agosto de 2020
dstqqss
2627282930311
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
303112345
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)


Prosseguindo uma série iniciada em 2019 com o melodrama, a revisitação pela Cinemateca dos grandes géneros será em 2020 o momento da comédia. Porventura o género intrinsecamente mais popular de todos, e também aquele que mais cedo se definiu – como se o único “código” fosse algo muito simples de descrever, pôr uma plateia a rir-se. Foi através disso que o cinema – com Chaplin à cabeça – criou os seus primeiros gigantes, e mais perto esteve de atingir a universalidade. Também por isso, enquanto muitos outros géneros nasceram e morreram, a comédia sempre existiu, numa infinita variação de subgéneros, correntes, estilos e adaptações locais ou regionais. A nossa ideia é seguir-lhe o rasto através das décadas e da geografia. Para tal, dividimos o Ciclo em três andamentos, a apresentar ao longo do ano.
O primeiro, que nos ocupará ao longo de janeiro, faz uma aproximação histórica ao género, canonicamente entendido. Veremos e seguiremos as principais figuras criadoras do género (e criadas pelo género), desde os primórdios aos nossos dias, entre cineastas e atores, entre figuras únicas e avulsas (como, por exemplo, Tati) e variações que se transformaram em subgéneros ou “correntes” e consubstanciaram um entendimento preciso e historicamente definido da comédia cinematográfica (como por exemplo a screwball ou a “comédia à italiana”).
No segundo andamento, procuraremos os caminhos mais excêntricos da comédia. Seja geograficamente, olhando para as cinematografias fora do eixo euro-americano que ainda forma a base do “cânone”, seja estilisticamente, olhando para autores que, sem serem cineastas de “género”, importaram para os seus estilos e universos pessoais elementos e procedimentos derivados da comédia (Iosseliani, Luc Moullet, João César Monteiro, entre muitos outros exemplos). Será, portanto, o momento de procurar a comédia fora da comédia no seu sentido estrito.
O terceiro andamento isola um elemento crucial do código cómico: o riso. Como os filmes de Buster Keaton bem mostram, o riso, na comédia, é atirado para fora do ecrã, é na plateia que ele tem lugar, é algo que fica para o espectador. Procuraremos, nessa terceira parte do Ciclo, ver o que acontece (e porque é que acontece) quando a lógica é invertida, e é no ecrã que o riso tem lugar, talvez para descobrir que, na maior parte dos casos, o riso feito espetáculo não dá vontade de rir e das duas uma, ou se ri o espectador ou se ri o ecrã. O que são a comédia sem o riso, e o riso sem a comédia?
Inquietações que virão mais tarde no ano. Para já, uma perspetiva histórica do género, através de um punhado de filmes que estão entre os mais divertidos alguma vez feitos, e entre os que formaram a própria noção do que é a comédia cinematográfica. E que continuam a olhar para nós, humanos desta e doutras épocas, no exato sentido em que Aristóteles, o primeiro “teórico” da comédia, a definiu enquanto arte poética que trata das baixezas do Homem sem provocar nem terror nem piedade.
 
 
02/01/2020, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Modern Times
Tempos Modernos
de Charles Chaplin
Estados Unidos, 1936 - 86 min
 
02/01/2020, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Fra Diavolo/The Devil’s Brother
Fra Diavolo
de Charles Rogers, Hal Roach
Estados Unidos, 1933 - 89 min
02/01/2020, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

The Awful Truth
Com a Verdade me Enganas
de Leo McCarey
Estados Unidos, 1937 - 90 min
03/01/2020, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Playtime
Playtime - Vida Moderna
de Jacques Tati
França , 1967 - 123 min
03/01/2020, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

My Man Godfrey
Doidos Milionários
de Gregory La Cava
Estados Unidos, 1936 - 95 min
02/01/2020, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Os Reis da Comédia
Modern Times
Tempos Modernos
de Charles Chaplin
com Charles Chaplin, Paulette Godard
Estados Unidos, 1936 - 86 min
intertítulos em inglês com legendas em português | M/6
Charlot desafia os tempos modernos, fazendo da indústria mecânica e dos conflitos laborais o alvo da sua sátira. Depois de trabalhar numa fábrica, Charlot apanha uma bandeira vermelha no chão e é preso como agitador, domina uma revolta na cadeia (depois de ter tomado cocaína sem o saber) e é louvado pelo poder. Uma irresistível crítica à desumanização e a luta, sempre atual, da busca do amor. O último filme mudo de Charlot (ou melhor, quase mudo) e da sua personagem de vagabundo.
 
02/01/2020, 18h30 | Sala Luís de Pina
Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Os Reis da Comédia
Fra Diavolo/The Devil’s Brother
Fra Diavolo
de Charles Rogers, Hal Roach
com Stan Laurel, Oliver Hardy, James Finlayson, Wilfred Lucas
Estados Unidos, 1933 - 89 min
legendado eletronicamente em português | M/12
FRA DIAVOLO é um exemplo de um tipo de burlesco operático em que Stan Laurel e Oliver Hardy se destacaram na década de 1930. Trata-se da adaptação de uma opereta de Auber, compositor do século XIX, várias vezes levada ao cinema e que relata a história de um salteador nas estradas de Itália. Um dos melhores filmes de Laurel & Hardy.
 
02/01/2020, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Os Reis da Comédia
The Awful Truth
Com a Verdade me Enganas
de Leo McCarey
com Cary Grant, Irene Dunne, Ralph Bellamy
Estados Unidos, 1937 - 90 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um dos grandes momentos da "screwball comedy", sobre as peripécias de um jovem casal que está em processo de divórcio e percebe que ainda se ama momentos antes do divórcio ser efetivo. Como sempre, neste género de filmes, THE AWFUL TRUTH acumula equívocos, mal-entendidos e quiproquós, e a ordem acaba por ser restabelecida, depois de ser provisória e seriamente abalada. Óscar para Leo McCarey, que bisou em 1944 com GOING MY WAY. A apresentar em cópia digital.
 
03/01/2020, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Os Reis da Comédia
Playtime
Playtime - Vida Moderna
de Jacques Tati
com Jacques Tati, Barbara Dennek
França , 1967 - 123 min
legendado em português | M/12
Uma sátira à vida moderna e à mecanização, com o Sr. Hulot, alter ego de Tati, provocando o caos numa sofisticada zona residencial e durante a inauguração de um luxuoso restaurante. A mestria dos gags dos grandes mestres do burlesco alia-se a um requinte de pormenores, desde os gestos mais insignificantes do dia a dia a uma sugestiva crítica à despersonalização do meio ambiente, em nome da eficácia e da rentabilidade. A banda sonora é um prodigioso emaranhado de sons e ruídos, que quase tornam supérflua a palavra. Filmado e apresentado em 70mm, hoje é praticamente impossível vê-lo nesse formato, o que faz perder muito mais do que se pensa.
 
03/01/2020, 18h30 | Sala Luís de Pina
Revisitar os Grandes Géneros: A Comédia (Parte I)

Os Reis da Comédia
My Man Godfrey
Doidos Milionários
de Gregory La Cava
com William Powell, Carole Lombard, Gail Patrick, Alice Brady, Eugene Pallette
Estados Unidos, 1936 - 95 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Talvez a “screwball comedy” por excelência da década de 30. Carole Lombard faz parte de uma família de milionários excêntricos, que, na sequência de uma aposta, contrata um vagabundo para mordomo (na realidade um “falso” vagabundo), William Powell, que lhes vai ensinar que o dinheiro não é tudo.