando também este realizador singular, falecido já este ano, que foi do Porto para África (primeiro Angola, depois Moçambique) e, no coração da realidade colonial, levou a cabo o gesto corajoso, e inevitavelmente maldito, de criar uma longa-metragem… anticolonial.
O segundo livro agora publicado pela Cinemateca, Luis Miguel Cintra: O Cinema,  “fecha” o Ciclo de cinema com o mesmo nome que organizámos em 2017 dedicado a este ator essencial do cinema português das últimas décadas. No coração do livro está uma extensa conversa com Luis Miguel Cintra, para além de alguns testemunhos. A anteceder e a suceder o lançamento do livro na presença de Luis Miguel Cintra no dia 29 de abril, às 18h00, na livraria Linha de Sombra, apresentamos dois documentários sobre o fundamental trabalho do Teatro da Cornucópia e do percurso de Luis Miguel Cintra: A ILHA, de Ricardo Aibéo, e 6 GRADOS: LUIS MIGUEL CINTRA 10.2006-07.2014, de Pablo Llorca, prolongando-se esta sessão com uma conversa com o ator e encenador.
O terceiro lançamento do mês na Linha de Sombra é dedicado à mais recente obra de José Bértolo - Espectros do Cinema – Manoel de Oliveira e João Pedro Rodrigues, ”galeria de retratos de figuras que, como se diz em BENILDE, «não são deste mundo», figuras fantasmáticas, prometidas a uma existência liminar, que adquirem uma espécie de inteireza justamente na sua inconsistência ôntica” (da sinopse do livro), e antecederá a exibição dos filmes VISITA OU MEMÓRIAS E CONFISSÔES (também apresentado este mês no contexto da antevisão do Ciclo A Casa) e OÙ EN ÊTES-VOUS, JOÃO PEDRO RODRIGUES?
 
 
23/04/2021, 19h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Com a Linha de Sombra

Deixem-Me ao Menos Subir às Palmeiras…
de Lopes Barbosa
Portugal, 1972 - 71 min
 
26/04/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Com a Linha de Sombra

Où en Êtes-Vous, João Pedro Rodrigues? | Visita ou Memórias e Confissões
duração total da projeção: 89 minutos | M/12
29/04/2021, 16h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Com a Linha de Sombra

A Ilha
de Ricardo Aibéo
Portugal, 2013 - 60 min | M/12
29/04/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Com a Linha de Sombra

Conversa Com Luis Miguel Cintra / 6 Grados: Luis Miguel Cintra 10.2006-07.2014
de Pablo Llorca
Espanha, 2021 - 60 min | M/12
23/04/2021, 19h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Com a Linha de Sombra
Deixem-Me ao Menos Subir às Palmeiras…
de Lopes Barbosa
com Gabriel Chiau, Helena Ubisse, Estêvão Macunguel
Portugal, 1972 - 71 min
legendado eletronicamente em português | M/12
sessão com apresentação
DEIXEM-ME AO MENOS SUBIR ÀS PALMEIRAS…, única longa-metragem de Joaquim Lopes Barbosa (1944-2021), foi rodada entre 1971 e 1972 nos arredores de Lourenço Marques (atual Maputo) e no norte de Moçambique, onde o realizador se radicara após uma estada em Angola. Inspirado no poema Monangamba, de António Jacinto, e no conto Dina, de Luís Bernardo Honwana, o filme denuncia a violência do colonialismo e foi interpretado por atores negros empregados em repartições públicas, nos caminhos de ferro e em bancos. Falado em ronga, um dialeto do sul de Moçambique, em português e em inglês, DEIXEM-ME AO MENOS SUBIR ÀS PALMEIRAS… seria proibido na íntegra pela censura. A apresentar em cópia nova em 35mm. A sessão é antecedida, às 18h30, pelo lançamento do livro A Coleção Colonial da Cinemateca, de Joana Pimentel, na livraria Linha de Sombra. 
 
26/04/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Com a Linha de Sombra
Où en Êtes-Vous, João Pedro Rodrigues? | Visita ou Memórias e Confissões
duração total da projeção: 89 minutos | M/12
com as presenças de João Pedro Rodrigues (a confirmar) e José Bértolo
OÙ EN ÊTES-VOUS, JOÃO PEDRO RODRIGUES?
de João Pedro Rodrigues
com João Pedro Rodrigues, João Rui Guerra da Mata
Portugal, França, 2018 – 21 min

VISITA OU MEMÓRIAS E CONFISSÕES
de Manoel de Oliveira
com Manoel de Oliveira, Maria Isabel Oliveira, Urbano Tavares Rodrigues, Teresa Madruga, Diogo Dória
Portugal, 1982 - 68 min

Realizado no início dos anos oitenta para ser visto como filme póstumo, VISITA OU MEMÓRIAS E CONFISSÕES levou Manoel de Oliveira a filmar a casa da Rua Vilarinha, no Porto, projetada pelo arquiteto José Porto, que fez construir e foi a sua casa de família desde que se casou em 1940 e durante cerca de quatro décadas mas foi forçado a vender. É um filme autobiográfico, de “memórias e confissões”, facto que esteve na origem da vontade do realizador em mantê-lo inédito durante o seu tempo de vida. “Uma casa é uma relação íntima, pessoal, onde se encontram as raízes”, “a meu pedido, a Agustina fez um texto, muito bonito, a que chamou Visita. E eu acrescentei-lhe algumas reflexões sobre a casa e sobre a minha vida” (Manoel de Oliveira).  Parte de uma série de auto-retratos filmados encomendados pelo Centro Pompidou a realizadores, OÙ EN EST-VOUS, JOÃO PEDRO RODRIGUES?  explora a relação do cineasta com o seu trabalho, com destaque para o filme O ORNITÓLOGO, através de uma colagem de imagens líricas e narração reflexiva.
 
29/04/2021, 16h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Com a Linha de Sombra
A Ilha
de Ricardo Aibéo
Portugal, 2013 - 60 min | M/12
com as presenças de Ricardo Aibéo (a confirmar) e Luis Miguel Cintra
A ILHA, um dos vários documentários dedicados ao trabalho do Teatro da Cornucópia, e porventura um dos mais atentos de entre eles, é um filme de Ricardo Aibéo, ator que regularmente colaborou com a companhia, e foi rodado em 2009 durante a preparação de A Tempestade, de Shakespeare. Registo dos ensaios, é também um olhar afetivo sobre a Cornucópia, tendo sido anteriormente exibido no Ciclo que a Cinemateca organizou, em 2013, por ocasião do 40ª aniversário da companhia.
 
29/04/2021, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Com a Linha de Sombra
Conversa Com Luis Miguel Cintra / 6 Grados: Luis Miguel Cintra 10.2006-07.2014
de Pablo Llorca
Espanha, 2021 - 60 min | M/12
com as presenças de Pablo Llorca e Luis Miguel Cintra
Uma conversa com Luis Miguel Cintra a pretexto do lançamento do catálogo que lhe é dedicado pela Cinemateca e que é lançado neste dia na livraria Linha de Sombra, às 18h00. O encontro abre com a exibição de 6 GRADOS. Assinado por Pablo Llorca (realizador espanhol com quem Luis Miguel Cintra colaborou em mais do que uma ocasião), é um inédito documentário revisita alguns momentos  do trabalho do criador, ator e encenador do Teatro da Cornucópia, registados ao longo de ensaios e espetáculos durante quase toda a última década de existência desta fundamental companhia teatral.