agosto de 2022
dstqqss
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910
Ciclos
Pesquisa
CICLO
Double Bill


O Ciclo de “double bills” do mês de maio integra três sessões dedicadas às relações entre o cinema de culto com a cultura musical underground da segunda metade do século XX, com filmes extremamente estilizados mas singulares que, quer nos seus temas como nas suas lógicas de produção, transgrediam as convenções artística e sociais na sua época. A primeira sessão une visões sobre a questão da música enquanto vetor de alienação cultural. SMITHEREENS, um dos mais icónicos filmes no wave, explora o desejo ilusório de uma rapariga pela fama no seio da cultura punk de Nova Iorque, enquanto PRIVILEGE se centra numa estrela pop inglesa que se vê manipulada pelo governo com o intuito político de promover a religião e o nacionalismo no país. LE TRÉSOR DES ÎLES CHIENNES e LIQUID SKY fazem do seu cinema um exercício de estilo, entre a ficção científica a as expressões ora da contracultura, ora do movimento New Wave, criando registos cinematográficos tão dissonantes como excêntricos. A última dupla sessão une duas obras assombradas pelo universo do cyberpunk e da música industrial, a magia sonora de DECODER, que se revê nas investigações tecnológicas e ocultistas de Burroughs e Genesis P. Orridge para pensar a música como médium sensitivo de rebelião, e a revolução do corpo de TETSUO, um body horror experimental e frenético. Ideias que instauram anarquias várias no mundo da tecnologia, das máquinas e do aço.
 
14/05/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

Smithereens | Privilege
duração total da projeção: 192 min | M/16
21/05/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

Le Trésor des Îles Chiennes | Liquid Sky
duração total da projeção: 225 min
 
28/05/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Ciclo Double Bill

Decoder | Tetsuo
duração total da projeção: 155 min
 
14/05/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
Smithereens | Privilege
duração total da projeção: 192 min | M/16
entre os dois filmes há um intervalo de 20 minutos
SMITHEREENS
Estilhaços
de Susan Seidelman
com Susan Berman, Brad Rinn, Richard Hell
Estados Unidos, 1982 - 89 min / legendas em português

PRIVILEGE
de Peter Watkins
com Paul Jones, Jean Shrimpton, Mark London
Reino Unido, 1967 - 103 min / legendado eletronicamente em português

Seidelman pertence ao primeiro grupo de cineastas independentes americanas dos anos oitenta. Esta sua longa de estreia foi o primeiro filme “indie” selecionado para a competição oficial de Cannes, em 1982. SMITHEREENS acompanha uma jovem narcisista que deixa Nova Jérsia para se juntar à subcultura punk nova-iorquina. Tem como ator Richard Hell, um dos grandes nomes do punk e do No Wave, e a música é dos The Feelies. Os elementos alienadores da cultura pop, maioritariamente virada para a juventude, que explodiu nos anos sessenta e com especial incidência em Inglaterra, formam o núcleo temático de PRIVILEGE, história de uma vedeta da música pop manipulada, com intuitos políticos, pelo governo. A ficção e a parábola são assumidas neste primeiro filme de Watkins depois de abandonar a BBC (instatisfeito com o tratamento dado pela estação a THE WAR GAME), mas o estilo é ainda o da falsa reportagem, mergulhando no “realismo” convencional dos processos do documentário ou da televisão para um retrato politicamente paranoico da agitação cultural da década de sessenta. Foi também a primeira vez que filmou a cores. PRIVILEGE é exibido em cópia digital.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA de SMITHEREENS aqui

consulte a FOLHA DA CINEMATECA de PRIVILEGE aqui
 
21/05/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
Le Trésor des Îles Chiennes | Liquid Sky
duração total da projeção: 225 min
legendados eletronicamente em português | M/16
entre os dois filmes há um intervalo de 20 minutos
LE TRÉSOR DES ÎLES CHIENNES
de F. J. Ossang
com Stéphane Ferrara, Serge Avédikian, Diogo Dória, José Wallenstein
França, Portugal, 1990 – 112 min

LIQUID SKY
de Slava Tsukerman
com Anne Carlisle, Paula E. Sheppard, Susan Doukas
Estados Unidos, 1982 – 113 min

É inegável que F. J. Ossang vive um mundo cinematográfico único, em que mistura aspetos das subculturas underground e do punk com uma sensibilidade do cinema de autor. Esta ficção científica, a preto e branco e em scope, foi filmada em Portugal continental e nos Açores, devido à atração do realizador “pelos solos de hidratos de carbono, pelas regiões com forte atividade sísmica”. A trama narrativa evoca a de muitos filmes do período clássico, com uma expedição que parte em busca de um cientista que fez uma importante descoberta e desapareceu. A realização, evidentemente, nada tem de clássica e o filme foi considerado “uma bomba, que estilhaça os pontos de referência, os horizontes geográficos e ficcionais, do cinema francês”, na opinião de Frédéric Strauss, nos Cahiers du Cinéma. LIQUID SKY é a primeira aventura pelo cinema de Slava Tsukerman, após ter saído da União Soviética para se instalar em Nova Iorque. É uma ficção científica no wave e um pensamento sobre o mundo das drogas e do sexo no meio underground nova-iorquino, duplamente protagonizada por Anne Carlisle, que interpreta duas personagens de género diferentes, que se veem dominados por extraterrestres que matam os seus companheiros no clímax das relações sexuais. Um iminente filme de culto, que se notabiliza também pela idiossincrasia da sua banda sonora, concebida por Tsukerman em colaboração com Brenda Hutchinson e Clive Smith, que inclui versões sintetizadas de música clássica, e por todo excesso visual influenciado pelo movimento New Wave, que marcou a geração dos anos 1970 e 1980. LIQUID SKY é uma primeira apresentação na Cinemateca.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA de LE TRÉSOR DES ÎLES CHIENNES aqui

consulte a FOLHA DA CINEMATECA de LIQUID SKY aqui
 
28/05/2022, 15h30 | Sala M. Félix Ribeiro
Double Bill
Decoder | Tetsuo
duração total da projeção: 155 min
legendados eletronicamente em português | M/16
entre os dois filmes há um intervalo de 20 minutos
DECODER
de Muscha
com FM Einheit, William Rice, Christiane F., Genesis P. Orridge, William S. Burroughs
Alemanha, 1984 – 88 min

TETSUO
Tetsuo: O Homem de Ferro
de Shinya Tsukamoto
com Tomorô Taguchi, Kei Fujiwara, Nobu Kanaoka
Japão, 1989 – 67 min

Uma pérola cyberpunk relativamente esquecida da cultura, DECODER constrói-se num incomum encontro, entre William S. Burroughs (que tem neste filme um breve papel), e o ensaio The Electronic Revolution, e um surpreendente conjunto de músicos pertencentes ao universo da música industrial que desde os finais da década de 70 se firmava em Inglaterra e na Alemanha, entre os quais FM Einheit e Genesis
P. Orridge. Filme tão político quanto esotérico, foca-se nas experiências sónicas de FM, um músico frustrado que descobre como incitar a população à rebelião contra o governo através da música industrial. A banda sonora é composta por membros de bandas tão conhecidas como Einstürzende Neubauten, Psychic TV, Soft Cell e The The. A imagética industrial é também explorada por TETSUO, filme sórdido que leva o body horror ao surrealismo e ao cinema experimental. Feito praticamente na sua totalidade por Tsukamoto, ele aborda uma contaminação motivada por um acidente de carro e por um bizarro fetichismo relativo a objetos metálicos industriais, provocando num empresário uma inóspita fusão industrial. Frequentemente comparado a Cronenberg, TETSUO avança como um pesadelo tecnológico num ritmo frenético, traçando uma poderosa representação, metafórica e transgressora, da tecnocracia moderna. Primeiras apresentações na Cinemateca. A exibir em cópias digitais.

consulte a FOLHA DA CINEMATECA de DECODER aqui

consulte a FOLHA DA CINEMATECA de TETSUO aqui