março de 2021
dstqqss
28123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Foco no Arquivo


Para o segundo “capítulo” Foco no Arquivo como rubrica regular de programação, escolhemos sublinhar a inestimável importância dos atos de depósito na Cinemateca programando catorze títulos de um dos mais recentes e significativos depósitos entrados na coleção, por iniciativa da Associação Portuguesa de Amizade e Cooperação Iúri Gagárin, e um décimo quinto título como exemplo de um outro muito importante depósito feito recentemente pela Embaixada da Federação Russa: no caso deste último mostramos “VINTE DIAS SEM GUERRA” de Aleksei German que se tornou conhecido no início da década de 1970 por PROVERKA NA DOROGAKH, sendo este posterior “VINTE DIAS SEM GUERRA” outro dos seus filmes mais notados. As restantes catorze produções soviéticas programadas atravessam seis décadas, dos anos trinta aos oitenta, e sendo significativas da relevância desta cinematografia são obras de realizadores igualmente importantes. Grigori Kozintsev, Leonid Trauberg, Mark Donskoi, Vera Stroyeva, Leonid Bykov, Rolan Bykov, Eldar Shengelaya, Elem Klimov, Nikita Mikhalkov e Andrei Konchalovski são os autores representados.
Os dois primeiros – de quem se verá O REGRESSO DE GORKY – são uma importante dupla dos anos vinte e trinta (A NOVA BABILÓNIA, que realizaram em 1929, é uma das obras-primas do cinema soviético, marcada pela estética da FEKS-“Fábrica do Ator Excêntrico”). Mark Donskoi é sobretudo conhecido pela famosa “Trilogia Gorky”, de que agora se mostram os segundo e terceiro títulos, “GANHANDO O MEU PÃO” e “MINHAS UNIVERSIDADES”. De Vera Stroyeva, realizadora de cerca de uma dúzia de filmes entre 1930 e 1970, mostra-se o mais célebre deles, BORIS GODUNOV. Ator e realizador, Leonid Bykov participou em diversos filmes sobre a II Guerra que se tornaram icónicos da cinematografia soviética, como o programado OS SOLDADOS FORAM À GUERRA. De Rolan Bykov, Eldar Shengelaya e Elem Klimov (o mais conhecido dos três nomes), ver-se-ão três filmes dos anos oitenta: “O ESPANTALHO”, AS MONTANHAS AZUIS OU UMA HISTÓRIA INACREDITÁVEL e VEM E VÊ. Neste conjunto de filmes, destaca-se ainda o lote dos anos setenta e oitenta, de Nikita Mikhalkov (o muito famoso PEÇA INCOMPLETA PARA PIANO MECÂNICO e os menos conhecidos “CINCO NOITES”, A PARENTE e “SEM TESTEMUNHAS”) e Andrei Konchalovski (SIBERIADA).
 

 
01/03/2013, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Foco no Arquivo

Vozvrachchenie Macsima
O Regresso de Máximo
de Grigori Kozintsev, Leonid Trauberg
URSS, 1937 - 104 min
 
01/03/2013, 22h00 | Sala Luís de Pina
Ciclo Foco no Arquivo

V Liudiakh
“Ganhando o Meu Pão”
de Mark Donskoi
URSS, 1939 - 99 min
04/03/2013, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Foco no Arquivo

Moi Universitety
“Minhas Universidades”
de Mark Donskoi
URSS, 1940 - 99 min
04/03/2013, 21h30 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Ciclo Foco no Arquivo

Neokonchennaya Pyesa Dlya Mekhanicheskogo Pianino
Peça Incompleta para Piano Mecânico
de Nikita Mikhalkov
URSS, 1977 - 100 min
05/03/2013, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Foco no Arquivo

Pyat Vetcherov
“Cinco Noites”
de Nikita Mikhalkov
URSS, 1979 - 102 min
01/03/2013, 19h30 | Sala Luís de Pina
Foco no Arquivo

Março 2013
Vozvrachchenie Macsima
O Regresso de Máximo
de Grigori Kozintsev, Leonid Trauberg
com Boris Chikov, Valentina Kibardina, Anatoli Kuznetsov
URSS, 1937 - 104 min
legendado em português

O REGRESSO DE MÁXIMO é tido pelo filme em que Grigori Kozintsev e Leonid Trauberg aderiram totalmente ao registo do “realismo socialista”. Segundo dos títulos da trilogia dedicada à vida de um jovem operário, iniciada em 1935 com A JUVENTUDE DE MÁXIMO, este é o filme ambientado na época da Primeira Guerra: Mássimo é agora um revolucionário, e tem a missão de organizar uma greve numa fábrica de armamento em vésperas da Guerra. Apenas exibido na Cinemateca em 1987, no “Ciclo de Cinema Clássico Soviético”.

01/03/2013, 22h00 | Sala Luís de Pina
Foco no Arquivo

Março 2013
V Liudiakh
“Ganhando o Meu Pão”
de Mark Donskoi
com Aleksei Lyarsky, Irina Zarubina, Varvara Massalitinova
URSS, 1939 - 99 min
legendado em português

Em 1939-40, Mark Donskoi realizou a chamada “Trilogia Gorki”, que se tornou um dos grandes clássicos do cinema soviético, com uma narrativa algo semelhante à do cinema americano. Os filmes adaptam livros autobiográficos do escritor. Apresentamos o segundo e o terceiro episódios (o primeiro é dedicado à infância do escritor e cada um dos filmes tem a sua existência autónoma). Em “GANHANDO O MEU PÃO”, o jovem Máximo começa a ganhar a vida, primeiro como criado, depois como aprendiz de cozinheiro e finalmente como aprendiz de um pintor de ícones. O filme reconstitui magistralmente a Rússia dos czares e o protagonista é mostrado com calor humano. Apenas exibido na Cinemateca em 1987, no “Ciclo de Cinema Clássico Soviético”.

04/03/2013, 19h30 | Sala Luís de Pina
Foco no Arquivo

Março 2013
Moi Universitety
“Minhas Universidades”
de Mark Donskoi
com Nikolai Valbert, Stepan Kayukov, Nikolai Plornikov
URSS, 1940 - 99 min
legendado em português

O episódio final da “Trilogia Gorki” mostra-nos a aprendizagem do jovem Máximo na “universidade da vida”. Não podendo frequentar uma universidade, como desejava, frequenta barqueiros do Volga, estivadores, intelectuais e revolucionários, tornando-se assim o escritor Máximo Gorki. “Só vivem aqueles que não são sensatos nem sábios, mas aqueles que sabem despertar no homem os sentimentos mais nobres, os loucos”, declarou certa vez o realizador, pensando talvez neste filme. Apenas exibido na Cinemateca em 1987, no “Ciclo de Cinema Clássico Soviético”.

04/03/2013, 21h30 | Sala Dr. Félix Ribeiro
Foco no Arquivo

Março 2013
Neokonchennaya Pyesa Dlya Mekhanicheskogo Pianino
Peça Incompleta para Piano Mecânico
de Nikita Mikhalkov
com Alexandre Kaliaguine, Elena Solovei, Evguenia Guchenko, Nikita Mikhalkov
URSS, 1977 - 100 min
legendado em português

A segunda longa metragem de Nikita Mikhalkov é uma adaptação de Platonov, de Tchekov. Esta história, situada numa bela tarde de verão, em que um homem confessa a uma mulher casada que sempre a amara e pensa que vai partir com ela, sem que nada se altere no fim, foi adaptada por Mikhalkov com verdadeira virtuosidade. A inteligente reconstituição de um ambiente da burguesia dos fins do século XIX, a mobilidade constante da câmara, o magnífico desempenho dos atores, transmitem a intensidade e a fugacidade desta história pungente e irónica. Também conhecido como “PARTITURA INACABADA PARA PIANO MECÂNICO”.

05/03/2013, 19h30 | Sala Luís de Pina
Foco no Arquivo

Março 2013
Pyat Vetcherov
“Cinco Noites”
de Nikita Mikhalkov
com Lyudmila Gurchenko, Stanislav Lyubshin, Valentina Telichkina
URSS, 1979 - 102 min
legendado em português

Foi a última longa-metragem de Nikita Mikhalkov nos anos setenta e é ambientada duas décadas antes, seguindo a história de amor de um casal separado durante a II Guerra Mundial: a visita de cinco dias de Sasha a Moscovo é a ocasião de um reencontro com Tamara, de quem se separou durante a guerra. Mikhalkov filmou “CINCO NOITES” na altura em que participava como ator no filme do seu irmão, SIBERIADA. Primeira exibição na Cinemateca.