agosto de 2020
dstqqss
2627282930311
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
303112345
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
CICLO
A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste


Organizada no ano em que se comemora o 30º aniversário da queda do Muro de Berlim, a retrospetiva “Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste” aponta para a vitalidade da produção cinematográfica na República Democrática Alemã entre 1946 e 1991, sobretudo a cargo dos estúdios DEFA – Deutsche Film-Aktiengesellschaft, a prolífica produtora estatal criada pouco depois do final da Segunda Guerra Mundial, que permaneceu em atividade durante mais de quatro décadas.
A produção da DEFA e, mais genericamente, da Alemanha Oriental, tem sido revisitada com alguma regularidade pela programação da Cinemateca, tendo-se em 2009 assinalado os 20 anos da queda do Muro com o Ciclo “Os Mil Rostos de Berlim”. Este é sem dúvida um programa muito ambicioso e abrangente que, embora centrado no documentário, inclui filmes de outros registos. É também um programa que estabelece interessantes ligações com o "Cinema de Weimar", mostrado no mês de setembro, em que se exibiu um filme mudo de  Gerhard Lamprecht, cineasta conhecido pelas suas representações cinematográficas de Berlim, que reencontramos vinte anos depois, em 1946, a filmar numa cidade em ruínas (IRGENDWO IN BERLIN, a longa-metragem de abertura).
Como escreveu Agnès Wildenstein, que desenhou esta retrospetiva: “A DEFA foi fundada ainda antes da RDA, em 1946, e permaneceu em atividade até 1991, tendo produzido centenas de filmes de ficção e documentários. Muitos cineastas talentosos criaram uma obra significativa que merece ser redescoberta e reavaliada, permitindo-nos compreender melhor um momento emocionante da história contemporânea do cinema com uma perspetiva atual. Naquela espécie de prisão a céu aberto, engendraram um espaço de liberdade cinematográfica. Esta retrospetiva tem como objetivo mostrar a abundância de formas e temas nas produções cinematográficas da Alemanha Oriental entre 1946 e 1990, principalmente da DEFA, censuradas ou não: filmes de propaganda e proibidos, ficções e documentários, curtas e longas, realizados por várias gerações de cineastas, incluindo Gerhard Lamprecht, Karl Gass, Konrad Weiss, Winfried Junge, Gerhard Klein, Jürgen Böttcher, Gitta Nickel, Volker Koepp, Andreas Voigt, Helke Misselwitz e Thomas Heise, entre outros, sem esquecer um dos seus melhores diretores de fotografia, Thomas Plenert.”
A apresentar pela primeira vez na Cinemateca (à exceção de IRGENDWO IN BERLIN, PAULE IN CONCERT e, naturalmente, NUIT ET BROUILLARD, que nesta ocasião se mostra numa inédita versão da DEFA), os filmes deste Ciclo são exibidos maioritariamente em película. A retrospetiva conta com as presenças de Ralf Schenk (historiador de cinema e diretor da Fundação DEFA) e dos cineastas Thomas Heise, Volker Koepp, Andreas Voigt e Helke Misselwitz.
A colaboração com o Doclisboa estende-se a uma sessão de curtas-metragens da cineasta de origem libanesa Jocelyne Saab (1948-2019), a quem o Doclisboa dedica este ano a sua retrospetiva de autor. Destacamos a apresentação de LES FEMMES PALESTENIENNES (1974), filme a apresentar em estreia mundial numa nova cópia produzida pelo centro de conservação da Cinemateca propositadamente para a retrospetiva.
 
 
17/10/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste

Berlin im Aufbau | Irgendwo in Berlin
duração total da projeção: 107 minutos
 
17/10/2019, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste

Schaut auf Diese Stadt
“Vejam esta Cidade”
de Karl Gass
RDA, 1962 - 85 min
17/10/2019, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste

Stahl | Der Sekretär | Die Karbidfabrik | Feierabend
duração total da projeção: 106 minutos
17/10/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste

Turbine I | Ofenbauer | Wäscherinnen | Rangierer
duração total da projeção: 85 minutos
18/10/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste

Barfuss und Ohne Hut | Es Genügt Nicht 18 zu Sein | In Sachen H. und Acht Anderer | Einmal un der Woche Schrein
duração total da projeção: 94 minutos
17/10/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste
Berlin im Aufbau | Irgendwo in Berlin
duração total da projeção: 107 minutos
Reconstrução / Reconstruction

com a presença de Ralf Schenk
BERLIN IM AUFBAU
“Berlim em Reconstrução”
de Kurt Maetzig
Alemanha, 1946 – 22 min
IRGENDWO IN BERLIN
“Algures em Berlim”
de Gerhard Lamprecht
com Harry Hindemith, Hedda Sarnow, Charles Brauer, Hans Trinkhaus
Alemanha, 1946 – 85 min
legendados eletronicamente em inglês e português | M/12

Berlim, um ano depois do fim da II Guerra. Por entre as ruínas e uma estrutura social totalmente desorganizada, os berlinenses comuns sobrevivem como podem, à custa de expedientes (o mercado negro, algumas pequenas desonestidades). O filme de Gerhard Lamprecht faz o retrato de uma comunidade, num bairro berlinense arrasado, seguindo em especial um grupo de miúdos, vários deles deixados órfãos pela guerra. Em BERLIN IM AUFBAU tece-se uma história recente da cidade de Berlim, evocando-se o esforço coletivo na recuperação de Berlim após a destruição de 1945, num filme que faz extenso uso de imagens dos jornais de atualidades da DEFA
 
17/10/2019, 18h30 | Sala Luís de Pina
A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste
Schaut auf Diese Stadt
“Vejam esta Cidade”
de Karl Gass
RDA, 1962 - 85 min
legendado eletronicamente em inglês e português | M/12
Porquê construir um Muro? / Why Build a Wall?
Começada a construção do Muro de Berlim em 1961, havia que o justificar. SCHAUT AUF DIESE STADT é, nesse sentido, um filme de propaganda e "pedagogia", que através de uma montagem "modernista" pinta retratos antagónicos dos lados Ocidental e Oriental de Berlim, fazendo do primeiro uma influência perniciosa sobre o segundo. Que o Muro se construa, então, como uma "defesa antifascista". O realizador Karl Gass (1917-2009) foi soldado durante a II Guerra e, depois, tornou-se um dos principais cineastas de propaganda da RDA, tendo dirigido mais de cem filmes.
 
17/10/2019, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste
Stahl | Der Sekretär | Die Karbidfabrik | Feierabend
duração total da projeção: 106 minutos
Glória ao Trabalho! / Hail to Work!
STAHL
“Aço”
de Joop Huisken
RDA, 1950 – 13 min
DER SEKRETÄR
“O Secretário”
de Jürgen Böttcher
RDA, 1967 – 29 min
DIE KARBIDFABRIK
“A Fábrica de Carboneto”
de Heinz Brinkmann
RDA, 1987-1988 – 25 min
FEIERABEND
“Lazer”
de Karl Gass
RDA, 1964 – 39 min
legendados eletronicamente em inglês e português | M/12

Em STAHL, conta-se (ou canta-se) o esforço dos operários que constroem, eles próprios, a fábrica de aço em que depois virão a trabalhar. DER SEKRETÄR apresenta-nos Gerhard Grimmer, representante do Partido Comunista da RDA numa fábrica de produtos químicos, e a sua incansável luta em prol do bem estar dos trabalhadores. Outra fábrica, esta de carbonetos, um material sujo e cuja produção mais sujidade provoca, é-nos mostrada em DIE KARBIDFABRIK, filme já dos anos finais da RDA. FEIERABEND segue os trabalhadores de outra fábrica no momento em que deixam o trabalho e se dedicam ao tempo livre, num filme que propõe um retrato surpreendetemente pouco idealista: a dureza das condições de vida é rimada por um lazer pouco saudável, onde o álcool se consome em grandes quantidades.
 
17/10/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste
Turbine I | Ofenbauer | Wäscherinnen | Rangierer
duração total da projeção: 85 minutos
Glória aos Trabalhadores! / Hail to Workers!
TURBINE I
“Turbina I”
de Joop Huisken
RDA, 1953 – 25 min
OFENBAUER
“Construtores de Fornalhas”
de Jürgen Böttcher
RDA, 1962 – 15 min
WÄSCHERINNEN
“Lavadeiras”
de Jürgen Böttcher
RDA, 1972 – 23 min
RANGIERER
“Maquinistas”
de Jürgen Böttcher
RDA, 1984 – 22 min
legendados eletronicamente em inglês e português | M/12

Jurgen Böttcher (n. 1931) foi um dos mais importantes cineastas da RDA, e é dele, já no período imediatamente anterior à reunificação alemã, um dos mais impressionantes documentos sobre o Muro de Berlim (DIE MAUER, de 1990). Nesta sessão veremos um punhado dos muitos filmes curtos que dirigiu durante a vigência da RDA, focando aspetos da vida dos trabalhadores alemães orientais, retratados num recorte quase épico, destacando-se o magnífico trabalho fotográfico de Thomas Plenert em RANGIERER. Em TURBINE I, embora o realizador seja outro, essas características mantêm-se: aqui se mostra como os trabalhadores de uma central nuclear se empenharam na reparação de uma turbina avariada, evitando assim uma quebra no fornecimento de energia.
 
18/10/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
A Cinemateca com o Doclisboa: Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste
Barfuss und Ohne Hut | Es Genügt Nicht 18 zu Sein | In Sachen H. und Acht Anderer | Einmal un der Woche Schrein
duração total da projeção: 94 minutos
Que Bonita é a Nossa Juventude! 1 / How Wonderful Is Our Youth! 1
BARFUSS UND OHNE HUT
“Descalços e sem Chapéu”
de Jürgen Böttcher
RDA, 1964 – 26 min
ES GENÜGT NICHT 18 ZU SEIN
"Ter 18 Anos Não Chega”
de Kurt Tetzlaff
RDA, 1964 – 22 min
IN SACHEN H. UND ACHT ANDERER
“O Caso de H. e Outros Oito”
de Richard Cohn-Vossen
RDA, 1972 – 29 min
EINMAL IN DER WOCHE SCHREIN
“Gritar uma vez por Semana”
de Günter Jordan
RDA, 1982 – 17 min
legendados eletronicamente em português e inglês | M/12

Jovens em férias, junto à praia, que falam para a câmara de Böttcher sobre os seus planos e aspirações para o futuro, são a matéria de BARFUSS UND OHNE HUT. Outros jovens, trabalhadores da indústria do petróleo, são mostrados em ES GENÜGT NICHT 18 ZU SEIN, talvez com demasiada candura – o filme foi proibido por "desacreditar o socialismo". IN SACHEN H. UND ACHT ANDERER mostra o julgamento de um grupo de jovens acusados de um roubo, levantando o véu sobre as circunstâncias sociais em torno do caso. A juventude dos anos 80, muito "rock", surge em EINMAL IN DER WOCHE SCHREIN, sobre um grupo de músicos do bairro de Pankow, em Berlim Oriental. Demasiado "rock": também foi proibido.