agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]


Na revisita dos géneros clássicos que temos proposto regularmente, chega agora a vez da ficção científica. Género com pergaminhos nesta Cinemateca, que mereceu, em 1984, um ciclo que é hoje dos mais lembrados dessa época, pelo pioneirismo, pela qualidade e pela extensão. A ideia desta revisita não é uma repetição desse ciclo, nem possível nem desejável – quanto mais não seja pelo simples facto de haver, desde então, praticamente mais quarenta anos de “história do cinema”, e particularmente do cinema de ficção científica. Mas a ambição de traçar um relato relevante da história do género levou-nos a dividir o ciclo em duas metades para um total de cerca de cinquenta títulos, dos absolutos primórdios (Méliès) à época contemporânea (o filme mais recente que contamos apresentar, na segunda parte do ciclo, é AD ASTRA de James Gray). Para lidar, com um mínimo de coerência, com esta amplitude cronológica, era preciso dividir o ciclo em dois, e encontrar um ponto de charneira. Arbitrariamente, mas procurando o ponto menos arbitrário possível. Encontrámo-lo no ano de 1968, o ano em que se estreou um dos filmes mais decisivos do género, ponto culminante do que estava para trás e marco inevitável a ter em consideração em tudo o que se fez posteriormente: o ano da estreia de 2001: A SPACE ODYSSEY, de Stanley Kubrick. Estreia que antecedeu, em pouco mais de um ano, um momento marcante da história da humanidade, a chegada à Lua em 1969, e respetivas imagens televisivas, que terão significado, para os espectadores da época, uma espécie de concretização daquilo que a ficção científica antecipou. Entre 1968 e 1969, entre 2001 e a Apollo 11, a forma do ser humano pensar o seu lugar no universo terá mudado alguma coisa, mas certamente que muito mudou na forma de o cinema de ficção científca se pensar a si próprio.
Esta primeira parte, “antes de 2001”, acompanha as décadas formadoras do género, nas suas múltiplas declinações e possibilidades, entre títulos muito conhecidos e outros que serão uma descoberta para a generalidade dos espectadores. Encontramos, nesta fase, autores consagrados a dedicarem-se à “fc” (Fritz Lang e o seu FRAU IM MOND, que até inventou a contagem decrescente décadas depois adotada pela NASA, é um exemplo por excelência), mas o género era ainda, maioritariamente, um território do espectáculo e da invenção visual, aproveitando o facto de, entre todos os géneros clássicos, ser certamente aquele em que os códigos eram mais fluídos, menos institucionalizados a priori, o que também permitiu o florescimento de inúmeros “subgenéros” e de interpretações deles muito ligadas a cada momento histórico (de que é um exemplo perfeito a “fc” dos anos 50, muito marcada pela memória da II Guerra, das bombas atómicas, e da Guerra Fria). Por outro lado, também convém insistir nessa questão histórica; porque se associa demasiadas vezes a “fc” a uma forma de escapismo puro (que o género também foi, e nalguns casos sobretudo foi), quando a virtude do género sempre foi uma profunda ligação ao momento vivido em cada época histórica, o facto de os filmes de “fc” inventarem mundos futuros e/ou alternativos para, no fundo, nos falarem, e nos revelarem, o mundo presente e/ou o mundo real. É assim que a viagem desta primeira parte do ciclo, por entre toda a sua invenção, toda a sua fantasia, por vezes (já) alguma “metafísica”, daquilo que nos fala realmente é das primeiras seis ou sete décadas do século XX.
 
 
17/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

The Incredible Shrinking Man
Sentenciado
de Jack Arnold
Estados Unidos, 1957 - 79 min
 
17/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

The War of the Worlds
A Guerra dos Mundos
de Byron Haskin
Estados Unidos, 1953 - 85 min
18/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

The Amazing Transparent Man
de Edgar G. Ulmer
Estados Unidos, 1960 - 58 min
18/06/2022, 21h45 | Esplanada
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

The Day the Earth Stood Still
O Dia em que a Terra Parou
de Robert Wise
Estados Unidos, 1951 - 92 min
20/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]

Countdown
Estradas do Inferno
de Robert Altman
Estados Unidos, 1968 - 101 min
17/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
The Incredible Shrinking Man
Sentenciado
de Jack Arnold
com Grant Williams, Randy Stewart, April Kent
Estados Unidos, 1957 - 79 min
legendado eletronicamente em português | M/12
THE INCREDIBLE SHRINKING MAN é uma das obras-primas da ficção científica dos anos cinquenta, com notáveis efeitos especiais e um clima de angústia raras vezes alcançado no género. Um homem é exposto a uma nuvem radioativa e descobre que vai «encolhendo» a pouco e pouco. Cada vez mais pequeno, acaba por ter de lutar pela vida, enfrentando primeiro um gato e, depois, uma aranha, até «desaparecer» no «infinitamente pequeno», perdendo a capacidade de relacionamento com os homens e com o mundo. Cabe olhar as estrelas e o universo… 

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
17/06/2022, 19h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
The War of the Worlds
A Guerra dos Mundos
de Byron Haskin
com Gene Barry, Ann Robinson, Les Tremayne
Estados Unidos, 1953 - 85 min
legendado eletronicamente em português | M/6
Quinze anos depois da famosa adaptação radiofónica de Orson Welles que popularizou o romance de H.G. Wells junto do público americano, THE WAR OF THE WORLDS conhecia finalmente uma adaptação cinematográfica, pelas mãos de dois especialistas dos special effects, o produtor George Pal e o realizador Byron Haskin, e com um luxuoso technicolor. Para além do clima de medo criado pelo filme, com a invasão dos extraterrestres, THE WAR OF THE WORLDS é um reflexo e um comentário de outros medos, mais reais e palpáveis: a aniquilação nuclear, que a Guerra Fria tornara quase uma obsessão para muitos americanos. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
18/06/2022, 19h30 | Sala Luís de Pina
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
The Amazing Transparent Man
de Edgar G. Ulmer
com Marguerite Chapman, Douglas Kennedy, James Griffith
Estados Unidos, 1960 - 58 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um dos últimos filmes realizados por Edgar G. Ulmer, ficção científica em regime de série B e com alguns pontos de contacto com o MOST DANGEROUS MAN ALIVE que por esta altura assinalava o final da carreira de Allan Dwan. O tema é outro motivo clássico da ficção científica – desde o Homem Invisível de H.G. Wells – mas a questão da “invisibilidade” (no centro da intriga está uma máquina que confere a invisibilidade aos seres humanos) é aqui articulada com outra preocupação muito da sua época, a radiação venenosa. O filme não é apresentado na Cinemateca desde 1993. A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
18/06/2022, 21h45 | Esplanada
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
The Day the Earth Stood Still
O Dia em que a Terra Parou
de Robert Wise
com Michael Rennie, Patricia Neal, Hugh Marlowe
Estados Unidos, 1951 - 92 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Um dos filmes mais célebres, e em certa medida «fundador», do cinema de ficção científica americano dos anos cinquenta. Aproveitando quer o clima de antagonismo da Guerra Fria quer a recente paranoia dos OVNIS (então em plena força na imprensa americana), e inspirado quer nos temores da aniquilação nuclear quer na fantasia de uma invasão extraterreste, THE DAY THE EARTH STOOD STILL é uma parábola pacifista que narra a chegada à Terra de um ser alienígena que traz uma mensagem de paz e união mas que é (com subtis alusões à figura de Jesus Cristo) incompreendido pela humanidade. Wise filma a fantasia de «fc» num estilo surpreendentemente realista (por exemplo durante a quebra de energia que faz «a Terra parar»), na esteira do que o cinema do pós-guerra tinha começado a experimentar (em obras como THE NAKED CITY, entre outras). A apresentar em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui
20/06/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Revisitar os Grandes Géneros: A Ficção Científica [I Parte]
Countdown
Estradas do Inferno
de Robert Altman
com James Caan, Joanna Cook Moore, Robert Duvall, Barbara Baxley
Estados Unidos, 1968 - 101 min
legendado eletronicamente em português | M/12
Robert Altman vinha de uma longuíssima carreira como realizador de televisão, e COUNTDOWN foi um dos seus primeiros filmes para cinema. É uma descrição, em tom friamente realista, de um voo espacial tripulado rumo à lua, antecipando em um ano a viagem da Apollo em 1969. Os ecos da guerra Fria estão presentes: no filme de Altman, a viagem à lua é apressada porque a NASA tem receio de que os soviéticos lá cheguem primeiro. Como só interessa a ida, não há planos para o regresso – e James Caan, solitário astronauta, tem que ficar na lua à espera da verdadeira Apollo… A exibir em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA aqui