agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Solveig Nordlund - Um Percurso Singular


Depois de Jorge Silva Melo, Solveig Nordlund. E faz todo o sentido. São da mesma geração, iniciaram--se no cinema no mesmo sítio (Grupo Zero), correalizaram ambos o filme de sketches E NÃO SE PODE EXTERMINÁ-LO?, e – muitos anos depois e com percursos muito diferentes - já neste século, Solveig encenou várias peças para os Artistas Unidos. E como Silva Melo, Solveig Nordlund só realizou uma mão cheia (seis para ser mais preciso) de longas-metragens de ficção.
Nascida na Suécia, em 1943, naturalizou-se portuguesa nos anos 60, por via do seu casamento com o realizador Alberto Seixas Santos. Em 1974 é uma das fundadoras do Grupo Zero. Aí correaliza os seus primeiros filmes. São documentários de intervenção política, filmados em pleno período revolucionário, assinados coletivamente.
O seu primeiro filme a solo é a curta-metragem NEM PÁSSARO NEM PEIXE, uma ficção que retrata a desilusão de uma certa esquerda, pós-Maio de 68, com o rumo dos acontecimentos em Portugal a seguir ao 25 de Novembro de 1975. No ano seguinte, o Grupo Zero e o teatro da Cornucópia iniciam, com o apoio da RTP, uma colaboração que se traduziu em quatro filmes realizados por Solveig Nordlund, a partir de encenações de peças teatrais por aquela companhia. Destacamos E NÃO SE PODE EXTERMINÁ-LO? (1979), de Karl Valentin.
Construída a partir de um fait-divers (um jovem casal que assassina um taxista), DINA E DJANGO (1980) será a sua primeira longa-metragem. A partir da década de 1980, Solveig Nordlund passa a dividir a sua vida e o seu trabalho entre a Suécia e Portugal. Todas as longas-metragens que fará daí em diante serão coproduções luso-suecas. ATÉ AMANHÃ, MÁRIO (1994), rodado na ilha da Madeira, é uma denúncia sobre o turismo sexual, com exploração de menores. A música original de José Mário Branco é um dos pontos altos do filme. COMÉDIA INFANTIL (1998) é, provavelmente, o filme de Solveig Nordlund mais visto e que mais êxito teve. Uma adaptação do livro de Henning Mankel, sobre a história de um rapaz (Nélio) que, depois de ver a sua aldeia destruída pela guerra, foge para Maputo. APARELHO VOADOR A BAIXA ALTITUDE (2001) é a adaptação extremamente eficaz e engenhosa de um conto de ficção científica de J G. Ballard. A FILHA (2003) é um filme feito e pensado para os atores. Situações extremas e ambíguas, brincadeiras perigosas que exigem uma entrega total por parte de quem dá, não só a cara, mas também o corpo. E nesse aspeto quer Nuno Melo quer Joana Bárcia são inexcedíveis. A MORTE DE CARLOS GARDEL (2011), apesar de ser também uma adaptação de uma obra literária (romance homónimo de António Lobo Antunes), será, porventura o mais autobiográfico dos seus filmes.
Mas a filmografia desta cineasta não se esgota nas longas-metragens de ficção. Neste Ciclo poderemos ver quase integralmente a sua obra (além de algumas curtas-metragens que realizou para a televisão sueca de que não se conseguiram cópias, também exibiremos apenas – por sugestão da própria – um episódio de cada uma das três séries que fez para a RTP – “Nós Por Eles”, “Nós Por Elas” e “Conversas de Cabeleiro”). Do muito que há a descobrir ou a rever,  destacamos as três adaptações de peças de Franz Xaver Kroetz (a relação com o teatro é um aspecto fortíssimo e transversal a toda a obra da realizadora); UMA HISTÓRIA IMORTAL (novamente o teatro – um outro teatro) e as duas curtas-metragens a partir de contos de Ballard. Por tudo o que já realizou em cinema, seja ficção (de maior ou menor duração), seja documentário seja em Portugal ou na Suécia, a obra de Solveig Nordlund tem uma amplitude e uma riqueza que vale bem a sua (re)descoberta. O Ciclo conclui-se em julho. Será publicado um catálogo.
 
 
27/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Solveig Nordlund - Um Percurso Singular

Até Amanhã, Mário
de Solveig Nordlund
Portugal, Suécia, 1993 - 76 min | M/12
 
28/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Solveig Nordlund - Um Percurso Singular

Uma História Imortal
de Solveig Nordlund
Portugal, Suécia, 1990 - 50 min
29/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Solveig Nordlund - Um Percurso Singular

Fineboys | Bergtagen | En Otrolig Semester
duração total da projeção: 67 minutos
30/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Solveig Nordlund - Um Percurso Singular

Framtiden Var I Går | Escrever, Escrever, Viver – António Lobo Antunes
duração total da sessão: 84 minutos | M/12
27/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Solveig Nordlund - Um Percurso Singular
Até Amanhã, Mário
de Solveig Nordlund
com João Silva, Victor Norte, Paulo César Barros, Canto e Castro
Portugal, Suécia, 1993 - 76 min | M/12
Terceira longa-metragem de Solveig Nordlund (se incluirmos E NÃO SE PODE EXTERMINÁ-LO?), ATÉ AMANHÃ, MÁRIO é situado na Madeira e conta a história de um garoto que quer ser pescador de baleias. “Mas ninguém já pesca baleias”, explica-lhe um pescador. Um filme límpido e fluido, sobre a arte de sobreviver entre os mais desfavorecidos. “É graças à realidade que se adivinha atrás das caras das crianças que o filme ganha peso. O facto de as crianças terem correspondido à minha aposta constitui para mim a maior satisfação com o filme”, observou a realizadora. Esta sessão decorre igualmente no âmbito do projeto FILMar, operacionalizado pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, com o apoio do programa EEAGrants 2020-2024.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
28/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Solveig Nordlund - Um Percurso Singular
Uma História Imortal
de Solveig Nordlund
Portugal, Suécia, 1990 - 50 min
legendado em inglês | M/12
A célebre história de Carlos Magno e do seu sobrinho, o duque de Mântua, e do conflito entre os dois a propósito de um assassinato. A peça, que na versão completa dura seis horas, é interpretada todos os anos na ilha de São Tomé. Os papéis, interpretados apenas por atores masculinos, que vestem sumptuosos trajes de época e endossam máscaras, passam de pai para filho, e os textos declamados permanecem imutáveis. Através de diversas entrevistas com os atores podemos compreender melhor a importância que dão aos seus papéis, papéis esses que assumem uma dimensão quase sagrada. Primeira apresentação na Cinemateca.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
29/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Solveig Nordlund - Um Percurso Singular
Fineboys | Bergtagen | En Otrolig Semester
duração total da projeção: 67 minutos
legendados eletronicamente em português | M/12
FINEBOYS
de Solveig Nordlund
com Adam Schaub, Caj Larsson
Suécia, 1989 – 50 min

BERGTAGEN
“Entrever a Luz”
de Solveig Nordlund
com Adam Schaub, Caj Larsson
Suécia, 1994 – 8 min

EN OTROLIG SEMESTER
“Umas Férias Fantásticas”
de Solveig Nordlund
Suécia, 1994 – 9 min

FINEBOYS é um documentário sobre dois rapazes candidatos a modelos masculinos. BERGTAGEN é um olhar sobre a paisagem urbana moderna, elegante e fria, vidro e aço. EN OTROLIG SEMESTER, uma adaptação do conto Having a Wonderful Time, de J.G. Ballard, um casal fica preso nas Ilhas Canárias durante umas férias. Os três filmes são primeiras apresentações na Cinemateca.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
30/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Solveig Nordlund - Um Percurso Singular
Framtiden Var I Går | Escrever, Escrever, Viver – António Lobo Antunes
duração total da sessão: 84 minutos | M/12
FRAMTIDEN VAR I GÅR
“O Futuro Foi Ontem”
de Solveig Nordlund
Suécia, 1986 – 29 min / legendado eletronicamente em português

ESCREVER, ESCREVER, VIVER – ANTÓNIO LOBO ANTUNES
de Solveig Nordlund
com as vozes de Sofia Aparício, Lia Gama, Orlando Costa, Pedro Carmo
Portugal, 2008 – 53 min / legendado em português

Duas entrevistas a dois grandes escritores muito diferentes, J.G. Ballard e António Lobo Antunes (cujas obras já tinham sido objeto de adaptação ao cinema por Solveig Nordlund), separadas por mais de 20 anos. FRAMTIDEN VAR I GÅR é uma primeira apresentação na Cinemateca.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui