CICLO
Cinema na Esplanada


A temporada de Cinema na Esplanada volta em julho e setembro, às sextas-feiras e sábados, às 22h30, com projeções ao ar livre em 35 mm. Este mês, as sessões cruzam-se com o programa inspirado pelos “Fantasmas”, propondo grandes clássicos como VERTIGO, de Hitchcock, SECRET BEYOND THE DOOR, de Lang mas também THE TOMB OF LIGEIA, de Corman, e THE FOG, de Carpenter, ou filmes mais raros como CARNIVAL OF SOULS, abrindo com os imprescindíveis THE GHOST AND MRS. MUIR, de Mankiewicz, e CONTOS DA LUA VAGA, de Mizoguchi, que pela primeira vez serão mostrados no terraço 39 Degraus da Cinemateca. A exceção à regra dos “fantasmas na Esplanada” é a sessão de antecipação da próxima edição do festival doclisboa que, a 7 de julho, apresenta dois filmes marcantes de duas retrospetivas que serão centrais na edição deste ano do festival. Em particular, o filme de Gilles Groulx, anuncia a grande retrospetiva de cinema do Québec que será levada a cabo nas salas da Cinemateca como acontecimento principal da colaboração entre a Cinemateca e o doclisboa. As sessões na Esplanada decorrem com intervalo.
 
 
01/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Ciclo Cinema na Esplanada

The Ghost and Mrs. Muir
O Fantasma Apaixonado
de Joseph L. Mankiewicz
Estados Unidos, 1947 - 104 min
 
07/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Ciclo Cinema na Esplanada

Strop | Un Jeu si Simple
duração total da projeção: 71 min | M12
08/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Ciclo Cinema na Esplanada

Ugetsu Monogatari
Contos da Lua Vaga
de Kenji Mizoguchi
Japão, 1953 - 96 min
14/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Ciclo Cinema na Esplanada

The Fog
O Nevoeiro
de John Carpenter
Estados Unidos, 1980 - 89 min
15/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Ciclo Cinema na Esplanada

The Tomb of Ligeia
de Roger Corman
Estados Unidos, 1964 - 81 min
01/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Cinema na Esplanada
The Ghost and Mrs. Muir
O Fantasma Apaixonado
de Joseph L. Mankiewicz
com Gene Tierney, Rex Harrison, George Sanders, Anna Lee, Natalie Wood
Estados Unidos, 1947 - 104 min
legendado em português | M/12
Fantasmas ao nosso Encontro
Há quem o considere o mais belo filme do mundo. THE GHOST AND MRS. MUIR conta a mais estranha história de amor, a que une uma jovem viúva ao fantasma de um capitão da marinha, antigo proprietário da mansão que ela vai habitar com a filha pequena e a criada junto ao mar. A esse amor, permanecerá radiantemente fiel durante toda a vida terrena prolongando-o pela eternidade. Um par de eleição, Tierney e Harrison (com George Sanders no papel do noivo preterido e Natalie Wood, no da filha), num filme em estado de graça.
 
07/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Cinema na Esplanada
Strop | Un Jeu si Simple
duração total da projeção: 71 min | M12
Sessão de antecipação Doclisboa
STROP
“O Teto”
de Vera Chytilová
com Marta Karovská, Julian Chytil, Josef Abrhám
Checoslováquia, 1961 – 42 min / legendado eletronicamente em português
UN JEU SI SIMPLE
de Gilles Groulx
Canadá, 1964 – 29 min / legendado eletronicamente em português

Este programa reúne duas das mais importantes “novas” cinematografias dos ricos anos sessenta, a da Checoslováquia e a do Canadá francófono, através de dois dos seus nomes mais importantes. Vera Chytilová é a realizadora de um dos grandes clássicos da Nova Vaga checa, SEDMIKRÁSKY/JOVENS E ATREVIDAS. STROP foi o seu filme de diploma na FAMU, a célebre escola de cinema de Praga. O filme é baseado na própria experiência da realizadora como manequim e conta a história de uma estudante de medicina que abandona os estudos para ser modelo, mas acaba por desistir, diante da futilidade e do vazio daquele meio. Chytilová filmou esta ficção em estilo documental, com microfones ocultos no vestiário dos manequins. O desenlace é quase abstrato, com sons e imagens não naturalistas. Gilles Groulx é o autor de uma das longas-metragens mais emblemáticas do cinema do Quebeque, UN CHAT DANS LE SAC, mas a maior parte da sua obra é composta por documentários. UN JEU SI SIMPLE, rodado antes daquela longa-metragem e montado depois, aborda o desporto nacional do Canadá, o hóquei, convertido em radiografia de uma questão nacional e de todo um contexto histórico, social, económico e cultural. Groulx alterna a cor e o preto e branco ao longo de todo o filme, que obedece a um rigoroso dispositivo formal, em que a posição dos jogadores e a dos espectadores pode corresponder, por analogia, à do filme e à dos espectadores. “Gilles era poeta, profundamente poeta: basta dizer que concebia o cinema como o contrário da literatura” (Jean-André Fieschi).
 
08/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Cinema na Esplanada
Ugetsu Monogatari
Contos da Lua Vaga
de Kenji Mizoguchi
com Kinuyo Tanaka, Masayuki Mori, Machiko Kyo
Japão, 1953 - 96 min
legendado em português | M/14
Fantasmas ao nosso Encontro
Este é não só o mais célebre título da obra de Mizoguchi, mas provavelmente também o mais complexo, e o preferido de inúmeros cinéfilos. Uma extraordinária experiência narrativa, que mistura um clássico da literatura japonesa, lendas chinesas e ainda umas pitadas de Maupassant (sem falar no teatro tradicional japonês) para criar um universo fantástico (inclusive em termos visuais) onde tempo e espaço se dissolvem e se transformam numa “coisa mental”. OS CONTOS DA LUA VAGA vai muito longe “na dimensão sobrenatural ou surreal, dedicando uma longa parte dele a um fantasma e a uma relação fantomática entre um homem bem vivo e uma mulher há muito morta. […] Parece que ‘ugetsu’, a expressão traduzida por ‘lua vaga’, se refere ao luar de agosto (no Japão, primeiro luar depois da época das chuvas), que já fora, em Mizoguchi, luar de Yuki e luar de Oyu. Se assim for, este é um filme sobre o luar do desejo, forma do vazio, forma do cheio” (João Bénard da Costa).
 
14/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Cinema na Esplanada
The Fog
O Nevoeiro
de John Carpenter
com Jamie Lee Curtis, Adrienne Barbeau, Janet Leigh, Charles Cyphers
Estados Unidos, 1980 - 89 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Fantasmas ao nosso Encontro
Adaptação de uma história de Stephen King, sobre uma pequena cidade costeira assombrada por um nevoeiro maligno onde se escondem os fantasmas dos tripulantes de um navio pirata naufragado séculos antes por ação direta dos habitantes locais. Aos elementos clássicos de Carpenter (os lugares isolados, as lógicas de grupo, as ameaças sem rosto) junta-se aqui uma espécie de lirismo, com força suficiente para “descentrar” o filme que, no futuro, seria mais do que uma vez, um dos principais “segredos” de John Carpenter.
 
15/07/2017, 22h30 | Projecção ao Ar Livre
Cinema na Esplanada
The Tomb of Ligeia
de Roger Corman
com Vincent Price, Elizabeth Shepherd, John Westbrook, Oliver Johnston, Derek Francis, Richard Vernon
Estados Unidos, 1964 - 81 min
legendado eletronicamente em português | M/14
Fantasmas ao nosso Encontro
Foi a última incursão de Corman na obra de Edgar Allan Poe, filmada, como THE MASQUE OF THE RED DEATH, em Inglaterra e, pela primeira vez, em cenários exteriores, tentando o que o realizador definiu como “uma abordagem tipicamente gótica”. É um regresso ao original, à atmosfera mórbida dos primeiros filmes do ciclo Poe, contando a história de uma mulher que se julga possessa pelo espírito de outra. Note-se que em THE TOMB OF LIGEIA Corman acentua o lado passional-obsessivo da personagem de Vincent Price, encantado por Ligeia. O filme foi mostrado uma única vez na Cinemateca.