CICLO
Cinemateca Júnior – Sábados em Família


Em outubro a Júnior retoma a tradicional colaboração com a secção Monstrinha do MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa e mostra alguma da programação suspensa em março. Para vingar o tempo perdido, em vez de dois filmes de cinema de animação oferecemos três e uma OFICINA DE BOLSO para fazerem os vossos filmes de animação com um equipamento que se arruma nas algibeiras, e que em tempos não muito remotos servia apenas para fazer chamadas. Como inspiração, apresentamos três longas de animação muito diferentes nos temas, mas nem tanto na técnica, igual em duas delas. Abrimos com FANTASIA, o mais ambicioso projeto de Walt Disney que celebra este ano oitenta primaveras. O mago do desenho de animação foi também um amante de música clássica e neste filme casa as duas paixões. A partir de oito composições, como a Sagração da Primavera de Igor Stravinsky ou a suite Quebra-Nozes de Tchaikovsky, cria oito segmentos de animação, uns mais narrativos, outros mais sensoriais. Segue-se A MINHA VIDA DE COURGETTE de Claude Barras, um filme de animação de volumes em stop motion, sobre um rapaz órfão que gosta de viver no orfanato. A história deste rapaz contraria muitas ideias feitas, o que aliado à qualidade da animação faz do filme uma pérola. O terceiro filme de animação – WALLACE & GROMIT: A MALDIÇÃO DO COELHOMEM – é uma comédia do conhecido estúdio britânico Aardman Animations e traz-nos a famosa dupla em formato longo e a braços com uma misteriosa criatura devoradora de cenouras e outros hortícolas em pleno Concurso Anual de Vegetais Gigantes. Trata-se de uma paródia aos filmes de terror e rima na perfeição com a data em que estará em sala, 31 de outubro, o tradicional Dia das Bruxas agora mais conhecido por Halloween.
Mas outubro é um mês comprido e cabem lá muitos filmes além da animação. BOM DIA de Yasujiro Ozu e ADEUS, PAI de Luís Filipe Rocha são os sabores do mês em imagem real. Rapazes descontentes com a vida são o traço comum entre os dois: no filme de Ozu, dois irmãos travam uma guerra de silêncio para ganharem uma televisão; no filme de Luís Filipe Rocha fala-se de um descontentamento mais profundo provocado por um pai ausente. Dois momentos de bom cinema para refletir e desfrutar.
 
 
03/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Fantasia
Fantasia
de Walt Disney
Estados Unidos, 1940 - 120 min
 
10/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Ma Vie de Courgette
A Minha Vida de Courgette
de Claude Barras
Suíça, França, 2016 - 66 min
17/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Ohayo
Bom Dia
de Yasujiro Ozu
Japão, 1959 - 94 min
24/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Adeus, Pai
de Luís Filipe Rocha
Portugal, 1996 - 85 min | M/12
31/10/2020, 11h00 | Salão Foz
Ciclo Cinemateca Júnior – Sábados em Família

Oficina de Bolso
03/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Fantasia
Fantasia
de Walt Disney
Estados Unidos, 1940 - 120 min
dobrado em português do Brasil | M/12
com a presença de Fernando Galrito, diretor do MONSTRA
O mais ambicioso projeto do mago dos desenhos animados, Walt Disney, é um grande filme de animação que dá a ver (e a ouvir) algumas composições musicais célebres, da Pastoral de Beethoven à Sagração da Primavera de Stravinsky. A primeira é ilustrada com uma divertida história no Olimpo grego e a segunda acompanha a origem do mundo e da vida e a extinção dos dinossauros. E há mais: uma irresistivelmente cómica Dança das Horas por crocodilos e hipopótamos, além da presença do rato Mickey como aprendiz de feiticeiro, entre outros grandes momentos musicais e de cinema de animação.
 
10/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Ma Vie de Courgette
A Minha Vida de Courgette
de Claude Barras
Suíça, França, 2016 - 66 min
dobrado em português | M/6
com a presença de Fernando Galrito, diretor do MONSTRA
Um menino chamado Ícaro, mais conhecido pela alcunha Courgette (curgete), vai para um orfanato depois da trágica morte da mãe. Após este terrível revés e no meio das dificuldades que tem em integrar-se no seu novo lar, descobre o lado solar da vida com a preciosa ajuda do polícia Raymond e dos seus amigos Camille e Simon. Primeira longa-metragem do suíço Claude Barras, este filme de animação em stop motion é adaptado da obra Autobiographie d'une courgette (2002) do escritor francês Gilles Paris.
 
17/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Ohayo
Bom Dia
de Yasujiro Ozu
com Keiji Sata, Yoshiko Kuga, Koji Shigaraki, Masahiko Shimazu
Japão, 1959 - 94 min
legendado em português | M/6
Pode ser considerado uma variação de um dos mais célebres filmes de Ozu, “NASCI, MAS…, de 1933. Contrariamente à quase totalidade das obras-primas realizadas por Ozu na fase final da sua carreira, OHAYO é uma comédia e não aborda o tema da dissolução de uma família, mas apenas um momento de crise causado por dois miúdos. As crianças fazem greve de silêncio para protestar contra o facto de os pais se recusarem a comprar uma televisão. A realização de Ozu, como sempre rigorosa e perfeita, tece um filme que, ao invés de mostrar o fim de uma vida, ou de uma família, mostra uma continuidade, a aceitação da mudança. Um dos filmes em que o cineasta trabalha exemplarmente a cor.
 
24/10/2020, 15h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Adeus, Pai
de Luís Filipe Rocha
com João Lagarto, José Afonso Pimentel, Adriana Aboim
Portugal, 1996 - 85 min | M/12
com a presença de Luís Filipe Rocha (a confirmar)
Realizado nos Açores, a partir de um argumento original de Luís Filipe Rocha, ADEUS, PAI conta a relação de um rapaz de 13 anos com o seu pai. Uma relação distante, porque o pai se dedica sobretudo ao trabalho. Mas um dia, os dois partem juntos de férias para os Açores, onde finalmente se aproximam (ou assim parece).
 
31/10/2020, 11h00 | Salão Foz
Cinemateca Júnior – Sábados em Família
Oficina de Bolso
conceção e orientação de Fernando Galrito

dos 6 aos 10 anos | duração: 2 horas

preço: 4€ por criança

Todos carregamos no bolso um instrumento que, com as aplicações corretas, pode transformar-se num estúdio de animação. Fazer filmes de animação com um telemóvel é o objetivo desta oficina. Apresentar as melhores aplicações para animar, fazer a banda sonora, editar e sincronizar. Uma oficina de animação e de cinema de bolso. Marcação prévia até 26 de outubro para cinemateca.junior@cinemateca.pt