maio de 2020
dstqqss
262728293012
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31123456
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
CICLO
1939 – Dançando Sobre um Vulcão


“A minha ambição, quando comecei a pensar no filme, era ilustrar esta ideia: dançamos sobre um vulcão.” São palavras de Jean Renoir, alguns anos depois, explicando como se formou no seu espírito o projeto do filme que veio a ser LA RÈGLE DU JEU. O “vulcão” era o vulcão de 1939, ano em que principiou a II Guerra Mundial, guerra que para a generalidade das mentes lúcidas – como, indubitavelmente, a de Renoir – se afigurava como inevitável muitos meses antes de, em setembro desse ano, a premonição se confirmar.
80 anos depois, faz sentido revisitar esse ano de 1939, e reencontrar o cinema que “dançava sobre um vulcão”, tivesse disso a plena consciência ou não tivesse. Porventura, nenhum outro filme o sabia melhor – explicitamente, ou quase – do que a RÈGLE DU JEU, de resto um filme que logo na estreia (e sobretudo na estreia) suscitou violentíssimas reações, elas próprias um sinal do “vulcão” sobre o qual o mundo de 39 dançava (e como disse mais tarde Renoir: “Levei muita pancada na vida, mas uma pancada como aquela é inigualável).” Por isso o chamamos, em alusão, para o título do Ciclo. E com ele pomos em diálogo perto de duas dezenas de filmes, de países que viriam a ser centrais no conflito iminente, e em alguns casos (Sirk, Ophuls, Schünzel, de outra forma Veit Harlan) assinados por cineastas cujas vidas pessoais e profissionais viriam a ser definitivamente marcadas pela guerra (o título do filme que representa Ophuls também tinha qualquer coisa de premonitório: “sem amanhã”…). Nem o cinema nem a sociedade que o gerou terá alguma vez sido “inocente”, mas há uma tensão a percorrer tantos destes filmes (mesmo quando resolvidas pela ironia, como na BALALAIKA de Schünzel), do MR. SMITH GOES TO WASHINGTON, expressão máxima do Capra social e politicamente empenhado, ao mergulho no realismo amargo de Busby Berkeley (THEY MADE ME A CRIMINAL), passando pelo estoicismo sacrificial dos heróis do ONLY ANGELS HAVE WINGS de Hawks ou dos CONTOS DOS CRISÂNTEMOS TARDIOS de Mizoguchi (e convém não esquecer que para o Japão a guerra começara anos antes, com a invasão do território chinês), uma tensão tão grande que suscita a célebre metáfora do “sismógrafo”: se queremos sentir como a terra tremeu anunciando a erupção do vulcão de 1939, vejamos os filmes desse ano.
 
 
13/05/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 1939 – Dançando Sobre um Vulcão

Only Angels Have Wings
Paraíso Infernal
de Howard Hawks
Estados Unidos, 1939 - 117 min
 
13/05/2019, 18h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo 1939 – Dançando Sobre um Vulcão

Chchors
de Aleksandr Dovjenko (e Yulia Solntseva)
URSS, 1939 - 115 min
13/05/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 1939 – Dançando Sobre um Vulcão

La Règle du Jeu
A Regra do Jogo
de Jean Renoir
França, 1939 - 110 min
14/05/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 1939 – Dançando Sobre um Vulcão

Mr. Smith Goes to Washington
Peço a Palavra
de Frank Capra
Estados Unidos, 1939 - 125 min
15/05/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo 1939 – Dançando Sobre um Vulcão

Young Mr. Lincoln
A Grande Esperança
de John Ford
Estados Unidos, 1939 - 100 min
13/05/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
1939 – Dançando Sobre um Vulcão
Only Angels Have Wings
Paraíso Infernal
de Howard Hawks
com Cary Grant, Jean Arthur, Richard Barthelmess, Thomas Mitchell, Rita Hayworth
Estados Unidos, 1939 - 117 min
legendado em francês e eletronicamente em português | M/12
Howard Hawks realizou obras-primas em quase todos os géneros do cinema de Hollywood (musicais, comédias, westerns, filmes “negros”) e também em filmes de aviação, de que ONLY ANGELS HAVE WINGS é exemplo. Protagonista do filme, Cary Grant, explicava assim o segredo da sua atração: “I play myself.” Em ONLY ANGELS HAVE WINGS, ele é o homem que nunca tem lume e atira sempre uma moeda (sem coroa) ao ar perante uma dúvida. A quintessência do cinema de Howard Hawks: um filme de aviadores, de sacrifício por amor e de heróis suicidários. Um dos mais belos filmes do mundo.
 
13/05/2019, 18h30 | Sala Luís de Pina
1939 – Dançando Sobre um Vulcão
Chchors
de Aleksandr Dovjenko (e Yulia Solntseva)
com Yevgeny Samoilov, Ivan Skuratov
URSS, 1939 - 115 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Pessoalmente “sugerido” a Dovjenko pelo próprio Estaline, que queria um “TCHAPAIEV ucraniano” (alusão a um dos expoentes do “realismo socialista”), CHCHORS segue a história de Nikolai Chchors, herói da Primeira Guerra, líder da resistência aos "russos brancos" e símbolo do bolchevismo ucraniano. Em suma, um fortíssimo objeto de propaganda, sedução e “mobilização”, que neste caso resultou no que muitos consideram ser a obra-prima do “realismo socialista”.
 
13/05/2019, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
1939 – Dançando Sobre um Vulcão
La Règle du Jeu
A Regra do Jogo
de Jean Renoir
com Marcel Dalio, Nora Grégor, Roland Toutain, Julien Carette, Gaston Modot, Mila Parély, Jean Renoir
França, 1939 - 110 min
legendado em português | M/12
O mais lendário filme de Jean Renoir. Sem personagem principal, com nada menos do que oito protagonistas, “sem história”, implacável e demencial, objeto de tanta ira como de admiração, LA RÈGLE DU JEU é, para muitos, a obra máxima de Renoir, mostrando-nos uma coreografia em que a câmara acompanha as fugas e jogos de amor das personagens, numa mansão senhorial. Enquanto dançam sobre o vulcão, a Europa e o mundo caminham para a guerra.
 
14/05/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
1939 – Dançando Sobre um Vulcão
Mr. Smith Goes to Washington
Peço a Palavra
de Frank Capra
com James Stewart, Jean Arthur, Claude Rains, Edward Arnold, Thomas Mitchell
Estados Unidos, 1939 - 125 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um dos apólogos rooseveltianos de Capra, com James Stewart no papel de um americano idealista, que descobre a corrupção no Senado americano. Entra então em luta com os elementos corruptos do sistema e é ameaçado de expulsão do Senado, sendo julgado pelos seus pares. A justiça acabará por vencer. Além disso, se Grifftih "inventou" o grande plano, Capra, nos fabulosos grandes planos de Jean Arthur, "reinventou-o" no cinema sonoro de Hollywood. A apresentar em cópia digital.
 
15/05/2019, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
1939 – Dançando Sobre um Vulcão
Young Mr. Lincoln
A Grande Esperança
de John Ford
com Henry Fonda, Alice Brady, Marjorie Weaver, Donald Meek, Ward Bond
Estados Unidos, 1939 - 100 min
legendado em português | M/12
Inspirando-se num episódio da vida de Abraham Lincoln no começo da sua carreira de advogado, John Ford dirige um dos filmes maiores da sua obra e um dos mais pessoais. Para muitos, é mesmo a sua obra-prima absoluta. Eisenstein referiu-se a YOUNG MR. LINCOLN como o filme que gostaria de ter feito.