CICLO
O Dia Mais Curto


A Cinemateca volta a associar-se à organização do dia que internacionalmente celebra o formato da curta-metragem. Pelo oitavo ano consecutivo, numa colaboração com a Agência da Curta Metragem, no dia mais curto do ano, o do Solstício de inverno, a Cinemateca apresenta uma sessão especial para celebrar o “formato”, numa original iniciativa que nasceu em 2011, em França, e que ocorre em simultâneo em dezenas de países em todo o mundo. Celebrando o “dia mais curto” do ano, o programa reúne cinco títulos, sendo quatro deles portugueses (as mais recentes obras de Cláudia Varejão, Salomé Lamas, Pedro Peralta e João Rosas), todos estreados no festival Curtas de Vila do Conde deste ano e agora apresentados pela primeira vez na Cinemateca.
 
 
21/12/2020, 20h00 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo O Dia Mais Curto

O Ofício da Ilusão | Casa do Sol | Extraction: The Raft of the Medusa | Noite Perpétua | Catavento
duração total da projeção: 88 min | M/14
 
21/12/2020, 20h00 | Sala M. Félix Ribeiro
O Dia Mais Curto
O Ofício da Ilusão | Casa do Sol | Extraction: The Raft of the Medusa | Noite Perpétua | Catavento
duração total da projeção: 88 min | M/14
Com a presença dos realizadores
O OFÍCIO DA ILUSÃO
de Cláudia Varejão
Portugal, 2020 – 6 min / legendado em português

CASA DO SOL
de Lúcia Prancha
narração de Júlia de Carvalho
Brasil, 2020 – 12 min

EXTRACTION: THE RAFT OF THE MEDUSA
de Salomé Lamas
com Henrique Furtado, Luis Guerra, Matthieu Ehrlacher, João Villas Boas, Cláudio Vieira, Bruno Brandolino, Filipe Pereira, Paulo Quedas
Portugal, Suíça, 2020 – 10 min / legendado em português

NOITE PERPÉTUA
de Pedro Peralta
com Paz Couso, Matilde Couso de Arcos, Domicilia Nunes, Sara Piris
Portugal, França, 2020 – 20 min / legendado em português

CATAVENTO
de João Rosas
com Francisco Melo, Francisca Alarcão, Rita Poças, Simão Márcia, Beatriz Forjaz
Portugal, 2020 – 40 min

O OFÍCIO DA ILUSÃO esculpe-se com imagens de um arquivo de família das décadas de setenta e oitenta e de pequenos excertos sonoros de filmes. Madame Bovary é a heroína de Flaubert e abre as hostes deste exercício narrativo. A partir do diálogo de Ema Paiva com o seu amigo e confidente Pedro Lumiares no filme VALE ABRAÃO de Manoel de Oliveira, entendemos a identidade de género como uma caracterização estanque de valores sociais. Ema, que aqui representa a Mulher num sentido mais lato, herda uma vida tradicional numa sociedade patriarcal. Neste semblante de opressão, Ema interroga a sua condição e a sociedade em que se insere. Graças ao bovarismo integrante em cada mulher, a força da desobediência queimará o caminho que outrora fora idealizado para si. CASA DO SOL foi concebido originalmente como uma instalação para a Casa do Sol, antiga residência de Hilda Hilst em Campinas, no Brasil, e pretende explorar artisticamente o legado dessa escritora brasileira geralmente referida como “o Marquês de Sade do Brasil”. EXTRACTION THE RAFT OF THE MEDUSA é uma meditação sobre o redesenho maciço da humanidade no planeta e um panfleto distópico sobre o Antropoceno. Retrata um breve momento de euforia enquanto os ocupantes da jangada identificam uma ilusão cintilante para a sua deriva, esperando e rezando para serem resgatados. Quase que podemos ouvir os gritos roucos numa tentativa de captar a atenção para sua situação desesperada, reunindo as suas últimas forças para o vazio. Esta é sua última chance de sobrevivência. Em NOITE PERPÉTUA, ambientado na Espanha de 1939, dois Guardas Falangistas surgem durante a noite à porta da casa onde Paz se encontra refugiada com a família. Solicitam a sua presença na esquadra. Paz compreende imediatamente a fatalidade desta visita noturna. Ao ver-se injustamente condenada, sem possibilidade de fuga, pede para amamentar, por uma última vez, a sua filha recém-nascida. Em CATAVENTO, é verão em Lisboa e Nicolau é um rapaz indeciso. Entre as dúvidas quanto ao curso universitário a seguir e que tipo de rapariga escolher para sua namorada, Nicolau passa os dias a tentar perceber quem quer ser quando for grande. O problema é que, prestes a acabar os exames do ensino secundário, grande já ele é, sem por isso ter as coisas mais claras. De indecisão em indecisão, Nicolau vai navegando à vista, tendo como única bússola para as suas possíveis escolhas as raparigas por quem se vai apaixonando e com quem imagina outros tantos possíveis futuros.