agosto de 2020
dstqqss
2627282930311
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
303112345
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
CICLO
O Dia Mais Curto


A Cinemateca volta a associar-se à organização do dia que internacionalmente celebra o formato da curta-metragem. Pelo sétimo ano consecutivo, numa colaboração com a Agência da Curta Metragem, no dia mais curto do ano, o do Solstício de inverno, a Cinemateca apresenta uma sessão especial para celebrar o “formato”, numa original iniciativa que nasceu em 2011, em França, e que ocorre em simultâneo em dezenas de países em todo o mundo.
 
 
21/12/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Dia Mais Curto

Amor Quântico | Circo do Amor | Ruby
duração total da projeção: 56 min | M/16
 
21/12/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
O Dia Mais Curto

em colaboração com a Agência da Curta Metragem
Amor Quântico | Circo do Amor | Ruby
duração total da projeção: 56 min | M/16
com a presença dos realizadores
AMOR QUÂNTICO
de Paulo Furtado
com Lucie Lucas, João Melo
Portugal, 2019 – 11 min
CIRCO DO AMOR
de Miguel Clara Vasconcelos
com Romi Soares, Alexander David, Isabel Costa, Arthur Jacquin, Laurent Roth
Portugal, 2018 – 20 min
RUBY
de Mariana Gaivão
com Ruby Taylor, Millie Romer
Portugal, 2019 – 25 min

Celebrando o “dia mais curto” do ano, o programa reúne três títulos de ficção de curta-metragem de produção estreados no festival Curtas de Vila do Conde e nunca antes apresentados na Cinemateca. A abrir a sessão, AMOR QUÂNTICO, assinado pelo músico e realizador Paulo Furtado, é um filme com três narrativas paralelas, envolvendo a mesma mulher, sem que exista uma ordem cronológica clara. Em CIRCO DO AMOR, de Miguel Clara Vasconcelos, seguimos Alberto, que vive com a sua mãe numa urbanização onde também trabalha. Um dia, uma pequena companhia de circo instala-se perto da sua residência, perturbando o quotidiano de Alberto e despertando nele o desejo há muito adormecido de independência e liberdade. Por último, em RUBY, prémio de Melhor Realização para Mariana Gaivão no Curtas deste ano, “o canto da madrugada desce a montanha queimada, ecoando no xisto de uma aldeia portuguesa. Ruby desperta e ergue-se na meia luz. No exterior, o seu cão Frankie fugiu. Filha de dois mundos, aquele que os pais ingleses deixaram para trás e a terra portuguesa que a viu crescer mas que ainda lhe chama estrangeira, Ruby move-se entre as fronteiras de ambos, sem pertencer a nenhum. A sua melhor amiga, Millie, irá regressar a Inglaterra, e o fim da infância de ambas encontra-se com o fim de um dia quente de verão” (das notas de produção do filme).