fevereiro de 2020
dstqqss
2627282930311
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
1234567
PROGRAMA
Ciclos
Pesquisa
11/02/2020, 10h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Leonardo Di Costanzo – Comunidade, Escola, Família

Em colaboração com o Instituto Italiano de Cultura, no contexto do 2º Encontro Cinema e Educação
2º Encontro Cinema e Educação Indisciplinar a Escola
entre as 10h e as 18h
Num contexto em que, a somar­-se aos projetos em curso dedicados à iniciação ao cinema de âmbito europeu ou nacional (Cinema Cem Anos de Juventude, CinED, CINARTS, Shortcut, Plano Nacional de Cinema), está em pleno desenvolvimento uma nova iniciativa governamental do Ministério da Cultura com o Ministério da Educação em que se procura a inserção do cinema e das outras artes nos percursos escolares (o Plano Nacional das Artes), a Cinemateca co­‑organiza a segunda edição do Encontro Cinema e Educação. Dedicado à discussão alargada da relação entre a educação e as artes – não apenas o ensino artístico mas o universo mais vasto da educação pela arte e o papel das artes em todo o âmbito educativo ­‑, o objetivo deste segundo Encontro Cinema e Educação (que tem como subtítulo Indisciplinar a Escola) será o de trabalhar o cinema como um dos contributos possíveis para rasgar as fronteiras mais convencionais da experiência educativa, ao mesmo tempo que se trabalha a experiência educativa como área exploratória de novos caminhos cinematográficos. Neste encontro, autores e investigadores de várias áreas – tanto do lado da educação como do lado do cinema (ou cruzando as duas, como é o caso de Alain Bergala, autor em França da mais antiga e mas ambiciosa iniciativa de cruzamento entre cinema e educação) – serão convidados a levantar questões e a debater o tema, cruzando experiências e ideias numa agenda de discussão aberta, que permita acima de tudo ampliar o âmbito conceptual normalmente tido em conta neste campo.
O Encontro, aberto a todos os interessados, decorre na Sala M. Félix Ribeiro no dia 11 de fevereiro entre as 10h e as 18h. Todas as sessões do ciclo Leonardo Di Costanzo são organizadas em articulação com o Encontro, do qual são também parte integrante tendo em conta a forma como este autor tem trabalhado (na ficção e no documentário) a relação entre a escola e as comunidades onde estão inseridas e as questões mais latas da educação nas nossas sociedades.
Entrada livre mediante o levantamento de ingresso na bilheteira | Os interessados em participar no Encontro são convidados a inscrever-se através do e-mail divulgacao@cinemateca.pt
 
11/02/2020, 18h30 | Sala Luís de Pina
Lana Turner, de Hollywood
A Life of Her Own
Seguirei o Meu Destino
de George Cukor
com Lana Turner, Ray Milland, Tom Ewell, Louis Calhern, Ann Dvorak
Estados Unidos, 1950 - 108 min
legendado eletronicamente em português | M/12
O melodrama mal-amado de Cukor foi um filme que o realizador desdenhou, apesar de o ter realizado para a MGM cumprindo o contrato que o ligava ao estúdio e dirigindo Lana Turner num papel que lhe permite uma grande interpretação. Ambientado no meio da moda nova-iorquina, A LIFE OF HER OWN tempera a ligeireza do fundo e o mau fado da protagonista, uma mulher apaixonada por um homem casado numa ligação condenada a um final infeliz. Na Cinemateca, não é visto desde 1996. A apresentar em cópia digital.
 
11/02/2020, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Jean Grémillon – O Outro Gigante
Pour un Sou d’Amour
“Por um Tostão de Amor”
de Jean Grémillon
com André Baugé, Josseline Gaël, Gabrielle Fota, Raymond Cordy
França, 1932 - 95 min
legendado eletronicamente em português| M/12
Jean Grémillon não assinou a realização deste seu terceiro filme sonoro, que lhe fora proposto pelo importante produtor Jacques Haïk, tendo como vedeta André Baugé, então famoso cantor de charme. A trama narrativa gira à volta de um quiproquó e de uma conhecida situação narrativa: um milionário, que quer encontrar uma jovem que o ame sinceramente, faz-se passar por pobre e seduz a sobrinha de um velho avarento, que sonhava em encontrar um marido rico para ela. Sobre esta trama, André Baugé lança-se em variadas canções, o que terá sido um desafio interessante para Grémillon, que além de cineasta era músico, tendo inclusive composto a música de alguns dos seus filmes. Um filme extremamente raro, em primeira apresentação na Cinemateca.
 
11/02/2020, 21h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Leonardo Di Costanzo – Comunidade, Escola, Família

Em colaboração com o Instituto Italiano de Cultura, no contexto do 2º Encontro Cinema e Educação
Margot et Clopinette | A Scuola
Duração total da sessão: 81 minutos | M/12
com a presença de Leonardo Di Costanzo
MARGOT ET CLOPINETTE
de Leonardo Di Costanzo
França, 1988 – 21 min / legendado eletronicamente em português
A SCUOLA
de Leonardo Di Costanzo
Itália, França, Alemanha, 2003 – 60 min / legendado eletronicamente em português

Margot, parisiense de 82 anos, habita o mesmo apartamento há 60 anos. Distrai a velhice e a solidão tratando de uma grande família de pássaros como se fossem seus filhos e realizando outros rituais domésticos (ainda mais) singulares. Di Costanzo traça o perfil desta avis rara um pouco como os irmãos Maysles retrataram “Little Edie” em GREY GARDENS: mostrando o seu estilo de vida e ouvindo-a sobre todo o tipo de temas, da felicidade ao sexo. Em A SCUOLA, a sala de aula é como um campo de batalha. Alunos, professores e pais – ninguém sai incólume. Não há descanso num liceu da periferia de Nápoles (os alunos falam no dialeto napolitano, ao passo que os professores ensinam em italiano), pelo que é o sentido da escola pública que é levado a exame todos os dias. A câmara “mosca na parede” de Di Costanzo faz deste caso um BLACKBOARD JUNGLE da vida real. Primeiras apresentações na Cinemateca.